"Olimpíada dos Sonhos" - Darlan Romani, com WR, e Luizinho conquistam ouro no 13º dia; vôlei de praia garante 2 finais brasileiras - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

"Olimpíada dos Sonhos" - Darlan Romani, com WR, e Luizinho conquistam ouro no 13º dia; vôlei de praia garante 2 finais brasileiras

Compartilhe
Luiz Francisco, Heimana Reynolds e Pedro Quintas dividem pódio no skate park em fantasia de Tóquio 2020

Com colaboração de Wesley Felix

Vamos fazer um dia-a-dia dos Jogos Olímpicos de 2020 como se eles tivessem acontecendo agora (estamos com dois dias de atraso, ou seja, estamos falando do dia 13, quinta-feira). Ou seja, não tem coronavírus (ou teve, mas acabou rápido)! Mas como é para fantasiar, por que não sonhar alto? Vamos ter uma tendência declarada a pensar nos melhores resultados possíveis - e imaginários - para os brasileiros. 

Antes de mais nada, é uma brincadeira fantasiosa, mas as escolhas para o "Time Brasil" e os resultados são baseados nos verdadeiros potenciais dos atletas e em resultados alcançados em outras competições. Ah e para homenagear os japoneses que estão recebendo tão bem a equipe do Surto Olímpico, os nomes japoneses serão escritos da maneira correta (sobrenome antes do nome).

Venham conosco e esperamos que tudo torne-se realidade em 2021!

Relembre aqui o Dia 1Dia 2Dia 3Dia 4Dia 5Dia 6Dia 7Dia 8Dia 9Dia 10Dia 11 e Dia 12 da Olimpíada dos Sonhos

Se a disputa do salto com vara já havia sido sensacional, o atletismo teve mais um dia de destaque, com a quebra de três recordes mundiais no Estádio Olímpico de Tóquio. O destaque brasileiro veio com o ouro de Darlan Romani, numa prova que contou com 4 dos 5 melhores desempenhos da história do arremesso de peso.

Outra medalha brasileira no Estádio Olímpico foi conquistada por Gabriel Constantino nos 110 metros com barreira, enquanto Caio Bonfim levou a prata nos 20km da marcha atlética em Sapporo, em prova que também contou com recorde mundial.

O skate brasileiro terminou sua campanha com um ouro de Luiz Francisco e um bronze de Pedro Quintas no park masculino, totalizando sete medalhas e dois títulos, liderando o quadro de medalhas do skate.

Outro esporte fazendo sua estreia olímpica, o caratê deu duas medalhas de bronze ao Brasil em seu primeiro dia de disputas e o wrestling brasileiro levou mais um bronze, com Giullia Penalber. O esporte brasileiro que não tinha nenhuma medalha até semana passada já levou 3 em Tóquio.

Os esportes coletivos também estão começando a definir seus medalhistas e foi festa brasileira na arena do vôlei de praia no Parque Shiokaze, garantindo a primeira final verde-e-amarela desde a edição feminina de Atlanta 1996 e em dose dupla: amanhã, Ana Patrícia e Rebeca enfrentam Ágatha e Duda, e no sábado é a vez de Evandro e Bruno Schmidt brigarem pelo ouro contra Alison e Álvaro Filho. É apenas a quarta vez que o Brasil garante ouro e prata na mesma prata, após o pódio completo do skate street feminino ainda no início de Tóquio 2020.

O boxe brasileiro garantiu mais duas finais, com Beatriz Ferreira e Hebert Conceição, que seguem na disputa pelo ouro.  O vôlei masculino se classificou sua quinta final olímpica consecutiva. Ainda entre homens, o basquete e handebol perderam na semifinal e disputarão o bronze.

Foram 2 ouros, 1 prata e 5 bronzes nesta quinta-feira. No quadro de medalhas oficial o Brasil contabiliza 68 medalhas, 15 delas de ouro, 22 de prata e 31 de bronze, mas podemos acrescentar 2 de ouro e 2 de prata (no vôlei de praia) e outras 7 medalhas garantidas pelos 3 semifinalistas do boxe, futebol masculino e feminino, e tênis de mesa e vôlei masculino - 79 no total. 

Acompanhe abaixo tudo o que os brasileiros aprontaram no dia 13 de Tóquio 2020, 6 de agosto de 2020:


Darlan Romani mira no ouro olímpico no arremesso de peso, que veio da melhor forma  - Foto: Kai Pfaffenbach / Reuters

Brasil tem seu segundo recorde mundial no Estádio Olímpico

Em sua primeira tentativa na final do arremesso de peso, Darlan Romani conseguiu 22,30m, naquela que era aguardada para ser uma das disputas de medalha mais eletrizantes da história olímpica. O neozelandês Tomas Walsh fez 22,80m logo na segunda tentativa para estabelecer recorde olímpico e alcançar a liderança. O norte-americano Ryan Crouser chegou ao fim da terceira rodada com 22,91m, a frente de Walsh, Joe Kovacs (22,45m) e Romani. 

Na quarta rodada, Romani conseguiu 22,94m, batendo seu recorde sul-americano e um novo recorde olímpico. Já na quinta rodada, ele fez 22,40m e Walsh lançou o peso a 23,02m para, mais uma vez, fazer o novo recorde olímpico, deixando Romani em segundo lugar. Crouser estava com o bronze e Joe Kovacs estava em quarto lugar, com “apenas” 22,92m, sexta melhor marca da história, mas quarta melhor marca da prova.

Na última tentativa, Darlan se concentrou ao máximo e conseguiu, quase estourando o relógio de sua tentativa para arremessar o peso a incríveis 23,15m, estabelecendo novo recorde mundial, três centímetros a frente de Randy Barnes, dos EUA, de maio de 1990. Mas com o nível da prova, não dava para comemorar antes da hora. Kovacs fez 23,05m, alcançando o bronze temporário. Pois bem, Ryan Crouser fechou sua participação com 23,10m. Quando parecia com a prata garantida, Tomas Walsh conseguiu um 23,14m na última tentativa, apenas um centímetro da marca do brasileiro.

Romani fechou a prova mais espetacular do arremesso de peso com recorde mundial e ouro; Tomas Walsh foi prata, com marca melhor do que o recorde anterior. Crouser fez o quarto melhor arremesso da história, o suficiente apenas para o bronze. Kovacs, fora do pódio fez nada menos que o quinto melhor arremesso da história.

Caio Bonfim é prata e Constantino é bronze
Caio Bonfim consegue se desgarrar no pelotão rumo a medalha de prata em Sapporo - Foto: . Foto: Wagner Carmo/CBAt

Outras provas do atletismo movimentaram a quinta-feira. Durante a tarde, aconteceu a primeira prova em Sapporo, a marcha atlética de 20km, deslocada para o norte do Japão em razão do calor excessivo em Tóquio. O fator casa pode ter sido decisivo e os organizadores devem ter ficado felizes com a decisão. Com o clima propício para uma boa prova, o japonês Yamanishi Toshikazu levou o ouro, com direito a um recorde mundial, 1:16.32. 

Num pelotão de oito atletas, Caio Bonfim conseguiu se desgarrar ao final e levou a medalha de prata, numa chegada sensacional a 1:17.18, sétima melhor marca da história e novo recorde sul-americano, impedindo uma dobradinha japonesa, ficando a apenas dois centésimos a frente de Kawano Masatora. 

Entre outras finais do Estádio Olímpico, Gabriel Constantino bateu seu próprio recorde sul-americano dos 110 metros com barreira para fechar em 13.14 e conquistar a medalha de bronze, atrás apenas do jamaicano Omar McLeod e do norte-americano Grant Holloway. Eduardo Rodrigues melhorou sua melhor marca, para 13.24 e terminou em sexto lugar.

Gabriel Constantino corre rumo a medalha olímpica em Tóquio 2020 - Foto: Thiago Parmalat/CBDU


Skate encerra Olimpíada com mais um ouro brasileiro

Na última prova do skate foi uma festa brasileira e norte-americana. O australiano Keegan Palmer e o italiano Ivan Federico tiveram um ótimo campeonato, mas conseguiram apenas o 7º e 8º lugar.

No topo, o esquadrão brasileiro tentava desbancar o super favorito Heimana Reynolds e apenas na última manobra, Luiz Francisco conseguiu encantar o público e os juízes e garantiu a medalha de ouro para o skate masculino brasileiro. Pedro Quintas fez companhia a Luizinho no pódio, faturando a medalha de bronze, enquanto Pedro Barros ficou em 4º lugar. 

Reynolds garantiu a bandeira norte-americana no pódio, ao faturar a medalha de prata. Jagger Eaton em 5º e Thomas Schaar em 6º completaram os finalistas.



Wrestling do Brasil encerra campanha com terceiro bronze

Giullia Penalber estreou nas oitavas da categoria 57kg feminina da luta livre com vitória sobre Jong In-sun, da Coreia do Norte por 8 a 2. Nas quartas, Penalber perdeu pela nigeriana Odunayo Adekuoroye e passou a torcer pela adversária. Com a ida dela à final, Giulia voltou em ação diante de Iryna Kurachkina, de Belarus. Na disputa pelo bronze, vitória tranquila diante da norueguesa Grace Bullen, duas vezes campeã europeia.

