"Olimpíada dos Sonhos" - Futebol feminino é ouro e Sheilla salva contra Rússia no 14º dia; Érica Sena e 4x100 vão ao pódio - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

"Olimpíada dos Sonhos" - Futebol feminino é ouro e Sheilla salva contra Rússia no 14º dia; Érica Sena e 4x100 vão ao pódio

Compartilhe
Jogadoras da seleção do Brasil de futebol feminino comemoram gol

Com colaboração de Wesley Felix

Vamos fazer um dia-a-dia dos Jogos Olímpicos de 2020 como se eles tivessem acontecendo agora (estamos com dois dias de atraso, ou seja, estamos falando do dia 14, última sexta-feira olímpica). Ou seja, não tem coronavírus (ou teve, mas acabou rápido)! Mas como é para fantasiar, por que não sonhar alto? Vamos ter uma tendência declarada a pensar nos melhores resultados possíveis - e imaginários - para os brasileiros. 

Antes de mais nada, é uma brincadeira fantasiosa, mas as escolhas para o "Time Brasil" e os resultados são baseados nos verdadeiros potenciais dos atletas e em resultados alcançados em outras competições. Ah e para homenagear os japoneses que estão recebendo tão bem a equipe do Surto Olímpico, os nomes japoneses serão escritos da maneira correta (sobrenome antes do nome).

Venham conosco e esperamos que tudo torne-se realidade em 2021!

Relembre aqui o Dia 1Dia 2Dia 3Dia 4Dia 5Dia 6Dia 7Dia 8Dia 9Dia 10Dia 11Dia 12 e Dia 13 da Olimpíada dos Sonhos


Os Jogos Olímpicos estão chegando ao fim e com seus últimos dias vêm as decisões dos esportes coletivos tradicionais. Esta sexta-feira foi marcante para o esporte brasileiro por dois motivos em especial: o futebol feminino quebrou um jejum e finalmente comemorou um ouro olímpico, justamente em um ano em que estava desacreditado; e o vôlei de praia feminino, após um Mundial esquecível, repetiu Atlanta 1996 e levou ouro e prata.

No atletismo, o Brasil levou mais duas medalhas e já contabiliza 10 pódios, atrás apenas dos 11 do judô. O caratê brasileiro levou três atletas e volta de Tóquio com 100% de aproveitamento em medalhas e a promessa para Paris 2024 de que o sonho olímpico não acabou. 

A equipe de tênis de mesa perdeu para China, mas comemorou a prata, e quatro brasileiros garantiram finais inesperadas: handebol e vôlei feminino, com mais um show de Sheilla para salvar o jogo contra a Rússia (também em 07/08, como em Londres 2012); Hebert Conceição foi o quinto boxeador do país em final; e a maior surpresa do dia, a nova vitória do polo aquático masculino sobre a Sérvia, repetindo o resultado da Rio 2016.

O Brasil levou no 14º dia de decisões dois ouros, duas pratas e três bronzes e segue surpreendendo todos os prognósticos mais otimistas: até agora, são 17 ouros, 25 pratas e 35 bronzes, 77 medalhas computadas e mais 10 finais, garantindo ou ouro ou prata - uma delas entre duas duplas brasileiras no vôlei de praia.


Confira abaixo em detalhes o desempenho de cada um dos integrantes do time Brasil!

Sexta-feira, 7 de agosto de 2020

A equipe feminina de futebol afastou um trauma e conquistou pela primeira vez um título importante, após duas pratas olímpicas em 2004 e 2008 e o vice mundial em 2007. A vitória veio diante dos Estados Unidos, em um jogo apertado em que as brasileiras saíram em desvantagem em 1 a 0. Porém, aos 29 minutos, Marta empatou e deu um passe para Cristiane virar 10 minutos depois. Aos 46 minutos do segundo tempo, uma jogada entre Formiga e Debinha viu a atacante mandar pro gol norte-americano e sacramentar o ouro brasileiro, com 3 a 1.

No masculino, Honduras venceu Egito e garantiu a primeira medalha olímpica do pequeno país da América Central. Amanhã, El Salvador também estreia no pódio e decide o ouro contra o Brasil.


Vôlei de Praia feminino reedita decisão histórica de 1996
Na primeira de duas finais brasileiras, Ana Patrícia e Rebecca venceram um jogo apertadíssimo diante de Ágatha e Duda, com parciais de 21-19, 16-21, 15-13, em que a dupla perdedora fez mais pontos. Foi a primeira final 100% brasileira desde Atlanta 1996.

Atletismo brasileiro leva mais duas medalhas
No fim da tarde em Sapporo, Érica Sena conseguiu a medalha de bronze na marcha atlética ao se enfiar no meio do pelotão chinês - que terminou com três competidoras no top5, mas apenas a medalha de prata. O ouro foi para a equatoriana de 20 anos, Glenda Morejón, que levou o primeiro ouro do país desde Jefferson Pérez, na mesma prova no naipe masculino, em Atlanta 1996. 

Érica de Sena manteve a cabeça no lugar e seu foco foi fundamental para levar o bronze - Foto: Wagner do Carmo / CBAt

Com 1:26.48, Érica ainda bateu seu recorde brasileiro. Outras duas brasileiras completaram a prova. Elianay Pereira terminou em 39º e Viviane Lyra ficou em 42º. 

Já com sua medalha olímpica assegurada na quarta-feira, Caio Bonfim fez uma boa prova na marcha atlética 50km, mas o cansaço talvez tenha sido crucial para uma queda de rendimento na parte final, e terminou na quinta colocação. 

O norueguês Håvard Haukenes conseguiu uma surpreendente vitória, à frente do francês Yohann Diniz e do japonês Kawano Masatora.

Já no Estádio Olímpico, o revezamento 4x100 masculino, formado por Rodrigo Nascimento, Jorge Vides, Derick Silva e Paulo André fez uma belíssima prova para faturar o bronze que não é comemorado em pista desde 2000. Vitor Hugo dos Santos participou da eliminatória e deverá receber sua medalha, mas é melhor ficar de olho...

A medalha quase não veio, já que o time da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte cruzou na frente seguido pela Jamaica e Japão, com Brasil em quarto. Os Estados Unidos que lideravam a prova derrubaram o bastão na segunda troca e deram adeus à disputa. O time jamaicano foi desqualificado ainda em pista, por ter invadido a raia vizinha. 

Dirigentes do país caribenho pediram recurso, que foi negado e o Brasil pôde comemorar. No início da sessão vespertina do sábado, os integrantes do quarteto sul-americano receberão suas medalhas.

Um ano após a vitória no Mundial de Revezamentos, o mesmo time levou o bronze em Tóquio 2020 - Foto: Divulgação

Laila Domingos bateu recorde sul-americano com sua marca de 64,09 metros para terminar em sétimo lugar na final do lançamento de dardo. Depois de marcar um personal best nas eliminatórias, Altobeli Santos da Silva melhorou ainda mais sua marca nos 5.000 metros e, com 13:24.38, o brasileiro terminou em 13º lugar.

Boxe do Brasil garante cinco finais 
Último dos cinco brasileiros semifinalistas do boxe, Wanderson Oliveira repetiu o roteiro dos seus colegas e conseguiu mais uma final para o esporte nacional, ao vencer por 3 a 2 Jonas Jonas, da Namíbia, na semifinal da categoria dos 63kg. O placar foi mais apertado do que as outras lutas e o adversário será o cubano Andy Cruz, atual bicampeão mundial e dono de duas medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos. 

Tênis de Mesa confirma segunda prata
Hugo Calderano, Eric Jouti e Gustavo Tsuboi até endureceram mas não foram páreo para o dream team chinês no tênis de mesa, formado por Fan Zhendong, Xu Xin e Ma Long. A China garantiu o ouro no torneio por equipes masculina de certa maneira se vingou após não ter conseguido qualquer medalha no torneio individual masculino pela primeira vez na história do tênis de mesa nos Jogos Olímpicos.

No primeiro jogo, Calderano, número 6 do mundo e medalhista de prata no torneio individual, estreou contra Ma Long, número 3 do mundo e quarto lugar no torneio individual. Ma reverteu o resultado da semifinal ao vencer por 3 games a 1, parciais de 11-7, 8-11, 11-4, 11-6.  Gustavo Tsuboi, número 44 do mundo, perdeu para Xu Xin (2º) por 3 games a 0, parciais de 11-8, 11-2 e 11-5. 

Calderano foi destaques do Time Brasil em Tóquio 2020, com duas pratas - Foto: Aberlado Mendes / rededoesporte.gov.br

Fan Zhendong e Xu Xin definiram o confronto ao vencer Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi por 11-9, 11-8, 11-5. O Brasil, que chegou fora dos favoritos, comemorou muito a medalha de prata, segunda medalha olímpica da história da modalidade para o Brasil depois da prata de Calderano no torneio de simples.

Caratê do Brasil segue Taekwondo e sai de Tóquio com 100% de aproveitamento
Terceiro membro da equipe brasileira de caratê, Douglas Brose conseguiu levar mais uma medalha para o país. Ele competiu todo o ciclo nos 67kg, e ao não conquistar a vaga ano passado migrou para os 75kg, a fim de disputar o Pré-Olímpico Mundial. Ele não só conseguiu a vaga a Tóquio, como também fez história.

Depois de passar líder para a semifinal, perdendo apenas uma partida, ele foi surpreendido pelo húngaro Harspataki Karoly Gabor e terminou com o bronze. Foram três atletas do caratê na primeira edição olímpica. 

O caratê foi um grande sucesso nas redes sociais e nas audiências da televisão  Hoje também foi confirmado pelo Comitê Organizador de Paris 2024 que a possibilidade do caratê ser incluído nos Jogos daqui a quatro anos será discutida ainda este mês. A França levou um ouro ontem com Steven da Costa, nos 67kg.


Handebol feminino garante final inédita
A equipe de handebol feminina fez seu jogo mais brilhante em toda a campanha olímpica, para destruir a Rússia, atual campeã olímpica, por 32 a 20. O time espera manter o embalo na final de sábado, contra Países Baixos, que reeditou a final do Mundial de 2019 e passou pela Espanha por 25 a 24.


Vôlei feminino mantém sina do 07/08 e vence Rússia no sufoco
Oito anos depois da virada histórica pelas quartas de Londres 2012, Brasil e Rússia voltaram a se enfrentar em uma partida olímpica, desta vez válida pela semifinal. E mais uma vez, Sheilla fez a diferença. Rússia abriu 25-20 e 25-19 e parecia estar com um pé na final na reta final do terceiro set, ao abrir 16-12. 

Sheilla estava no banco durante todo o jogo, mas entrou e mudou completamente o panorama. Depois de salvar três match points em 24-21, o time ainda salvou outros três e ainda desperdiçou outros dois set-points antes de forçar um quarto set com 30-28.

Aposta de José Roberto Guimarães em Sheilla mais uma vez deu certo contra a Rússia em Olimpíada - Foto: FIVB

O time russo pareceu perdido na volta e Sheilla continuou com sua magia em quadra para festa de Zé Roberto Guimarães que viu seu time ir ao tie-break com 25-15. O set decisivo esteve apertado até 11 a 11, quando o Brasil embalou para fechar em 3-2 (20-25, 19-25, 30-28, 25-15, 15-11).

Na outra semifinal, EUA ganhou por 3 a 0 da Sérvia e decidirá o ouro contra o Brasil no domingo.

Polo Aquático se garante na final
Com três gols de Gustavo ‘Grummy’ e dois de Rudá Franco, o Brasil repetiu a vitória sobre a Sérvia na fase de grupos da Rio 2016, pelo mesmo placar: 6 a 5. Após um Mundial fraco em 2019, a seleção conseguiu se reinventar e surpreender o mundo e agora, já com medalha garantida, desafia a atual campeã mundial, Itália, na final.

Pentatlo Moderno 
No encerramento da disputa feminina, Maria Ieda Guimarães completou em 15º, e Priscila Oliveira terminou em 20º.


Saltos Ornamentais tem brasileiro classificado 
Isaac Souza passou com a 10º melhor marca para a semifinal da plataforma de 10 metros que será disputada no sábado.


Ginástica Ritmica tem brasileira na final 
Bárbara Domingos ficou em 10º lugar e se classificou para a final da competição individual feminina da Ginástica Rítmica e volta amanhã. Natália Gaudio foi a 13ª melhor e não está entre as finalistas. Amanhã, a equipe formada por Vitória Guerra, Deborah Medrado, Nicole Pircio, Camila Rossi e Beatriz da Silva disputa uma vaga na final.


Hipismo por equipes vê Brasil no bolo
O Brasil não ganha medalha na competição por equipes do hipismo saltos desde 2000, mas segue com chances em Tóquio. Com apenas quatro pontos perdidos, a equipe formada por Pedro Veniss, Marlon Zanotelli e Luiz Francisco de Azevedo está em quarto lugar empatados com a Alemanha, e atrás dos EUA, França e Suíça.


Canoagem velocidade em busca de seu segundo ouro
Isaquias Queiroz não precisou de muito trabalho para passar para as semifinais do C1 1000 metros ao vencer a etapa eliminatória e quartas de final. 


Relembre os dias anteriores:
Relembre as medalhas brasileiras:

17 OUROS (+1 no vôlei de praia)

25/07- Nathalie Moellhausen - Esgrima (espada feminina)
26/07- Larissa Pimenta - Judô (52kg feminino)
27/07- Pamela Rosa - Skate (street feminino)
27/07- Ícaro Miguel - Taekwondo (80kg masculino)
28/07- Mayra Aguiar - Judô (78kg feminino)
31/07- Tatiana Weston-Webb - Surfe (feminino)
31/07- Ítalo Ferreira - Surfe (masculino)
02/08- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (salto)
03/08- Martine Grael e Kahena Kunze - Vela (49er FX feminino)
04/08- Isaquias Queiroz e Erlon Souza - Canoagem Velocidade (C-2 1.000m)
04/08- Arthur Nory - Ginástica Artística (barra fixa masculina)
04/08- Augusto Dutra - Atletismo (salto com vara masculino)
05/08- Ana Marcela Cunha - Maratona Aquática (10km feminino)
06/08- Luiz Francisco - Skate (park masculino)
06/08- Darlan Romani - Atletismo (Arremesso de Peso)
07/08- Equipe feminina - Futebol
07/08- Ana Patrícia e Rebecca - Vôlei de Praia (feminino)

25 PRATAS (+1 no vôlei de praia)

26/07- Kevin Hoefler - Skate (street masculino)
26/07- Edival ‘Netinho’ Pontes - Taekwondo (68kg masculino)
27/07- Rayssa Leal - Skate (street feminino)
27/07- Henrique Avancini - Ciclismo (mountain bike masculino)
27/07- Rafaela Silva - Judô (57kg feminino)
27/07- Marcelo Chierighini, Breno Correia, Pedro Spajari, Bruno Fratus, Marco Antonio Ferreira Junior (eliminatórias), André Luís Calvelo (eliminatórias) - Natação (4x100m livre masculino)
29/07- Rafael Macedo - Judô (90kg masculino)
30/07- Marcelo Chierighini - Natação (100m livre masculino)
30/07- Ana Sátila - Canoagem Slalom (C1 feminino)
31/07- Gabriel Medina - Surfe (masculino)
31/07- Hugo Calderano - Tênis de Mesa (individual masculino)
31/07- Bruno Soares e Marcelo Melo - Tênis (dupla masculina)
31/07- Rafael Silva - Judô (+100kg masculino)
01/08- Judô (equipes mista)
02/08- Bruno Fratus - Natação (50m livre)
04/08- Jucielen Romeu - Boxe (57kg feminina)
04/08- Flávia Saraiva - Ginástica Artística (trave feminina)
04/08- Jorge Zarif - Vela (Finn)
05/08- Keno Machado - Boxe (81kg masculino)
05/08- Levantamento de Pesos - Fernando Reis (+105kg masculino)
05/08- Wagner Domingos - Atletismo (arremesso de martelo masculino)
05/08- Marlon Zanotelli - Hipismo (Saltos individual)
06/08- Caio Bonfim - Atletismo (Marcha Atlética 20km)
07/08- Ágatha e Duda - Vôlei de Praia (feminino)
07/08- Eric Jouti, Gustavo Tsuboi, Hugo Calderano - Tênis de Mesa (equipe masculina)


