WSL em Newcastle, dia 3: Yago Dora e Ítalo Ferreira brilham em suas baterias, enquanto Cibilic impõe derrota dura a Florence - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

WSL em Newcastle, dia 3: Yago Dora e Ítalo Ferreira brilham em suas baterias, enquanto Cibilic impõe derrota dura a Florence

Compartilhe


A etapa de Newcastle (AUS) do Circuito Mundial de Surfe (WSL) retornou nesta quarta-feira (07), com as disputas da fase de 16 avos. O dia foi marcado pela confirmação de favoritismo por parte de Gabriel Medina e Ítalo Ferreira e pelas grandes apresentações de Filipe ToledoYago Dora e do australiano Morgan Ciblic. Ao todo, o Brasil garantiu cinco representantes nas oitavas de final.


Medina abriu o dia contra o australiano Connor O'Leary. Logo no início da bateria, conseguiu uma boa manobra, recebendo 7,33, enquanto o australiano, em onda parecida, não conseguiu ter o mesmo desempenho e ficou com apenas 4,83. Essas foram respectivamente a maior pontuação de cada um, já que nenhum deles conseguiu encantar os juízes depois, classificando o bicampeão para a próxima fase.


Logo na sequência, outro brasileiro campeão mundial entrou em cena. Em disputa pouco acirrada, Adriano de Souza, o Mineirinho enfrentou o francês Jeremy Flores e classificou com apenas quatro ondas pegas, tendo um 5,00 e um 5,93, contra onze tentativas do adversário, que não conseguiu manobras que saltassem os olhos dos juízes, chegando no máximo a um 3,87.


A quinta bateria começou e para, quem acompanhava, assistiu a um espetáculo. O anfitrião Morgan Cilic, logo em sua primeira onda conseguiu a nota 8,10, enquanto o havaiano John John Florence também na primeira tentativa arrancou 7,83 dos juízes.


Em sua terceira manobra, Cilic recebeu 7,60 e deixou toda a pressão para Florence, que não conseguiu ondas boas o suficientes para passar o adversário. Como grand finale, o australiano encerrou sua participação com a onda do dia, arrancando aplausos de quem estava na areia e a nota 9,03 dos juízes. Os últimos três minutos da série foram mera formalidade, pois John John não tinha como virar a série.


Quem também levantou o público foi Yago Dora, que disputou a bateria contra Jack Freestone. Mesmo não começando bem, o brasileiro virou o duelo nos minutos finais, com uma manobra que levantou o público e agradou os juízes, que deram 7,17 pra ele.


O primeiro brasileiro eliminado foi Miguel Pupo, que enfrentou Owen Wright. Mesmo com dificuldade para encontrar ondas boas durante grande parte da bateria, o paulista chegou a liderar a série, mas o australiano conseguiu encaixar uma manobra a dois minutos do fim, que lhe rendeu um 4,93, suficientes para despachar Pupo. 


Ítalo Ferreira competiu também com um australiano, Jackson Baker. Eles deram sorte de ter uma série muito melhor que a anterior, com ondas maiores e mais constantes. Com duas notas redondas, um 5,00 e um 7,00 logo nas primeiras tentativas, Ítalo estava tranquilo para se classificar, mas levou um susto no final. Baker conseguiu uma boa manobra nos segundos finais e saiu comemorando, mas o brasileiro respondeu logo em seguida. A decisão ficou na mão dos jurados, que deram 5,70 pro australiano e 5,80 para Ítalo, classificando o atual campeão mundial para a próxima fase.


Na bateria exclusiva da Brazilian Storm, Caio Ibelli e Deivid Silva não tiveram muita sorte com as ondas e também não impressionaram os juízes. Deivid se classificou com 4,60 e 5,90, contra 5,27 e 3,47 recibos por Caio.


Alex Ribeiro enfrentou o sul-africano Jordy Smith. O brasileiro começou com dificuldades, porém achou uma onda boa e conseguiu um aéreo, que o deixou precisando de uma onda considerada regular pelos juízes para passar, porém, ele não achou uma onda que o ajudasse a conseguir a pontuação necessária e foi eliminado. 


Na bateria seguinte contra o norte-americano Conor Coffin, o brasileiro Peterson Crisanto teve o mesmo problema, precisando de uma nota na casa dos sete pontos para classificar. Ele arrancou dos jurados um 6,80 e acabou eliminado.


Na última bateria da noite e uma das mais esperadas, Filipe Toledo enfrentou o italiano Leonardo Fioravanti, que surfou a onda do dia na segunda feira. Para esta disputa, até o mar ajudou, com ondas melhores em relação as outras baterias. Os dois surfistas fizeram boas manobras no início, com os juízes avaliando melhor a performance de Toledo. Ainda não satisfeito, o brasileiro deu um show de aéreos, sendo devidamente reconhecido com notas 8,00 e 8,23. Filipe estava tão inspirado que tinha mais duas manobras com pontuação o suficiente para classificá-lo.


A WSL pretende voltar nesta quinta-feira (08), com chamada prevista para às 17h45, horário de Brasília, para realizar as quartas de final feminina e as oitavas de final masculinas. Vale lembrar que a brasileira Tatiana Weston-Webb foi eliminada entre as mulheres.


Foto: WSL/Tony Heff

Nenhum comentário:

Postar um comentário