Giullia Penalber conquista terceira medalha do wrestling brasileiro em Tóquio 2020 - Foto: Alexandre Loureiro/COB


Caratê estreia no programa olímpico e tem Brasil no pódio

As primeiras medalhas do caratê foram distribuídas hoje e o Brasil esteve presente em dois dos pódios, com os dois representantes na programação diária do karatê kumitê. 

Nos 67kg masculino, Vinicius Figueira venceu todos seus adversários na fase de grupos para classificar-se em primeiro e garantir a medalha. Na semifinal, ele perdeu para o egípcio Ali Elsawy por 8 a 6 e ficou com o bronze.

Já nos 55kg feminino, Valéria Kumizaki venceu a austriaca Bettina Plank e venceu a turca Serap Özçelik para terminar em segundo lugar de seu grupo, antes de cair para a taiwanesa Wen Tzu-yun na semifinal e também levar um bronze.

Valéria Kumizaki e Vinicius Figueira com seus "mascotes da sorte" na campanha ao bronze olímpico - Foto: Reprodução


Volei de Praia garante finais verde e amarela no masculino e feminino

Foi um dia mágico para as duplas brasileiras que garantiram dois ouros e duas pratas para o Brasil em Tóquio.

Evandro e Bruno Schmidt passaram com dificuldade pela dupla norueguesa número 1 do mundo, Anders Mol e Christians Sørum, que abriram 21-19 e 18-15 no placar. Os brasileiros reagiram no momento certo e fecharam com 22-20 e 15-13.

Alison e Álvaro Filho tiveram mais tranquilidade diante de Julius Thole e Clemens Wickler, em vitória de sets diretos (21-18, 21-16).

Ana Patrícia e Rebecca venceram as canadenses Sarah Pavan e Melissa Humana-Paredes, atuais campeãs mundiais, pela semifinal por 2 sets a 1, 21 a 18, 19-21 e 15-10. Ágatha e Duda venceram por sets diretos a dupla norte-americana de Alix Kineman e April Ross, parciais de 21 a 18 e 21 a 16. 



Boxe brasileiro permanece invicto nas semis e garante quarta final
O Brasil garantiu mais duas finais no boxe. Na primeira luta da sessão, Beatriz Ferreira, da categoria 60kg, venceu por decisão unânime dos árbitros a chinesa Wang Cong. A atual campeã mundial enfrenta Mira Potkonen na final. A finlandesa garantiu sua segunda medalha, após ser bronze no Rio.

Hebert Conceição conseguiu uma vitória impressionante por 3 a 2 diante do cubano Arlen López pela semifinal dos 75kg. O cubano é o atual campeão olímpico e bicampeão pan-americano, tendo vencido Conceição na final de Lima 2019.

Herbert disputará a final no sábado contra o filipino Eumir Marcial, vice-campeão no mundial de 2019, enquanto Bia disputa o título no domingo. Amanhã, o quinto semifinalista do boxe brasileiro sobe ao ringue: Wanderson Oliveira disputa vaga na final contra Jonas Jonas, da Namíbia.



Vôlei masculino garante clássico da década na final

A seleção brasileira de vôlei masculino manteve a escrita e se garantiu na quinta final consecutiva e sétima na história olímpica. O Brasil não teve dificuldades diante no Japão, garantindo uma vitória em sets diretos por 25-19, 25-20, 25-15.

O adversário na decisão será a Polônia, bicampeã mundial e que volta ao pódio olímpico, depois da conquista de 1976, única medalha até agora. A final será no sábado. Polônia e Brasil decidiram os dois últimos Campeonatos Mundiais, sempre com vitória europeia.

O Brasil esteve presente em todas as 10 finais de Mundial ou Jogos Olímpicos desde 2002 (2 ouros, 2 pratas, 3 títulos, 2 vices).



Atletismo tem revezamentos na final e Almir dos Santos em 4º
Luiz Alberto Araújo conquista novo recorde sul-americano do decatlo em Tóquio 2020 - Foto: CBAt

Foi o último dia do heptatlo, sem brasileiras, e do decatlo. Luiz Alberto Araújo alcançou os 8402 pontos para estabelecer um novo recorde sul-americano, sete anos depois daquele feito por Carlos Eduardo Chinin e terminou em 6º lugar ao final das 10 provas. Felipe Silva fez sua melhor marca pessoal, 8110 pontos e terminou em 12º lugar, enquanto José Fernando Ferreira Santana foi o 15º, com 8020, também melhor marca pessoal.

