Nathan Torquato chega à semi e afegã vai para repescagem na estreia do taekwondo em Paralimpíada - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Nathan Torquato chega à semi e afegã vai para repescagem na estreia do taekwondo em Paralimpíada

Compartilhe

Nathan torquato de uniforme chuta colega em treino

Nathan Torquato
já conquistou o melhor resultado de sua carreira, mas agora quer ir além. O taekwondo faz estreia nos Jogos Paralímpicos e já neste primeiro dia, o Brasil assegurou vaga nas semifinais da categoria até 61kg da K44. Ele derrotou o burundês Parfeit Hakizimana, da Equipe de Refugiados Paralímpica (RPT) e o japonês Tanaka Mitsuya para alcançar a semifinal na noite desta quarta-feira (1). Às 6:15 da manhã de quinta (2), ele desafia o italiano Antonino Bossolo em busca do ouro paralímpico.


Surte+ Entenda as várias categorias e as regras do Taekwondo no nosso Guia dos Jogos Paralímpicos


Contra Parfeit, Nathan foi, com perdão do trocadilho, perfeito. No primeiro round, Torquato disse a que veio e abriu impressionantes 16 a 0. Com vitória de 4 a 0 na segunda parcial, ampliou o marcador para 20 a 0. No terceiro tempo, viu o adversário que vive e treina no Ruanda marcar os primeiros pontos mas ainda assim venceu por 7 a 4, finalizando o placar por 27 a 4.


Nas quartas, diante do japonês Tanaka Mitsuya, da categoria K43, com um grau de comprometimento maior, saiu atrás mas logo virou e terminou o primeiro tempo já na frente, liderando por 19 a 9. Com vitórias ampla no segundo tempo, por 22 a 10 e 17 a 5, finalizando com uma vitória indiscutível por 58 a 24.

Nathan Torquato sorri ao morder a medalha de ouro e segura mascote
Aos 18 anos, Nathan Torquato foi campeão dos Jogos ParaPan-Americanos em Lima 2019


O italiano Antonino Bossolo, vice-campeão mundial em 2015, será o adversário de Torquato. Natural de Palermo, ele será uma parada dura, pois foi o responsável pela eliminação de Bolor Erdene Ganbat, atleta da Mongólia quatro vezes campeão mundial, pelo placar de 40 a 28. Na primeira rodada, Bossolo venceu por 64 a 30 o uzbeque Zukhriddin Tokhirov.


Em caso de vitória ele disputará a final às 9:15. Em caso de derrota, ele luta pelo bronze contra o vencedor da repescagem a partir das 8:15.


Afegã vai para a repescagem do torneio

Pela categoria 49kg feminina da K44, a afegã Zakia Khudadadi chegou a liderar por 6 a 3 em sua estreia, mas caiu para a uzbeque  Ziyodakhon Isakova. Ela ainda venceu o primeiro tempo por 6 a 5, mas sofreu virada da uzbeque e perdeu por 17 a 12 em sua estreia. Ela volta às 5h para a disputa da repescagem diante da ucraniana Viktoriia Marchuk, cinco vezes campeã mundial, que caiu para a russa Anna Poddubskaia, por 63 a 34.


A participação da atleta foi considerada descartada depois que o país afundou em uma guerra civil em julho de 2021 e o Comitê Paralímpico Afegão disse ser impossível enviar uma delegação. Mas com ajuda da comunidade internacional, Khudadi, Hossain Rasouli, e o chefe de missão Arian Sadiqui conseguiram chegar com segurança na capital japonesa para a disputa dos Jogos Paralímpicos. 


Com 22 anos, ela diz que sua maior inspiração foi assistir as medalhas olímpicas de Rohullah Nikpai, bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012. Ela foi a primeira atleta do taekwondo  a disputar os Jogos e apenas a segunda mulher a representar o Afeganistão, depois de Mareena Karim nos 100m rasos T46 do atletismo em Atenas 2004. 


Surte+ Saiba mais sobre a história esportiva e olímpica do Afeganistão na Parada das Nações


Foto: Alê Cabral / Comitê Paralímpico do Brasil (arquivo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário