Diamond League de Mônaco tem quebra de recordes continentais e mundial e melhores marcas do ano em dez provas - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Diamond League de Mônaco tem quebra de recordes continentais e mundial e melhores marcas do ano em dez provas

Compartilhe

Aconteceu nesta sexta-feira (14), no estádio Louis II, em Mônaco, a primeira etapa "oficial" da Diamond League, o principal circuito do atletismo do mundo. Reunindo a nata do esporte, a competição viu exibições de alto nível, com quebras de recordes (pessoais, continentais e mundiais) e melhores marcas do ano em dez das 14 provas disputadas (!). Para que você fique por dentro de todos esses desempenhos, o Surto Olímpico fez um giro e destacou os principais resultados nesse resumão.

Antes, pontuamos duas provas. Primeiro, o salto com vara, onde o brasileiro Thiago Braz, que fez sua segunda aparição na temporada. O campeão olímpico registrou um único salto válido para 5,50m e terminou na última colocação da prova (entre cinco competidores). A vitória ficou com o sueco Armand Duplantis, que conseguiu 6,00m, melhor marca do ano. Os detalhes você encontra aqui

Dos saltos, passamos às corridas, onde o ugandense Joshua Cheptegei fez história. Ele quebrou o recorde mundial nos 5.000m, com 12:35.36, derrubando uma marca que estava de pé havia mais de 16 anos. O queniano Kipkorin Nicholas Kimeli foi o segundo colocado, com um recorde pessoal de 12:51.78, se inserindo como o 29º atleta mais veloz da história na distância. 


Provas rápidas  

110m com barreiras masc: Em uma prova muito forte, foram estabelecidos dois recordes pessoais e uma liderança de temporada. O espanhol Orlando Ortega venceu com 13.11, destronando o britânico Andrew Pozzi na liderança da temporada, que acabou em segundo, com 13.14, igualando a melhor marca da carreira. O francês Wilhem Belocian foi o terceiro com 13.18 (PB) e o campeão mundial Grant Holloway foi o quarto, com 13.19.

400m com barreiras masc: Nem pareceu que o norueguês Karsten Warholm estava fazendo sua primeira corrida oficial de 400m com barreiras depois da conquista do bicampeonato mundial em outubro passado. Ele voou para vencer a prova com 47.10, segundo melhor tempo de sua carreira, e a quase dois segundos do turco Yasmani Copello. A marca de Warholm foi a melhor da temporada.

200m rasos masc: Imbatível, Noah Lyles venceu os 200m rasos com 19.76 (+0,7m/s), também a melhor marca mundial do ano. Na corrida desta sexta, ele venceu seu irmão Josephus Lyles, que correu para 20.30. Na temporada, o campeão mundial ultrapassou em quatro centésimos a marca do compatriota Kenneth Bednarek, registrada no início da semana.

Noah Lyles em defesa ao movimento Vidas Negras Importam(Matthew Quine/Diamond League)
 Foi a segunda competição de Noah na distância na temporada outdoor. Apesar da boa marca, ele ganhou destaque por imitar o icônico gesto de John Carlos e Tommie Smith, feito na Olimpíada de 1968, ao erguer os punhos antes e depois da corrida, em defesa ao movimento "Vidas Negras Importam". Ele também ganhou palco nos últimos dias por revelar seu estado depressivo.

100m fem: Uma surpresa na prova mais veloz do atletismo feminino. Sensação da temporada, Ajla del Ponte venceu com 11.16 (+0,4m/s), deixando pra trás nomes como o da estadunidense Aleia Hobbs (11.28) e da marfinense Marie-Josée Ta Lou (11.39). A suíça bateu três recordes pessoais e dois nacionais no último mês.

400m fem: Em uma das provas mais fracas da competição monegasca, vitória de Lynna Irby, dos Estados Unidos, com 50.50. Ainda assim, foi a melhor marca da temporada outdoor, superando em dois centésimos o tempo da campeã olímpica Shaunae Miller-Uibo (50.52), registrado há três semanas.
 

Provas de meio-fundo/fundo

1.500m masc: Numa prova fortíssima, os sete primeiros colocados estabeleceram as sete melhores marcas mundiais da temporada. O campeão foi o queniano Timothy Cheruiyot, atual campeão mundial na distância, com 3:28.45 (a 0.04 de seu PB), seguido pelo norueguês Jakob Ingebrigtsen, que quebrou o recorde europeu com 3:28.68, superando a marca de Mo Farah, de 2013 (também feita em Mônaco), e chegou ao oitavo melhor tempo de todos os tempos na prova.