Na final do salto triplo, Almir dos Santos saltou para sua 17,60m, melhor marca de sua carreira, o suficiente para o colocar em quarto lugar. Alexsandro de Melo teve melhor marca de 17,40m na final e terminou em sexto lugar. Mateus Adão conseguiu passar pela primeira vez os 17 metros, saltando para 17,02m e terminando em décimo.

Os norte-americanos fizeram dobradinha e Hugues Fabrice Zango conseguiu a primeira medalha olímpica da história de Burkina Faso, com o 3º lugar. 

Um dos três brasileiros na final do triplo, Almir dos Santos salta para o 4º lugar em Tóquio 2020 - Foto: Na Cara do Gol MT

Juliana Campos melhorou sua melhor marca - alcançada nas eliminatórias - ao conseguir saltar para 4,70 metros e terminou em nono lugar na final do salto com vara

Nas eliminatórias da manhã, os revezamentos 4x100 metros conseguiram passar para a final. O time masculino passou em segundo de sua bateria e quarto melhor tempo, com boas chances de medalha e as mulheres tiveram o oitavo melhor tempo para a final.

Já na sessão noturna, Thiago André conseguiu passar para a final dos 1.500 metros com o melhor tempo dos que não estavam classificados 



Basquete cai na semi para Espanha e disputa bronze com Argentina

O Brasil chegou a fazer um jogo parelho contra a Espanha e esteve na frente do marcador durante o último quarto, mas sofreu uma virada e perdeu por 73 a 67. Na decisão do bronze, que encerra o basquete masculino no sábado a noite - sim, é isso mesmo, já que por pressão da NBC a final será de manhã -, o Brasil enfrenta a Argentina. 

Na fase preliminar, o Brasil chegou a abrir 64 a 54 mas a Argentina forçou a prorrogação e venceu por 88 a 80. EUA e Espanha duelam pelo ouro.



Handebol também luta pelo bronze

Outro time coletivo brasileiro que caiu nas semifinais foi o do handebol masculino. O Brasil esteve a frente do placar durante o jogo todo, mas sofreu uma virada nos instantes finais, caindo para a Islândia por 24 a 22. Brasil enfrenta a Espanha, atual bicampeã europeia, pela disputa de uma medalha inédita. Islândia e Alemanha definem o ouro. 



Pentatlo Moderno

Os quatro brasileiros na competição estrearam bem na fase de classificação da esgrima, mas sem grandes destaques. No feminino, Maria Ieda Guimarães terminou o primeiro dia em 20º, duas posições a frente de Priscila Oliveira.

Já na prova masculina, Danilo Fagundes foi o 18º melhor na prova de esgrima, enquanto Felipe Nascimento ocupa a 30ª colocação.


Canoagem Velocidade

Valdenice Conceição terminou em oitavo lugar na final do C-1 200m. O destaque ficou para a chilena María Mailliard, que levou o bronze e se tornou a segunda mulher de seu país a vencer uma medalha olímpica, depois da prata de Marlene Ahrens, no lançamento de dardo de Melbourne 1956. 


Maratona Aquática

Victor Colognese, medalha de bronze no Pan de Lima 2019 ficou em 15º lugar na prova masculina. Ontem, Ana Marcela Cunha foi a campeão no feminino.

Relembre os dias anteriores:
Relembre as medalhas brasileiras:

15 OUROS (+2 no vôlei de praia)

25/07- Nathalie Moellhausen - Esgrima (espada feminina)
26/07- Larissa Pimenta - Judô (52kg feminino)
27/07- Pamela Rosa - Skate (street feminino)
27/07- Ícaro Miguel - Taekwondo (80kg masculino)
28/07- Mayra Aguiar - Judô (78kg feminino)
31/07- Tatiana Weston-Webb - Surfe (feminino)
31/07- Ítalo Ferreira - Surfe (masculino)
02/08- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (salto)
03/08- Martine Grael e Kahena Kunze - Vela (49er FX feminino)
04/08- Isaquias Queiroz e Erlon Souza - Canoagem Velocidade (C-2 1.000m)
04/08- Arthur Nory - Ginástica Artística (barra fixa masculina)
04/08- Augusto Dutra - Atletismo (salto com vara masculino)
05/08- Ana Marcela Cunha - Maratona Aquática (10km feminino)
06/08- Luiz Francisco - Skate (park masculino)
06/08- Darlan Romani - Atletismo (Arremesso de Peso)

