Semana agitada no atletismo tem quebras de recordes e novas lideranças na temporada em três continentes - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Semana agitada no atletismo tem quebras de recordes e novas lideranças na temporada em três continentes

Compartilhe

O atletismo segue proporcionando finais de semana agitados para o esporte olímpico. Desta vez, além da Europa, os Estados Unidos e o Japão também realizaram competições, com a participação de muitos medalhistas mundiais e olímpicos, alguns fazendo suas estreias no ano. Bons desempenhos foram vistos nos três continentes, com quebras de recordes nacionais e novas lideranças da temporada.

Suécia
A começar pela Europa, onde o sueco Armand Duplantis, atual recordista mundial no salto com vara, fez sua primeira aparição em solo nacional depois de quase um ano. Ele conseguiu 5,94m em Gotemburgo, e se manteve na liderança do ranking da temporada outdoor. O jovem, de 20 anos, já era dono da melhor marca do ano, com 5,86m, feita nos Jogos Impossíveis, no início do mês.

Havia uma expectativa para o confronto entre Duplantis, medalhista de prata no último Mundial, e o polonês Piotr Lisek, bronze no Mundial. No entanto, Lisek teve um mau desempenho e só conseguiu saltar para 5,35m. A segunda colocação ficou com o norueguês Pal Haugen Lillefosse, atual campeão europeu sub-20, que saltou para 5,60m.
Além de Duplantis, duas suecas, líderes do ranking de suas respectivas disciplinas, também competiram em Gotemburgo. Michaela Meijer venceu a disputa feminina do salto com vara com 4,60m, abaixo dos 4,72m feitos na última semana. Khaddi Sagnia registrou 6,64m no salto em distância (sua melhor marca é de 6,81m, de duas semanas atrás).

Outro que é dono da melhor marca da temporada (70,25m), o sueco Daniel Stahl, atual campeão mundial do lançamento de disco, também competiu no final de semana, mas em Hasselby, a quatrocentos quilômetros de Gotemburgo. Ele venceu a disputa com 66,55m, superando seu compatriota Simon Pettersson por apenas 23 centímetros (66,32m).


Estados Unidos

Depois de Portland realizar um evento com provas de meio fundo no meio de semana, foi a vez da Flórida abrir a temporada para os velocistas nos Estados Unidos. A bahamense Shanae Miller-Uibo, campeã olímpica nos 400m rasos, e os americanos Noah Lyles e Justin Gatlin, campeões mundiais em 100m e 200m foram algumas das atrações.

Miller-Uibo teve os melhores tempos nas provas dos 200m (22.61s) e 400m rasos (50.52s), assumindo a liderança da temporada em ambas. A norte-americana Sha'Carri Richard, foi outra que conseguiu o melhor tempo do ano, nos 100m. Bicampeã da NCAA na distância, ela correu para 11.05s na final.

Lyles e Gatlin competiram pela primeira vez desde o Campeonato Mundial de Doha, realizado em outubro passado e já quebraram a barreira dos dez segundos nos 100m rasos. Ele fez 9.93s, deixando Gatlin, na segunda colocação, com 9.99s. Apesar de ótimas, as marcas não foram ratificadas porque o vento estava acima do permitido (4 m/s).

Numa bateria eliminatória, o também norte-americano Trayvon Brommell, medalhista de bronze nos 100m rasos em 2015, teve sorte e pegou um vento mais leve (1.6 m/s). Ele correu para 10.04s, seu tempo mais rápido desde a final olímpica na Rio-2016.  Kenny Bednarek foi outro que teve um bom desempenho nas eliminatórias, fazendo um personal best de 10.23s. Pouco tempo depois, ele ainda fez 20.06s nos 200m, melhor marca da temporada geral.

Japão
O país-sede dos Jogos Olímpicos realizou sua primeira competição de atletismo desde a Maratona de Tóquio, realizada em março. Em Shibetsu, o queniano Ronaldo Kwemoi, finalista no último Mundial, fez a melhor marca da temporada geral nos 1.500m, com 3:38.33. O compatriota Justus Soget ficou em segundo com 3:39.23 (terceira melhor marca da temporada). No feminino, a japonesa Nozomi Tanaka, campeã mundial sub-20 nos 3.000m, fez seu personal best nos 1.500m, com 4:08.68.

Resto da Europa
Em Arnhel, nos Países Baixos, teve quebra de recorde nacional nos 400m com barreiras. Femke Bol, campeã europeia sub-20 na distância, fez 54.47 e também assumiu a liderança da temporada geral. O recorde neerlandês estava intacto desde 1998, quando ela ainda nem era nascida.

Polônia e Áustria viram dois confrontos de alto nível em provas de campo. Em Varsóvia, na Polônia, campeão europeu e vice no arremesso de peso se enfrentaram. Vitória do campeão, Michal Haratyk que obteve seu melhor lançamento da temporada com 21.26m, mais de um metro acima da marca de Konrad Bukowiecki (20,21m).



Em Eisenstadt, na Áustria, dois dos destaques do lançamento de disco na atual temporada se enfrentaram: o austríaco Lukas Weisshaidinger e o esloveno Kristjan Ceh. O anfitrião se deu melhor e venceu com 64,22m, proporcionando a primeira derrota do jovem Ceh na temporada. O recordista esloveno acabou com 63,51m.

Balazs Vindics foi o grande destaque de uma série de competições de pista em Veszprem, na Hungria. Ele fez seu melhor tempo da carreira nos 800m, com 1:46.18, melhor marca europeia na temporada - superando Jakob Ingebrigtsen -, e terceira melhor do mundo. No feminino, a alemã Cristina Heing também assumiu a liderança do ranking europeu nos 800m, com 2:03.27, a melhor marca do pós-pandemia na distância, feita em Lucerne, na Suíça.

Surte + Veja os principais resultados do atletismo da última semana

Foto: Reprodução/YouTube

Nenhum comentário:

Postar um comentário