World Athletics pedirá inclusão do revezamento misto cross-country ao programa de Paris 2024 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

World Athletics pedirá inclusão do revezamento misto cross-country ao programa de Paris 2024

Compartilhe

A World Athletics - nome da Federação Internacional de Atletismo - anunciou que pretende sugerir a disputa do revezamento cross-country misto para integrar o programa da modalidade nos Jogos de Paris 2024. O Comitê Olímpico Internacional fechará o programa dos Jogos no próximo mês de dezembro.

A decisão da World Athletics veio após reunião do Conselho da entidade, que ocorreu nos últimos dois dias. O presidente da Federação, Sebastian Coe, disse que a organização "concordou em sugerir o cross-country como uma disciplina para Paris 2024".

"É o revezamento misto que estamos propondo e, em termos simples, são quatro atletas - dois homens, duas mulheres - cada um correndo dois quilômetros e meio por duas vezes, para atingir os critérios de resistência", explicou Coe.

Em comunicado, a World Athletics disse que se reunirá com o Comitê Organizador de Paris 2024 em um futuro próximo "para elaborar mais detalhes da proposta".

Surte + World Athletics altera período de qualificação olímpica da maratona e dos 50 km marcha

A primeira vez que uma prova de cross-country foi realizada em Jogos Olímpicos foi em Estocolmo, em 1912, com as disputas individual e por equipes no masculino. Após figurar também nos programas de Antuérpia 1920 e Paris 1924, o cross-country não voltou a ocorrer em Olimpíadas desde então. A grande estrela da disciplina nos Jogos foi o finlandês Paavo Nurmi, bicampeão tanto individual, quanto por equipes, em 1920 e 1924.

Dono de quatro ouros no cross-country, Paavo Nurmi também foi campeão em outras seis provas olímpicas de pista entre 1920 e 1928 (Foto: AP Photo/File)

As provas de cross-country do atletismo são disputadas em um Mundial específico, que ocorre a cada dois anos desde 1973. Historicamente, a competição é dominada por países africanos, como Etiópia, Quênia e Uganda, que costumam conquistar a maioria das medalhas. A última edição, realizada em Aarhus, na Dinamarca, em 2019, contou com 520 atletas de 63 países. 

Prova a ser sugerida pela World Athletics, o revezamento misto só foi disputado em duas edições do Mundial de Cross Country. A primeira, em 2017, teve o ouro do Quênia, com Etiópia e Turquia completando o pódio. Já em 2019, a Etiópia venceu, superando os marroquinos - prata - e os quenianos - bronze. 

O programa do atletismo para os Jogos Olímpicos de Tóquio contará com 48 eventos, sendo 24 masculinos e 23 femininos, além da estreia do revezamento 4x400 misto. Será o maior número de provas da história do atletismo olímpico, podendo ser superado caso o revezamento misto cross-country de fato seja aprovado para os Jogos de Paris 2024.

Surte + Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Atletismo

Foto: Reprodução Twitter/William Samoei Ruto, PhD

Nenhum comentário:

Postar um comentário