22 PRATAS (+2 no vôlei de praia)

26/07- Kevin Hoefler - Skate (street masculino)
26/07- Edival ‘Netinho’ Pontes - Taekwondo (68kg masculino)
27/07- Rayssa Leal - Skate (street feminino)
27/07- Henrique Avancini - Ciclismo (mountain bike masculino)
27/07- Rafaela Silva - Judô (57kg feminino)
27/07- Marcelo Chierighini, Breno Correia, Pedro Spajari, Bruno Fratus, Marco Antonio Ferreira Junior (eliminatórias), André Luís Calvelo (eliminatórias) - Natação (4x100m livre masculino)
29/07- Rafael Macedo - Judô (90kg masculino)
30/07- Marcelo Chierighini - Natação (100m livre masculino)
30/07- Ana Sátila - Canoagem Slalom (C1 feminino)
31/07- Gabriel Medina - Surfe (masculino)
31/07- Hugo Calderano - Tênis de Mesa (individual masculino)
31/07- Bruno Soares e Marcelo Melo - Tênis (dupla masculina)
31/07- Rafael Silva - Judô (+100kg masculino)
01/08- Judô (equipes mista)
02/08- Bruno Fratus - Natação (50m livre)
04/08- Jucielen Romeu - Boxe (57kg feminina)
04/08- Flávia Saraiva - Ginástica Artística (trave feminina)
05/08- Keno Machado - Boxe (81kg masculino)
05/08- Levantamento de Pesos - Fernando Reis (+105kg masculino)
05/08- Wagner Domingos - Atletismo (arremesso de martelo masculino)
05/08- Marlon Zanotelli - Hipismo (Saltos individual)
06/08- Caio Bonfim - Atletismo (Marcha Atlética 20km)


31 BRONZES

25/07- Nathália Brigida - Judô (48kg feminino)
25/07- Eric Takabatake - Judô (60kg masculino)
26/07- Daniel Cargnin - Judô (66kg masculino)
27/07- Leticia Bufoni - Skate (Street feminino)
27/07- Milena Titoneli - Taekwondo (67kg feminino)
27/07- Guilherme Toldo - Esgrima (florete masculino)
28/07- Ana Sátila - Canoagem Slalom (K1 feminino)
28/07- Ketleyn Quadros - Judô (63kg feminino)
28/07- Fernando Scheffer - Natação (200m livre)
30/07- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (individual geral feminino)
31/07- Anderson Ezequiel- Ciclismo (BMX Racing)
31/07- Silvana Lima - Surfe (feminino) 
31/07- Maria Suelen Altheman - Judô (+78kg feminino)
01/08- Vinicius Lanza - Natação (100m borboleta)
01/08- Marcus Vinicius D'Almeida - Tiro com Arco (individual masculino)
01/08- Patrícia Freitas - Vela (RS:X)
02/08- Robert Scheidt - Vela (Laser masculino)
02/08- Núbia Soares - Atletismo (salto triplo feminino)
03/08- Aline Silva - Wrestling (76kg livre feminino)
03/08- Flávia Saraiva - Ginástica Artística (solo feminino)
03/08- Arthur Zanetti - Ginástica Artística (argolas masculinas)
04/08- Rebeca Andrade - Ginástica Artística (trave feminina)
04/08- Alison dos Santos - Atletismo (400m com barreira)
04/08- Thiago Braz - Atletismo (salto com vara masculino)
05/08- Yndiara Asp - Skate (park feminino)
05/08- Laís Nunes - Wrestling (62kg livre feminino)
06/08- Gabriel Constantino - Atletismo (110m com barreira)
06/08- Pedro Quintas - Skate (park masculino)
06/08- Giullia Penalber - Wrestling (livre 57kg feminino)
06/08- Vinicius Figueira - Caratê (67kg masculino)
06/08- Valéria Kumizaki - Caratê (55kg feminino)


11 GARANTIDAS A ESPERA DE DEFINIÇÃO DA COR

02/08- Boxe - Herbert Conceição (final da categoria 75kg masculino em 08/08)
03/08- Futebol - equipe feminina (final em 07/08)
04/08- Futebol - equipe masculina (final em 08/08)
04/08- Boxe - Beatriz Ferreira (final da categoria 60kg em 09/08)
04/08- Boxe - Wanderson Oliveira (semifinal da categoria 63kg em 07/08)
05/08- Tênis de Mesa - equipe masculina (final em 08/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla masculina (ouro e prata, decisão em 08/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla masculina (ouro e prata, decisão em 08/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla feminina (ouro e prata, decisão em 07/08)
05/08- Vôlei de Praia - dupla feminina (ouro e prata, decisão em 07/08)
06/08- Vôlei - masculino (final em 08/08)



Foto de capa: Conteúdo Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário