Últimas Notícias

Parada das Nações - Tailândia


Sigla: THA 

Medalhas na história - Ouro: 10 | Prata: 8 | Bronze: 17 | Total: 35

Em Tóquio... Ouro: 1 | Prata: 0 | Bronze: 1 | Total: 2

Primeira participação olímpica - Helsinque 1952

Maior medalhista olímpico - Manus Boonjumnong (boxe), uma de ouro e uma de prata

A Tailândia fica no sudoeste asiático, e em 23 de junho de 1939, deixou de chamar-se Sião e adotou seu nome atual. Em 2014, o país sofreu um Golpe de Estado e é desde então comandado por uma junta militar, liderada pelo Rei Maha Vajiralongkorn, que ascendeu ao trono em 2016. É o 50º maior país do Planeta em extensão territorial, e o 20º mais populoso. A culinária tailandesa é uma das mais famosas do mundo, e o cinema também faz força a cultura local.

PARADA DAS NAÇÕES - REPÚBLICA TCHECA

Desde que começou a participar dos Jogos Olímpicos, a Tailândia só ficou de fora das Olimpíadas de Moscou de 1980 em apoio ao boicote liderado pelos Estados Unidos aos jogos Soviéticos. A maior delegação tailandesa foi a dos Jogos de Tóquio em 1964 e do Rio de Janeiro em 2016, com 54 atletas. A melhor participação da Tailândia ocorreu em Atenas 2004, quando o país conquistou três ouros e um total de oito medalhas. 

A primeira medalha olímpica veio em Montreal-1976 com Payao Poontarat que conquistou o bronze no Boxe, na categoria até 48 kg. O primeiro medalhista de ouro foi Somluck Kamsing no Boxe, pela categoria até 57 kg. 

Até o momento, a Tailândia está levando para Paris 50 atletas, 24 homens e 26 mulheres, em 16 esportes diferentes.


Esportes fortes

Boxe: esporte que de longe deu o maior número de medalhas olímpicas para a Tailândia. Foram 15 na história, sendo quatro delas de ouro. Destaque para Manus Boonjumnong, campeão olímpico em 2004 e vice em 2008. 

Levantamento de Pesos: ao todo foram três medalhas douradas para o país na história olímpica do levantamento de peso e um total de sete pódios. Prapawadee Jaroenrattanatarakoon foi ouro em Pequim 2008, último tailandês a subir no lugar mais alto do pódio no esporte.

Taekwondo: Panipak Wongpattanakit foi medalhista de bronze na Rio-2016, e foi a única tailandesa a conquistar a medalha de ouro na última edição dos Jogos. Ambas as conquistas foram na categoria até 49 kg. Além dessas duas medalhas de Panipak, o Taekwondo deu outras quatro medalhas olímpicas para o país, sendo uma de ouro. 

Manus Boonjumnong e Panipak Wongpattanakit. Foto: Bangkok Post.


Destaques

Ratchanok Intanon (Badminton): aos 29 anos, a atleta é uma das mais renomadas atletas do Badminton mundial. Medalhista em diversos torneios importantes, ainda busca a sua primeira medalha em Jogos Olímpicos. Soma em seu cartel mais de 470 vitórias, e foi a número 1 do ranking em 2016, atualmente ocupa a 13ª colocação.

Panipak Wongpattanakit (Taekwondo): Panipak chega mais experiente com 26 anos, e na bagagem duas medalhas olímpicas (ouro e bronze), e uma das, se não a principal atleta na atual delegação. Em 2023, conquistou 3 medalhas de ouro em Grand Slam e uma prata no Mundial de Baku. 

Jutamas Jitpong (boxe): Jitpong é um dos principais nomes da forte seleção de boxe que a Tailândia enviará para os Jogos Olímpicos. Com uma prata e um bronze nos mundiais do último ciclo, ela deve brigar pelo pódio em Paris.

Theerapong Silachai (Levantamento de Pesos): Campeão mundial na categoria 55kg em 2022, Silachai subiu de categoria e vai tentar lutar pelo pódio olímpico em um peso maior e com outros adversários em Paris

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar