Equipes de florete alcançam melhor campanha do Brasil no Mundial Juvenil de Esgrima - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Equipes de florete alcançam melhor campanha do Brasil no Mundial Juvenil de Esgrima

Compartilhe
Brasil esgrima florete feminino juvenil mundial Tania Calazans, Valentina Baldi, Gabriella Vianna e Laura Papaiano


O Brasil teve um bom desempenho nas disputas por equipes para encerrar a participação do país no florete do Mundial Juvenil e Cadete de Esgrima. O time feminino terminou em 11º lugar, melhor colocação do Brasil até agora na competição, enquanto o time masculino chegou perto, ficando em 12º lugar, tendo cada seleção disputado quatro partidas cada, pegando ritmo depois de um ano sem competições na categoria. O Mundial continua na sexta-feira, no Cairo (EGY), com oito brasileiros em pista para o primeiro dia de espada.


Surte+ Ajude o Surto Olímpico a fazer uma cobertura olímpica direto de Tóquio!


O time feminino de florete juvenil do Brasil estreou diretamente nas oitavas, onde enfrentou de cara uma pedreira, a Ucrânia. Tania Calazans, Valentina Baldi, Gabriella Vianna e Laura Papaiano não foram páreo para o fortíssimo time europeu e acabaram derrotadas em 45 a 21.


Uma disputa eletrizante com o México garantiu a primeira vitória para o Brasil no torneio feminino já pelo torneio de consolação, com o placar final de 45 a 42. Gabriella Vianna, que já havia sido destaque individual tanto no torneio juvenil quanto no cadete, recebeu o confronto em 10 a 6 atrás para entregar em 15 a 14. Algo parecido teve que fazer Tania Calazans, melhor brasileira no torneio juvenil, que virou um 20 a 18 em 25 a 23. A partir daí, o Brasil administrou o confronto e conseguiu fechar em 45 a 42.


Brasil Ucrânia esgrima florete feminino Gabriella Vianna


Em seguida, o Brasil teve um jogo de altos e baixos contra a Turquia. Tania Calazans abriu o placar para 5 a 3, e Gabriella Vianna chegou a entregar em 15 a 13, mas foi a última vez que o país fechou uma parcial na frente. Laura Papaiano conseguiu botar o Brasil de volta para a briga no sétimo round, recebendo o confronto com 24-30 atrás e entregando para 31-32. Porém, no final, a turca Alisa Isbir se destacou para superar o Brasil por 45 a 40.


Surte+ Prata no Pan de Lima, canadense de 15 anos é campeã mundial cadete no florete


Fechando o dia, o Brasil disputou o 11º lugar contra a Argélia. O duelo parecia tranquilo, até que Meriem Mebaraki fez o melhor desempenho do dia ao virar de 18 a 13 para 24 a 23, vantagem argelina que persistiu até o fim. Foi quando Tania Calazans recebeu o confronto em 36 a 37 e contra a mesma Mebaraki, virou o marcador para 45 a 40, garantindo a melhor classificação do Brasil até então.  


Entre os homens, o Brasil descobriu que não enfrentaria mais o Uzbequistão na estreia, e sim, os Emirados Árabes Unidos, resultando numa vitória tranquila para a equipe sul-americana por 45 a 16. O destaque individual foi para Ricardo Pacheco, que concedeu apenas três toques, assim como Paulo Morais que fez 15 toques contra 5. Classificado para as oitavas, o Brasil sofreu na pele o placar oferecido na primeira rodada e caiu por 45 a 16 para a Federação Russa.


Guilherme Murray Paulo Morais Ricardo Pacheco Lorenzo Mion brasil esgrima


Na disputa de 9º a 16º lugar, um caminho similar ao feminino: primeiro uma vitória apertada contra a Eslováquia, por 45 a 42, em que o Brasil chegou a ter uma vantagem de 35 a 22, e depois uma derrota com placar próximo para a Espanha, levando o país a disputa do 11º lugar.


Nos primeiros duelos individuais, dava tudo certo para o Brasil: Ricardo Pacheco abriu o marcador em 5 a 2, e Lorenzo Mion aumentou o placar para 10 a 6, e Paulo Morais manteve a vantagem em 15 a 11. Porém, pouco a pouco a Espanha ultrapassou o Brasil, que não conseguiu voltar a frente. A aproximação ao final não foi suficiente para evitar a derrota por 45 a 43.


No confronto contra Uzbequistão, o Brasil saiu atrás e viu a ex-república soviética aumentar sua vantagem pouco a pouco, até parecer ter dominado o confronto em 35 a 20. Porém, um milagre começou a se desenhar no Cairo.


Surte+ Rússia e EUA levam títulos no florete juvenil e ampliam domínio no Mundial de Esgrima


Primeiro, Paulo Morais fez 11 a 5 no oitavo round para trazer o confronto para 40 a 31 e, depois Ricardo Pacheco apertou ainda mais o marcador, deixando os adversários com uma vantagem mínima de 44 a 43 faltando um minuto. Porém, com bom jogo defensivo Mukhammad Yusuf Asranov conseguiu segurar o marcador e pontuar nos segundos finais, fechando o confronto por 45 a 43, mas com desvantagem no confronto individual por 12 a 5 diante de Ricardo Pacheco.


Nesta sexta-feira acontece o primeiro de três eventos da espada, para encerrar as disputas do Mundial Juvenil e Cadete de Esgrima. Carolina Checheliski, Clara Amaral, Giorgia Giordano e Victoria Vizeu disputam o torneio feminino juvenil a partir das 03h30, horário de Brasília, enquanto Leandro Seini, Lucas Busnardo, Mauricio Pellegrino e Tarcisio Mendes buscam o título masculino a partir das 04h50.


Fotos: Augusto Bizzi / FIE

Um comentário:

  1. Excelente reportagem, muito construtiva para as categorias de base e para o florete. Parabéns. Se possível, solicito correção do nome da atleta TaLia Calazans (e nao Tânia).

    ResponderExcluir