Com Thiago Braz e campeões mundiais inscritos, Mônaco abre temporada "oficial" da Diamond League nesta sexta - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Com Thiago Braz e campeões mundiais inscritos, Mônaco abre temporada "oficial" da Diamond League nesta sexta

Compartilhe
Thiago Braz saltando na etapa de Mônaco da Diamond League em 2019

Por Wesley Felix e Danilo Goes

O atletismo mundial volta com força nesta semana. Após remarcações e cancelamentos por conta da crise sanitária do Covid-19, a Diamond League - circuito que reúne os principais atletas do mundo - começa oficialmente na próxima sexta-feira (14), na etapa de Mônaco. O único brasileiro a competir será Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara.

Serão 14 provas, oito para os homens e seis para as mulheres. No masculino, teremos: salto com vara, 110m com barreiras, 800m, 400m com barreiras, 1.500m, 5.000m, 200m e 3.000m com obstáculos; e no feminino, haverão as disputas do salto em altura, salto triplo, 5.000m, 100m, 400m, 1.000m

Além do brasileiro, estão inscritos para a prova do salto com vara os atuais campeão e vice mundial, Sam Kendricks (USA) e Armand Duplantis (SWE). Kendricks saltou para 5,81m na temporada outdoor, enquanto Duplantis é o dono da melhor marca mundial, com 5,94m. Fecham a lista o belga Ben Broeders, os franceses Thibaut Collet e Valentin Lavillenie, o italiano Claudio Michel Stecchi e o filipino John Ernest Obiena.

Esta será a segunda competição oficial de Thiago Braz na temporada outdoor. Há dez dias, ele venceu um meeting em Trieste, na Itália, com a marca de 5,50m. O brasileiro tem boas lembranças no Hérculis, a etapa de Mônaco da Diamond League. No ano passado, no mesmo Stade Louis II, ele saltou para 5,92m, sua melhor marca em todo o ciclo olímpico.

Nos 110m com barreiras, um duelo entre os donos das três melhores marcas do ano: o britânico Andrew Pozzi (13.30), o suíço Jason Joseph (13.34) e o estadunidense campeão mundial Grant Holloway (13.35). Medalhistas de bronze no último Mundial, o francês Pascal Martinot-Lagarde e o espanhol Orlando Ortega também competirão em Mônaco.

Outra prova interessante será o salto em altura feminino, que terá sete nomes, entre eles a ucraniana Yaroslava Mahuchikh, que saltou 2,04m no Mundial de Doha 2019, ficando com a prata aos 18 anos. Favorita na prova, a jovem atleta ainda não tem resultados este ano. Quem deve brigar pelo ouro na etapa é a também ucraniana Yuliya Levchenko, que possui 2,02m como sua melhor marca pessoal (3ª no ranking de 2019). Décima no ranking mundial de 2019, a búlgara Mirela Demireva é outro grande nome confirmada na prova.

Nos 800m masculino, destaque para o norte-americano Donavan Brazier, líder do ranking mundial de 2020, com 1:43.84. Ele é o único dos principais nomes desta prova que chegarão em Mônaco já tendo marcas oficiais este ano. Ferguson Cheruiyot Rotich, do Quênia, e Amel Tuka, da Bósnia e Herzegovina, terminaram 2019 como números 4 e 5 do ranking mundial, respectivamente. Os três são os únicos na listagem inicial da prova a terem marcas abaixo de 1:43.00.

A venezuelana Yulimar Rojas é uma das estrelas mundiais do atletismo confirmada na etapa diamante. Ela é bicampeã mundial do salto triplo e vem fazendo história. Yulimar ainda não saltou oficialmente este ano, mas ano passado fez 15,41m, ficando a nove centímetros do recorde mundial de Inessa Kravets (UKR) de 1995.

Uma das provas mais cheias será os 5000m feminino. Hellen Obiri (KEN) e Konstanze Klosterhalfen (GER) são os principais destaques. Obiri é atual campeã mundial, enquanto Konstanze foi bronze. Representando os Países Baixos, Sifan Hassan - campeã mundial em 2019 nos 1500m e 10000m - também merece ser relatada na lista divulgada da prova. Ao todo, serão 14 competidoras no Stade Louis II.

Warholm em competição dos 400m com barreiras
Karsten Warholm é o atual campeão bicampeão mundial nos 400m com barreiras (Eirik Forde/Bislett Alliance)
Nos 400m com barreiras masculino, o destaque é todo para Karsten Warholm. O norueguês de 24 anos tem o segundo melhor tempo da história da prova, com 46.92, feito em 2019. Terminou o ano como líder do ranking mundial e com o bi mundial em Doha. Quem promete brigar com a sensação da prova é o turco Yasmani Copello, bronze na Rio 2016.

A velocista Marie-Josée Ta Lou, da Costa do Marfim, é mais uma dos grandes nomes do atletismo a marcar presença na etapa monegasca. Ela estará em evidência nos 100m feminino, prova que tem seis europeias entre as oito competidoras na pré-lista. Ta Lou deve brigar com a americana Aleia Hobbs, detentora de 11.16 este ano, a décima melhor marca de 2020.

