Equipe feminina de sabre do Brasil vence três jogos no Mundial Juvenil de Esgrima e faz história - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Equipe feminina de sabre do Brasil vence três jogos no Mundial Juvenil de Esgrima e faz história

Compartilhe


Ao complemento das competições de sabre no Mundial Cadete e Juvenil de Esgrima realizado no Cairo, o Brasil teve seu destaque com a participação da seleção juvenil feminina que venceu três jogos e perdeu apenas dois, terminando na 13º posição. Foi a melhor colocação da história de uma equipe brasileira de sabre feminino em mundiais.  A seleção masculina teve azar de enfrentar o Azerbaijão na estreia e terminou apenas em 17º lugar.


Surte+ Russo domina Campeonato Mundial Juvenil de sabre e Matheus Becker é destaque dentre sete esgrimistas do Brasil no individual


Na estreia, a equipe feminina do Brasil venceu a Índia por 45 a 35, estando sempre a frente do placar. Nas oitavas de finais, o time brasileiro desafiou a principal favorita Rússia e caiu por 45 a 22, com Luana Pekelman, no dia em que completa 18 anos, se destacando ao aplicar 13 dos pontos totais da equipe sul-americana. 


Na primeira rodada do torneio de consolação, o Brasil chegou a estar atrás da Polônia por 35 a 17, mas Pietra Chierighini e Luana Pekelman mostraram incrível poder de recuperação para vencer suas rodadas por 11 a 5 e 9 a 5, mas não impedindo o placar final de 45 a 37 para os europeus. 


Time de sabre feminino juvenil do Brasil, com Pietra Chierighini, Isabela Chen e Luana Pekelman (da esq. para dir.)- Foto: Augusto Bizzi / Federação Internacional de Esgrima (FIE)


Contra o Cazaquistão, a vantagem alternou-se entre os dois países, mas no momento em que estava 30 a 26, Isabela Chen, que não marcou muitos pontos na primeira rodada, cresceu e teve bom desempenho, enquanto  Chierighini e Pekelman tiveram últimas rodadas sólidas para dar a segunda vitória do Brasil ao dia, com 45 a 41.


Mais emocionante ainda foi o confronto diante do Uzbequistão, em que o Brasil chegou a estar atrás por 10 a 6, mas Isabela Chen iniciou a recuperação a partir da terceira rodada e Pietra Chierighini colocou o Brasil a frente (20-17) para não mais largar da liderança, a não ser por um breve momento. Fechando o confronto, Luana Pekelman recebeu em 40 a 39 e teve muito sangue frio para sacramentar a vitória em 45 a 44, dando o 13º lugar para o Brasil.


Surte +: Raio-X da Esgrima em Tóquio 2020: confira os 90 atletas de 32 países já garantidos


Na disputa do título mundial juvenil de sabre, Coreia do Sul e Turquia se enfrentam pela primeira semifinal e EUA e Romênia decidem a segunda finalista ainda nesta manhã.

Time de sabre masculino juvenil do Brasil, com Matheus Becker, Renato Saliba, Rodrigo Baldin (um dos técnicos, ao fundo), Marcos Gomez e Gabriel Vasques (da esq. para dir.) - Foto: Augusto Bizzi / Federação Internacional de Esgrima (FIE)


Já pela competição masculina, o Brasil teve um início ruim diante do Azerbaijão e viu o adversário abrir primeiro 20 a 10 e 30 a 17. Porém, na última rodada o país conseguiu equilibrar o jogo, com Renato Saliba mantendo o placar (35 a 22) e depois Gabriel Vasques diminuindo a vantagem (40 a 29), e apesar de Matheus Becker marcar 10 toques contra 5 na última rodada, o Azerbaijão consolidou a vitória por 45 a 39 e o Brasil terminou em 17º lugar. O país também contou com Marcos Gomez na equipe.


Nas semifinais que serão disputadas a partir de 10h40, horário de Brasília, EUA, principal favorito do torneio, enfrenta os anfitriões Egito, enquanto Rússia e França duelam pela segunda vaga. O torneio continua até o próximo domingo (11), com as disputas de florete e espada.


Surte +: Gosta de nosso trabalho? Participe da campanha em prol do jornalismo esportivo independente e Ajude o Surto Olímpico a carimbar sua vaga e estar em Tóquio! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário