Italo Ferreira bate Medina, é campeão da Newcastle Cup e vira líder da WSL - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Italo Ferreira bate Medina, é campeão da Newcastle Cup e vira líder da WSL

Compartilhe


*Com Wesley Felix

Italo Ferreira se sagrou campeão da Newcastle Cup, a segunda etapa da Liga Mundial de Surfe (WSL), encerrada no início da madrugada deste sábado (10), na Austrália. Numa competição marcada por domínio da Brazilian Storm, o potiguar derrotou o paulista Gabriel Medina na grande decisão e, de quebra, assumiu a liderança do ranking mundial


Antes de chegar à final, os dois compatriotas precisaram passar por outras duas fases neste sábado. Medina superou o campeão mundial de 2015, Adriano de Souza, o Mineirinho, nas quartas, e bateu o australiano Morgan Cibilic, sensação do torneio, nas semifinais, com direito à melhor onda do torneio. Já Italo só enfrentou adversários brasileiros, deixando Deivid Silva e Filipe Toledo pelo caminho.



Na grande decisão, reunindo os dois últimos campeões mundiais do circuito, o detalhe fez a diferença. Mesmo Medina tendo a melhor onda da bateria (8,60), Italo foi mais consistente e demonstrou regularidade para vencer por 14,94 (7,77 e 7,17) a 13,27 (8,60 e 4,67). O campeão encarou dez ondas e descartou um 6,33 e um 5,33, enquanto o vice teve 11 ondas e um 4,67 como segunda nota.


A final foi praticamente definida nos dez primeiros minutos de bateria, com o mar muito agitado. Medina fez uma manobra com duas cravadas velozes, consideradas excelentes pelos juízes, e recebeu o seu 8,60. Italo respondeu com dois aéreos, que levantaram o público mas não ganharam altitude e resultaram em um 7,17 e outro 6,33


Com as ondas em alta, as manobras no ar passaram a ser muito utilizada por ambos. Para Medina, um nom aéreo o colocaria na frente, descartando a sua nota de backup que era apenas 4,67, enquanto para Italo a manobra lhe deixaria mais folgado a frente. O potiguar até tentou um backflip na metade do duelo, porém não obteve sucesso.


Sem encaixar mais ondas boas, os finalistas não movimentaram mais o placar até o final. Nos últimos segundos, Medina encontrou uma onda com potencial, partiu para sua última chance de virada, mas acabou com notas baixas. Assim, Italo ficou com o título da etapa e repetiu o feito da última competição do circuito de 2019, em Pipeline, quando também venceu o paulista na final, sagrando-se campeão mundial na ocasião.



Com a conquista, Italo assumiu a liderança do ranking mundial da temporada. Além do título na primeira etapa da perna australiana, ele já havia sido terceiro colocado na primeira competição da temporada, o Pipe Masters, realizada ainda em dezembro do ano passado. O potiguar soma 16.085 pontos, sendo seguido por Gabriel Medina, com 15.600 pontos. 


Campeão da primeira etapa, John John Florence caiu para a terceira colocação geral após ser eliminado de forma precoce em Newcastle. O sul-africano Jordy Smith, o japonês Kanoa Igarashi e o australiano Ryan Callinan estão empatados em quarto lugar, com 8.065 pontos. Filipe Toledo fecha o top-7, com 7.415 pontos.


Entre as mulheres, a campeã foi a havaiana Carissa Moore, que não tomou conhecimento da anfitriã Isabela Nichols e a derrotou na final por 15,73 a 8,34. Ela ainda garantiu a melhor onda da disputa feminina, com 9,50.


A próxima etapa também da WSL está marcada para começar já na próxima quinta-feira (15), também na Austrália, mas agora em Narabeen, na região de Sydney. A competição terá como convidado a lenda do surfe Mick Fanning.


Foto: Cait Miers/WSL

Nenhum comentário:

Postar um comentário