A prova dos 1500m masculino promete ser uma das mais disputadas da competição. Dos dez melhores atletas do ranking mundial de 2019, cinco estão na lista inicial, incluindo os irmãos Ingebrigtsen (NOR), o líder e campeão mundial de 2019, Timothy Cheruiyot (KEN), o britânico Charlie Da'vall Grice e o polonês Marcin Lewandowski, bronze no mundial de Doha.

Irmãos Ingebrigtsen no Campeonato Europeu de atletismo em Berlim 2018
Os irmãos Ingebrigtsen marcarão presença na Diamond League de Mônaco; Jakob e Filip competirão nos 1.500m, enquanto Henrik disputará os 5.000m (European Athletics)

No 400m feminino, Wadeline Jonathas (USA) é o principal nome. Ela foi quinta do ranking mundial de 2019 e terá pela frente sua compatriota Lynna Irby e a neerlandesa Femke Bol, que fez o melhor tempo de sua vida em julho, com 51.13.

Dezesseis competidores estão relacionados para a prova dos 5000m masculino. Os principais nomes ficam por conta de Joshua Cheptegei, da Uganda, e Nicholas Kimeli, do Quênia. Eles ficaram com a  sexta e sétima melhor marca de 2019, respectivamente.

Noah Lyles é o mais novo "queridinho" do atletismo mundial. O velocista estadunidense é o principal nome da prova dos 200m em Mônaco. Atual campeão mundial da prova, ele tem feito bons tempos esse ano tendo, inclusive, o melhor da temporada com 19.94. Corre por fora Ramil Guliyev, da Turquia. Ele marcou 19.86 em 2019, a quinta melhor marca do ano.

Na última prova do meeting de Mônaco, o 3.000m com obstáculos masculino promete um bom encontro, de cinco dos dez melhores tempos de 2019 na prova. Um dos favoritos é o marroquino Soufiane El Bakkali, que tem a melhor marca da vida registrada justamente no Stade Louis II, em Mônaco, no ano de 2018. Ele levou o bronze no Mundial de 2019 e terá o etíope Lamecha Girma, que levou a prata no mesmo mundial, como principal concorrente.

Etapas de exibição na Diamond League
A etapa de Mônaco será a primeira competição oficial do principal circuito de atletismo do mundo, muito afetado pela pandemia. Ocorreram dois eventos exibitórios, os Jogos Impossíveis e Jogos da Inspiração, em substituição às respectivas etapas "tradicionais" de Oslo (NOR) e de Zurique (SUI).

De etapas "tradicionais", serão realizadas quatro, além dessa de Mônaco: Estocolmo (SWE), no dia 23 de agosto; em setembro, estão previstas as etapas de Bruxelas (BEL) e de Roma/Nápoles (ITA), para 4 e 7, respectivamente, além de Doha (QAT), em 25.

Continental Tour abre temporada internacional da World Athletics

O Continental Tour é o novo circuito mundial de meetings da Federação Internacional. Dividido em qualidade do evento e pelo prêmio oferecido, o Continental Tour tem etapas ouro, prata e bronze. A nova competição ainda não teve o primeiro evento ouro por conta do novo coronavírus. Entretanto, os Paavo Nurmi Games - etapa gold (segundo evento mais importante depois da Diamond League) - terão início nesta terça-feira (11), em Turku (FIN).

A etapa finlandesa terá 13 eventos, seis para homens e sete para mulheres. Nos 100 masculino destaques para o francês Christophe Lemaitre, o britânico Chijindu Ujah e o italiano Lamont Marcell Jacobs, que já correu para 10.10 esse ano. 

Nos 110m com barreiras, o líder do ranking mundial, Andrew Pozzi, fará um duelo pessoal contra o Pascal Martinot-Lagarde (FRA), que ainda não tem marca em 2020.

Daniel Stahl lançando disco em competição em 2020
Daniel Stahl é o dono da melhor marca do ano, com 71,36m (Thomas Windestam)

No lançamento de disco, uma das disputas mais aguardadas da competição, envolvendo os dois últimos campeões mundiais, Daniel Stahl (SWE) e Andrius Gudzius (LTU), e a revelação da temporada, Kristjan Ceh (SLO). Juntam-se a eles o finlandês medalhista de bronze em Sydney-2000, Frantz Kruger, e o sueco Simon Pettersson, que também tem tido bons resultados na sombra de Stahl. 

No lançamento de dardo, o alemão Johannes Vetter, bronze no último Mundial, enfrenta o compatriota Andreas Hofmann e o sueco Kim Amb. A briga é boa e pode render uma disputa interessante. 

Entre as mulheres, destaque especial para os 100m com barreiras, em que veremos Nadine Visser, dos Países Baixos, a única europeia finalista no último Mundial; a finlandesa Annimari Korte, que já correu 11 vezes abaixo dos 12 segundos na atual temporada; e a jovem francesa Solène Ndama, uma das promessas da disciplina.

Foto: Denis Balibouse/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário