Etíope quebra recorde mundial indoor dos 1500m; Rosângela Santos e Alexsandro Melo são destaques brasileiros na França - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Etíope quebra recorde mundial indoor dos 1500m; Rosângela Santos e Alexsandro Melo são destaques brasileiros na França

Compartilhe
Gudaf Tsegay

A temporada indoor na europa seguiu a todo vapor nesta terça-feira (9) com o Meeting de Liévin, no norte da França. Enquanto os principais holofotes estavam na constelação de estrelas do salto com vara, a etíope Gudaf Tsegay quebrou o recorde mundial indoor nos 1.500m feminino, enquanto o jovem norueguês Jakob Ingebrigsten dominou a prova masculina. Rosangela Santos e Alexsandro Melo foram os destaques brasileiros. Gabriel Constantino e Thiago Braz também representaram o país no torneio. 


Rosangela Santos obteve melhor marca da carreira nos 60 metros rasos, com 7 segundos e 17 centésimos, atrás das estadunidenses Javianne Oliver, vencedora com 7.10 - mesma marca alcançada em Metz no sábado (6) – e Dezerea Bryant, terceira melhor com 7.21. A prova não é disputada nas Olimpíadas, mas serve como atestado da boa marca de Rosangela, que buscará medalha em Tóquio nos 100m rasos e no revezamento 4x100m.




Em uma prova forte, que teve as duas melhores marcas da temporada, Alexsandro Melo terminou em quarto lugar no salto em distância, com 7,46m. O cubano Juan Miguel Echevarria precisou da última tentativa para produzir seu melhor salto e vencer com 8,25m. O atual campeão europeu indoor Miltiadis Tentoglou, da Grécia, terminou em segundo com 8,21m, igualando antiga melhor marca da temporada. Thobias Montler, da Suécia, ficou em em terceiro com 8,03m.


Gabriel Constantino conseguiu sua melhor marca da temporada, com 7,70m, mas ficou apenas em décimo lugar e não passou para a final dos 60 metros com barreiras. Na final, Grant Holloway venceu com 7.32 segundos, estabelecendo novo recorde dos EUA. O francês Wilhem Belocian ficou em 2º (7.52s) e o italiano foi o 3º mais rápido (7.55). O decatelta Kevin Mayer, medalhista de prata na Rio 2016, campeão mundial em 2017 e atual recordista mundial da prova mais completa do atletismo, ficou em oitavo lugar na final e fez sua melhor marca da carreira nas eliminatórias: 7.68. Na disputa feminina, Nadine Visser venceu com 7.91, mesmo tempo de Christina Clemons, dos EUA e Nooralotta Neziri, da Finlândia, que ficaram em 2º e 3º respectivamente.


Surte+ Objetivo do saltador Alexsandro Melo é brigar por medalha em Tóquio


Thiago Braz, campeão olímpico no salto com vara na Rio 2016, terminou em quinto lugar saltando 5,60m. Ele não conseguiu passar do sarrafo em 5,74m e ficou de fora da disputa das medalhas. O recordista mundial e maior sensação da prova, Armand ‘Mondo’ Duplantis, que defende as cores da Suécia, saltou tranquilamente para 5,86m, mas preferiu não continuar por uma lesão que sofreu no aquecimento. O norte-americano Christopher Nilsen que saltou para 5,93m no sábado (6) em Rouen, também saltou para 5,86m nesta terça-feira (9), em Liévin, e terminou em segundo lugar, não conseguindo ultrapassar o jovem de 21 anos. O terceiro lugar ficou Renaud Lavillenie, francês campeão olímpico em 2012, que conseguiu 5,80m. O polonês Piotr Lisek ficou em quarto, com 5,74m.


Recorde mundial indoor nos 1.500 metros feminino



O norueguês Jakob Ingebrigtsen segue sendo a sensação das provas de meia distância masculina. Ele dominou por completo a prova dos 1.500m. É a quinta melhor marca indoor de todos os tempos. O polonês Marcin Lewandowski terminou em segundo com 3:36.83, e o espanhol Mohamed Katir foi o terceiro, correndo com 3:36.89. Irmão mais velho de Jakob, Filip Ingebrigtsen terminou apenas em 12º lugar com 3:40.09. Olha a vantagem que ele abriu diante de Lewandowski:


Já na prova feminina, disputada já no fim da noite na França, a etíope Gudaf Tsegay bateu o recorde mundial indoor com a marca de 3:53.09 e confidenciou na entrevista depois da prova que é amiga da coelha, responsável por estabelecer o ritmo da prova, e sabia que estava indo mais rápida do que era o previsto. As britânicas Laura Muir (3:59.58) e Melissa Courtney Bryant (4:04.79) ficaram em 2º e 3º respectivamente. A também etíope Genzee Dibaba que tinha o recorde mundial indoor com 3:55.17, mantém o recorde mundial geral com 3:50.07 feito ao ar livre, em 2015. Confira o momento do recorde:

 

A disputa de arremesso de peso feminino abriu o programa, Auriol Dongmo foi a grande vencedora, com a marca de 19,18m, próxima da sua melhor marca de 19.65 alcançada em Karlsruhe, Alemanha, no último 29 de janeiro. Ela nasceu em Camarões, país pela qual foi campeã africana duas vezes e é a atual recordista africana, mas representa Portugal desde 2020. Christina Schwanitz terminou em segundo com 18,93m enquanto Raven Saunders alcançou 18,66m. 


O etíope Getnet Wale chegou muito perto do recorde mundial indoor dos 3000m e venceu com 7:24.98, apenas oito centésimos acima da melhor marca de todos os tempos, do queniano Daniel Komen, que fez 7:24.90 em Budapeste, em 06/02/1998. O time etíope dominou a prova, com os quatro melhores correndo abaixo de 7 minutos e 30 segundos: Selemon Barega ficou em 2º com 7:26.10, Lamecha Girma, em 3º, com 7:27.98, Berihu Aregawi em 4º, com 7:29.24.


Atletas da Grã Bretanha e Irlanda do Norte dominaram os 800m rasos: Jemma Reekie foi a mais rápida na disputa feminina, correndo a marca em 2:00.64, a frente da etíope Habitam Alemu (2:00.86) e da norueguesa Hedda Hynne (2:00.92). Na prova masculina, o britânico Elliot Giles foi o vencedor com 1:45.49, a frente do queniano Cornelius Tuwei (1:46.88) e do belga Elliot Crestan (1:46.93).


Lemlem Hailu, recordista mundial juvenil dos 1.500m, venceu os 3.000m feminino correndo em 8:32.55, a frente da neerlandesa Sifan Hassan (8:33.62) e da queniana Beatrice Chepkoech (8:34.21). Hallu não só marcou a melhor marca da temporada mas também entrou para o top20 histórico da categoria disputada prioritariamente em campeonatos indoors.



Um dos grandes nomes do evento em Liévin, Hugues Fabrice Zango confirmou o favoritismo e venceu a prova do salto triplo com 17,82m. O atleta de Burkina Faso, que quebrou o recorde mundial indoor este ano,  teve dificuldades para entrar na prova, errando as três primeiras tentativas e fazendo um salto conservador na quarta corrida, antes de enfim produzir a marca campeã. O francês Melvin Raffin terminou em segundo com 16,94m.

  

No salto com vara feminino, a campeã olímpica Katerina Stefanidi terminou em segundo lugar, saltando 4.63m. A britânica Holly Bradshaw levou o título com a marca de 4,73m, dando prosseguimento à boa fase que lhe deu o título de Rouen no sábado (6), com 4,85m. A grega teve a mesma marca de Iryna Zhuk, de Belarus, terceira melhor do dia.


Surte+ SurtoLista - 7 atletas brasileiros que se aposentaram em 2020


Fotos: Jean-Pierre Durand / World Athletics

Nenhum comentário:

Postar um comentário