35 BRONZES

25/07- Nathália Brigida - Judô (48kg feminino)
25/07- Eric Takabatake - Judô (60kg masculino)
26/07- Daniel Cargnin - Judô (66kg masculino)
27/07- Leticia Bufoni - Skate (Street feminino)
27/07- Milena Titoneli - Taekwondo (67kg feminino)
27/07- Guilherme Toldo - Esgrima (florete masculino)
28/07- Ana Sátila - Canoagem Slalom (K1 feminino)
28/07- Ketleyn Quadros - Judô (63kg feminino)
28/07- Fernando Scheffer - Natação (200m livre)
30/07- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (individual geral feminino)
31/07- Anderson Ezequiel- Ciclismo (BMX Racing)
31/07- Silvana Lima - Surfe (feminino) 
31/07- Maria Suelen Altheman - Judô (+78kg feminino)
01/08- Vinicius Lanza - Natação (100m borboleta)
01/08- Marcus Vinicius D'Almeida - Tiro com Arco (individual masculino)
01/08- Patrícia Freitas - Vela (RS:X)
02/08- Robert Scheidt - Vela (Laser masculino)
02/08- Núbia Soares - Atletismo (salto triplo feminino)
03/08- Aline Silva - Wrestling (76kg livre feminino)
03/08- Flávia Saraiva - Ginástica Artística (solo feminino)
03/08- Arthur Zanetti - Ginástica Artística (argolas masculinas)
04/08- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (trave feminina)
04/08- Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino de Sá - Vela (Nacra 17 mista)
04/08- Alison dos Santos - Atletismo (400m com barreira)
04/08- Thiago Braz - Atletismo (salto com vara masculino)
05/08- Yndiara Asp - Skate (park feminino)
05/08- Laís Nunes - Wrestling (62kg livre feminino)
06/08- Gabriel Constantino - Atletismo (110m com barreira)
06/08- Pedro Quintas - Skate (park masculino)
06/08- Giullia Penalber - Wrestling (livre 57kg feminino)
06/08- Vinicius Figueira - Caratê (67kg masculino)
06/08- Valéria Kumizaki - Caratê (55kg feminino)
07/08- Rodrigo Nascimento, Vitor Hugo dos Santos, Derick Silva e Paulo André - Atletismo (4x100m masculino)
07/08- Douglas Brose - Caratê (75kg masculino)
07/08- Érica Sena - Atletismo (Marcha Atlética 20km)



10 GARANTIDAS A ESPERA DE DEFINIÇÃO DA COR

02/08- Boxe - Herbert Conceição (final da categoria 75kg masculino em 08/08)
04/08- Futebol - equipe masculina (final em 08/08)
04/08- Boxe - Beatriz Ferreira (final da categoria 60kg em 09/08)
04/08- Boxe - Wanderson Oliveira (final da categoria 63kg em 09/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla masculina (ouro e prata, decisão em 08/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla masculina (ouro e prata, decisão em 08/08)
06/08- Vôlei - masculino (final em 08/08)
07/08- Vôlei - feminino (final em 09/08)
07/08- Handebol - feminino (final em 09/08)
07/08- Pólo Aquático - masculino (final em 09/08)

Surte +

Dia 15 do “Olimpíada dos Sonhos” - 15º dia é o mais dourado da história do Brasil, com vôlei, praia, futebol e Isaquias em feito inédito

Foto: AFP

Um comentário:

  1. Gente, essa do vôlei feminino não pode nem ser considerado sonho, seria um delírio coletivo mesmo kkkkk

    ResponderExcluir