Guia da final masculina de Roland Garros 2021: Novak Djokovic vs Stefanos Tsitsipas - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Guia da final masculina de Roland Garros 2021: Novak Djokovic vs Stefanos Tsitsipas

Compartilhe

O que é fazer história? Para muitos tenistas, só de jogar um Grand Slam, já é uma honra. Outros pensam que é necessário empilhar o máximo de troféus que for possível durante a carreira. Tem aqueles que sonham em levar orgulho ao seu país. A verdade é que cada um tem sua história. Assim, Stefanos Tsitsipas e Novak Djokovic entrarão na quadra Philippe Chatrier, no próximo domingo (13), para escrever mais um pedacinho de suas respectivas trajetórias de vida. O título de Roland Garros 2021 vale muito para ambos


Mas apesar da diferença de idade e de suas carreiras, eles compartilham uma similaridade em suas vidas. As dificuldades enfrentadas na infância. A Grécia, país de Tsitsipas, sofreu com uma fortíssima crise financeira principalmente entre os anos de 2011 e 2012, precisando até mesmo de uma interferência da União Europeia. 

Enquanto o país quebrava, o pai de Stefanos, Apostolos Tsitsipas, trabalhava em três empregos para dar conta do sustento da família, além de treinar e tentar financiar a carreira do filho, como contou o jornalista especialista em tênis, Miguel Seabra, durante uma transmissão esportiva. 

A família de Stefanos é extremamente ligada ao tênis. Seus pais foram instrutores num hotel resort na cidade de Vouliagmeni, perto de Atenas. Inclusive, sua mãe, a russa Julia Apostoli, foi número 1 do mundo juvenil e teve como melhor posição no ranking mundial profissional o 130º lugar, em 1992. 

Minha primeira lembrança é de ter três anos e de bater bola com meu pai no intervalo entre as aulas. Lembro-me de assistir a jogos na TV, quando era bebê, não posso dizer quem estava jogando, mas me lembro de assistir. 

Foto: FFT

Já Djokovic viveu as dificuldades de uma nação em guerra. Isso porque no período de infância do atual número 1 do mundo, a Sérvia tinha recém-conquistado sua independência da esfacelada Iugoslávia. O medo era constante e a proteção era tão necessária, que uma vez o jovem Novak precisou ficar horas em um porão, para escapar de um bombardeio em Belgrado. 

A dura realidade vivenciada durante uma guerra em seu próprio país, deu a Djokovic essa fome insaciável por títulos e estabelecimento de novos recordes no tênis. O sucesso significava muito para ele e para sua nação. E hoje Djokovic é um ídolo, talvez o maior de sua nação. 

Mas ser tão bom desde a juventude abriu outras portas para Djokovic, que poderiam fazer o sérvio ganhar uma nova nacionalidade. Isso porque após uma dura derrota em casa da Grã-Bretanha contra a Sérvia, na Copa Davis de 2006, a Lawn Tennis Association (LTA), órgão que regulamenta o tênis em território britânico, entrou em negociação com a família de Novak, para que ele mudasse sua lealdade internacional e ingressasse na equipe do reino

Nunca saberemos o quão incisiva foi a oferta britânica, mas o próprio Djokovic confirmou os boatos de que houve um início de conversas para sua naturalização. O que foi rapidamente rejeitado pelo atleta, como explicou em 2009, em matéria publicada pelo jornal inglês The Times

A Grã-Bretanha estava me oferecendo muitas oportunidades e eles precisavam de alguém porque Andy (Murray) era o único, e ainda é. Isso deve ser uma decepção, com todo o dinheiro que investem. Mas eu não precisava do dinheiro tanto quanto antes. Comecei a fazer alguns para mim, o suficiente para pagar uma viagem de ônibus, e disse: 'Por que diabos?' Eu sou sérvio, tenho orgulho de ser sérvio, não queria estragar isso só porque outro país tinha melhores condições. Se eu tivesse jogado pela Grã-Bretanha, é claro que teria jogado exatamente como faço pelo meu país, mas, no fundo, nunca teria sentido que pertencia (àquele lugar). Foi eu quem tomou a decisão. 

Foto: FFT

Para Djokovic, a vitória na decisão de Roland Garros 2021 significa muito mais do que mais um título. É o cumprimento de sua promessa. Ele disse que buscaria todos os grandes recordes do tênis, incluindo o de maior vencedor de Grand Slams. Se bater Tsitsipas no domingo, ele chegará ao seu 19º caneco de Major, ficando apenas um atrás de Roger Federer e Rafael Nadal. É importante destacar: o sérvio foi o primeiro tenista a bater o tenista espanhol numa semifinal em Roland Garros. 

No caso de Tsitsipas, o título de Roland Garros será o mais importante da sua curta carreira. Campeão do ATP Finals de 2019, o tenista grego entrará para a história caso levante o troféu em Paris, dando a Grécia seu primeiro título de Grand Slam, algo muito significativo para o país que criou os Jogos Olímpicos. 

Vale destacar que em 2016, no ano em que Djokovic conquistou seu primeiro título do Aberto de Tênis da França, Tsitsipas debutava no circuito profissional da modalidade. A decisão de Roland Garros 2021 será neste domingo (13) e terá transmissão do Bandsports e do SporTV, às 10h da manhã

Arte: Lucas Bueno/Surto Olímpico 


Campanha de Novak Djokovic em Roland Garros 2021 

R1: vitória contra Tennys Sandgren por 3 sets a 0 (6-2, 6-4 e 6-2) em 1h58 - confira 
R2: vitória contra Pablo Cuevas por 3 sets a 0 (6-3, 6-2 e 6-4) em 2h06 - confira 
R3: vitória contra Ricardas Berankis por 3 sets a 0 (6-1, 6-4 e 6-1) em 1h32 - confira 
Oitavas de final: vitória contra Lorenzo Musetti por ret. (6-7, 6-7, 6-1, 6-0 e 4-0) em 3h27 - confira 
Quartas de final: vitória contra Matteo Berrettini por 3 sets a 1 (6-3, 6-2, 6-7 e 7-5) em 3h28 - confira 
Semifinal: vitória contra Rafael Nadal por 3 sets a 1 (3-6, 6-3, 7-6 e 6-2) em 4h11 - confira 

Tempo em quadra: 16h42 
Sets cedidos: 4 
Games cedidos: 72 


Campanha de Stefanos Tsitsipas em Roland Garros 2021 

R1: vitória contra Jeremy Chardy por 3 sets a 0 (7-6, 6-3 e 6-1) em 2h04 - confira 
R2: vitória contra Pedro Martínez por 3 sets a 0 (6-3, 6-4 e 6-3) em 2h27 - confira
R3: vitória contra John Isner por 3 sets a 1 (5-7, 6-3, 7-6 e 6-1) em 2h38 - confira 
Oitavas de final: vitória contra Pablo Carreño Busta por 3 sets a 0 (6-3, 6-2 e 7-5) em 2h07 - confira 
Quartas de final: vitória contra Daniil Medvedev por 3 sets a 0 (6-3, 7-6 e 7-5) em 2h19 - confira 
Semifinal: vitória contra Alexander Zverev por 3 sets a 2 (6-3, 6-3, 4-6, 4-6 e 6-3) em 3h37 - confira 

Tempo em quadra: 15h12 
Sets cedidos: 3 
Games cedidos: 82 

Os confrontos diretos

Arte: Lucas Bueno/Surto Olímpico 


Arte: Lucas Bueno/Surto Olímpico 


Arte: Lucas Bueno/Surto Olímpico 

Nenhum comentário:

Postar um comentário