Ver essa foto no Instagram

JAKOB INGEBRIGTSEN ROMPE EL RÉCORD DE EUROPA DE MO FARAH! Jakob Ingebrigtsen establece un nuevo récord de Europa en la distancia de 1500 metros con un impresionante tiempo de 3'28''68!!! El noruego de 19 años, llegó en la segunda posición en los 1500m de la Diamond League de Monaco, por detrás del keniano Timothy Cheruiyot que ganó con 3'28''45 (muy cerca de su PB de 3'28''41) Tambien gran carrera para el británico Jake Wightman, logrando su mejor marca personal y quinta mejor marca historica de Europa con 3'29''47 (anterior 3'31''87), llegando tercero por delante de Filip Ingebrigtsen que marcó 3'30''35. Top 6, mejores marcas de la historia europea en 1500m: 1 Jakob Ingebrigtsen NOR 3'28''68 2 Mo Farah GBR 3'28''81 3 Fermin Cacho ESP 3'28''95 4 Mehdi Baala FRA 3'28''98 5 Jake Wightnan GBR 3'29''47 6 Steve Cram GBR 3'29''67 Resultados: 1 Timothy Cheruiyot KEN 3'28''45 WL 2 Jakob Ingebrigtsen NOR 3'28''68 AR PB 3 Jake Wightman GBR 3'29''47 PB 4 Filip Ingebrigtsen NOR 3'30''35 5 Yomif Kejelcha ETH 3'32''69 6 Jesús Gomez ESP 3'33''07 PB 7 Marcin Lewandowski POL 3'33''99 8 Charlie Grice GBR 3'34''63 9 Pierrik Jocteur-Monrozier FRA 3'35''00 10 Kalle Berglund SWE 3'35''34 11 Craig Engels USA 3'35''42 12 Ryan Gregson AUS 3'35''57
Uma publicação compartilhada por Atletismo Fondo y Medio Fondo (@fondoymediofondo) em

800m masc: Outra prova dura, que viu uma dobradinha estadunidense na liderança, com o campeão mundial Donavan Brazier triunfando com 1:43.15, seguido por Bryce Hopel com 1:43.23. O canadense Marco Arop foi o terceiro (1:44.14), e o quarto foi o francês Benjamin Robert (1:44.56). As quatro marcas foram as melhores da temporada geral.

5.000m fem: A queniana Hellen Obiri, atual campeã mundial, venceu com 14:22.12, novo recorde da competição e melhor marca do ano na distância. A neerlandesa Sifan Hassan, campeã mundial nos 1.500m e nos 10.000m, também participou, mas sentiu um desconforto e não encerrou a corrida. A segunda colocação ficou com Letesenbet Gidey, da Etiópia, com 14:26.57. A australiana Jessica Hull, quarta colocada, bateu o recorde oceânico, correndo para 14:43.80.

3.000m com obstáculos masc: Medalhista de bronze mundial, o marroquino Soufiana El Bakkali foi mais um a assumir a liderança do ranking da temporada. Ele registrou 8:08.04 para vencer a prova, ficando a frente do queniano Leonard Kipkemoi Bett, que correu para 8:08.78, ficando em segundo lugar na prova e no segundo lugar de melhores marcas do ano.

Provas de campo

Salto triplo fem: Vitória da bicampeã mundial Yulimar Rojas, que saltou para 14,27m, em sua primeira aparição na temporada outdoor. Foi a quinta melhor marca mundial do ano. A búlgara Gabriela Petrova foi a segunda colocada com 14,18m e a portuguesa Patrícia Mamona fechou o pódio, com um salto de 14,08m.
 
Depois de quebrar o recorde mundial indoor, Rojas disputou sua primeira competição outdoor em 2020 (Reprodução/Twitter_@Diamond_League)
Salto em altura fem: Dobradinha ucraniana. A vice-campeã mundial Yaroslava Mahuchikh, de 18 anos, venceu a disputa do salto em altura com 1,98m. Ela foi seguida por Yuliya Levchenko, quarta colocada mundial, que registrou a mesma marca, ficando atrás da compatriota por ter saltado 1,95m na última tentativa.

Foto de capa: Reprodução/Twitter_@Diamond_League

Nenhum comentário:

Postar um comentário