Surto História - O atirador sírio campeão olímpico de 'sniper americano' realmente existiu? - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Surto História - O atirador sírio campeão olímpico de 'sniper americano' realmente existiu?

Compartilhe




O filme  de 2014 ‘Sniper Americano’, um drama de guerra que conta a história real de Chris Kyle - interpretado por Bradley Cooper - sniper do exército estadunidense considerado o mais letal da história militar do país, traz um interessante antagonista: Mustafa, interpretado por Sammy Sheik, um sírio, que foi campeão olímpico no tiro esportivo e que agora é um sniper do exército inimigo e 'rival' de Kyle em número de mortes. Mas será que este atirador sírio campeão olímpico realmente existiu? 


Por ser um filme que deixa claro que é baseado em fatos reais, já que Kyle realmente existiu e o roteiro foi baseado em sua autobiografia, fica a impressão de que Mustafa também é um personagem que existiu na vida real. Mas a verdade é que ele foi inventado. Das 3 medalhas olímpicas da Síria, nenhuma foi no tiro esportivo – O país tem um bronze no boxe, uma prata no Wrestling e seu único ouro foi no atletismo, Ghada Shouaa no heptatlo em Atlanta 96. 

o único ouro olímpico da história da Síria foi ganho no heptatlo e não não tiro esportivo 

E no tiro esportivo, o país consegue mandar atletas para os Jogos mais regularmente apenas no skeet, a prova do tiro ao prato. E o único atirador sírio que poderia ter servido de ‘inspiração’ ao longa, foi Mohamed Mahfoud. Ele competiu nas Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000, e ficou na 53ª posição entre 53 competidores no rifle 3 posições. 


O primeiro a falar publicamente sobre o caso foi o historiador e membro da Associação de Historiadores Olímpicos (ISOH, em inglês) Nicholas Wolaver, que viu o filme no cinema e ficou encucado com aquele atirador sírio campeão olímpico, indo pesquisar sobre logo em seguida. Após descoberta essa ‘licença poética’ no filme, o roteirista Jason Hall, roteirista do filme, admitiu à revista “Time” que o sniper rival de Kyle se tratou de uma invenção para agregar “efeitos dramáticos” ao filme. 


Mesmo com a confirmação da invenção de ‘Mustafá’, Wolaver ainda entrou em contato com o Comitê Olímpico Sírio, que respondeu em email assinado pelo presidente da entidade na época General Mowafak Jomaa, bem chateado com o filme, que dirigido pela lenda Clint Eastwood:


” (...) Asseguramos a você que o alegado atirador olímpico no 'American Sniper', que se chama 'Mustafa', é apenas um personagem fictício, já que não temos nenhum atirador campeão olímpico como você mesmo rastreou na sua pesquisa (...) se valer de tal sugestão é uma tentativa de envolver atletas em política e na atual situação da Síria, embora nós acreditemos firmemente que o esporte deva estar separado da política e da guerra. Reafirmamos que ninguém entrou em contato com o nosso comitê e este personagem é tão somente uma propaganda midiática para distorcer o movimento olímpico na Síria, o que condenamos.”


‘Sniper americano’, apesar de ter essas licenças poéticas conhecidas para colocar 'efeitos dramáticos' no filme, foi um dos filmes de muito sucesso em seu lançamento, chegando a receber 6 indicações ao Oscar de 2015, incluindo melhor filme e melhor ator para Bradley Cooper, e ganhando uma estatueta em edição de som. 


Mais informações sobre a descoberta do sniper sírio você encontra neste link (em inglês) http://olympicringsandotherthings.blogspot.com/2015/01/the-proof-is-in.html


Fotos: Divulgação e Comitê olímpico Sírio

2 comentários:

  1. Amigo, pelo que lembro do dialogo referente ao tema, tratava-se apenas de uma "possibilidade" do atirador rival ser um ex-atleta olímpico sírio foi apenas um "boato". Como aquele o que falamos numa mesa de bar entre amigos: "ahh... dizem que eles (inimigos) tem um sniper que foi medalhista olímpico de tiro." Porém, não li o livro e não sei se essa referencia foi retirada do livro ou se foi apenas adicionada para dar um tempero a mais no filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu li o livro. e mustafar é mencionado no livro também

      Excluir