Egito supera favoritos e leva título em casa no Campeonato Mundial Juvenil de Esgrima - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Egito supera favoritos e leva título em casa no Campeonato Mundial Juvenil de Esgrima

Compartilhe
Esgrimistas do Egito comemoram Título Mundial Juvenil por Sabres


A esgrima egípcia está em alta recentemente e conseguiu um grande feito em sua história nesta segunda-feira (5). Depois da medalha de bronze de Ahmed Elsayed na Copa do Mundo de Espada em março, e do bronze de Adham Moataz no juvenil individual deste sábado, o país teve uma atuação de gala para levar o título mundial no juvenil por equipes masculina sobre a favorita Rússia. Pelo feminino, medalha de ouro para a Coreia do Sul


O Mundial Juvenil e Cadete de Esgrima continua até domingo com as disputas de florete e espada. Nesta terça-feira acontecem as disputas de florete juvenil. A partir das 3h30, Gabriella Vianna, Laura Papaiano, Talia Calazans e Valentina Bardi disputam o título feminino. Pelo masculino, Guilherme Murray, Loreno Mion, Paulo Morais e Ricardo Pacheco entram em pista a partir  das 5h40.


Como foi a campanha egípcia rumo ao ouro

O Egito estreou na segunda rodada com vitória sobre Hong Kong e depois passou pela Polônia nas quartas e derrotou com extrema facilidade os EUA por 45 a 31 nas semis.


Na final conta a Rússia, o campeão mundial individual Kirill Tyulyukov entregou a segunda rodada de confrontos com uma vitória por 10 a 7; em seguida, o medalhista de bronze no individual Adham Moataz venceu por 8 a 1 o seu duelo contra o russo Artem Terekhov para por o Egito na frente, com 15 a 11, liderança que nunca mais perdeu.

Na Esgrima, Egito e Rússia disputam mundial juvenil de sabre


No sábado, Adham Moataz tinha uma boa vantagem na semifinal para desafiar o eventual campeão Kirill Tyulyukov, mas acabou perdendo o confronto e a chance de desafiar o russo. No sexta round, ele exibiu uma esgrima sublime para vencer o rival por 5 a 1 e  ampliar a liderança egípcia para 30 a 23. A partir daí foi questão de administrar o confronto até que Mazen Elraby segurou Tyulyukov para fechar o confronto por 45 a 38.


Surte+ Raio-X da Esgrima em Tóquio 2020: confira os 90 atletas de 32 países já garantidos


Coreia do Sul conquistou o título feminino em vitória sobre a seleção norte-americana por 45 a 31. A vantagem chegou a ser de 30 a 8, mas os EUA, liderados por Zoe Kim, bronze cadete no sábado conseguiram ter três últimas rodadas de sucesso. 


Outro susto passado pelas coreanas foi na semifinal, em que abriram 37 a 23 diante da Turquia, mas com uma 'vitória' sublime de Nisanur Erbil, prata juvenil na sexta-feira, por 17 a 5, provocaram o empate em em 39-39, antes de Jeon Hayoung - ouro individual em final contra Erbil - fechar por 45 a 29.


Romênia que havia sido derrotada pelos EUA por 45 a 42 na semifinal, virou a chave e venceu  a Turquia por 45 a 40, comemorando muito a medalha de bronze. 


Campanhas do Brasil no Mundial de Sabre 

A equipe feminina do Brasil fez bonito mais cedo, conquistando o 13º lugar, melhor classificação de qualquer equipe de sabre feminino na história. 


Na disputa de bronze masculina, França derrotou os EUA por 45 a 41 em um confronto de altos e baixos para a equipe norte-americana. O Brasil teve azar na estreia contra o Azerbaijão e terminou em 17º lugar. Saiba mais aqui.


O técnico da seleção Rodrigo Baldin salientou a importância do feito alcançado pelo time feminino e na superação de Isabela Chen, que melhorou durante a sua participação e foi fundamental na conquista do 13º lugar histórico“Pela primeira vez nossas sabristas conseguiram avançar do primeiro quadro, dessa vez contra a Índia. Depois foram jogos duros, primeiro contra Rússia e depois contra Polônia, com nossas atletas buscando o melhor. E depois, com esse mesmo padrão, elas conquistaram duas excelentes vitórias sobre Cazaquistão e Uzbequistão, que também eram equipes fortes. Estamos muito orgulhosos de todas, mas é muito importante destacar o desempenho da Isabela Chen, jovem cadete, que fez uma partida incrível contra Uzbequistão, conquistando 16 toques para o Brasil na vitória apertada de 45 a 44. Toda nossa equipe sentiu essa energia que a levou a Isa a superar as adversidades, mesmo na categoria acima e com dores no cotovelo. Foram nossas guerreiras”, afirmou Baldin.


Surte+ Matheus Becker é destaque brasileiro no Mundial cadete de sabre


Pietra Chierighini declarou que saiu contente do torneio. “Estamos muito felizes. Nunca tínhamos conseguido um resultado assim antes. Acho que, em geral, jogamos muito mais nesses últimos combates. Contra a Polônia, eu e a Luana tentamos buscar no finalzinho, mas não deu. Contra o Cazaquistão, mudamos demais o modo como entrávamos em pista, tudo estava se encaixando. A Isa se destacou com os contra-ataques e deixou as meninas do Uzbequistão irritadas. No final focamos e vencemos”, analisou Pietra Chierighini.


Surte +: Gosta de nosso trabalho? Participe da campanha em prol do jornalismo esportivo independente e Ajude o Surto Olímpico a carimbar sua vaga e estar em Tóquio!

Fotos: Augusto Bizzi / Federação Internacional de Esgrima (FIE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário