Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Atletismo - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Atletismo

Compartilhe

Status: Janela de qualificação olímpica está suspensa desde abril e só será descongelada em 1º de setembro, para as provas de maratona e de marcha atlética, e em 1º de dezembro, para os demais eventos. Até lá, nenhum resultado será válido para obtenção do índice olímpico.

Eventos/Vagas: 48 eventos (24 masculinos, 23 femininos e um misto) para um máximo de 1.900 atletas. Veja:
  • 100m (56 atletas) 200m (56) 400m (48) 800m (48) 1.500m (45) 5.000m (42) 10.000m (27) 100m c/barreiras (40) 400m c/barreiras (40) 3.000m c/obstáculos (45) salto em altura (32) salto com vara (32) salto em distância (32) salto triplo (32) lançamento de disco (32) lançamento de martelo (32) lançamento de dardo (32) heptatlo/decatlo (32) maratona (80) marcha atlética 20km (60) marcha atlética 50km (60) (apenas homens) revezamento 4x100m (16) revezamento 4x400m (16) revezamento 4x400m misto (16)

Sistema qualificatório

Atualizado no dia 29/07/2020 às 19:07

Há duas manteiras de obter classificação para as provas individuais: realizando o índice olímpico ou por meio do ranking mundial, caso todas as cotas não sejam preenchidas (a quantidade de atletas em cada disciplina é variada, você pode encontrá-la acima). Cada país tem um limite de três atletas por evento. O período de classificação olímpica, no momento, está suspenso. Nenhum índice obtido até 30 de novembro levará a classificação. A janela será descongelada em 1º de dezembro de 2020 e ficará em vigor até 29 de junho de 2021. Para as provas da maratona e da marcha atlética, o processo qualificatório será retomado no dia 1º de setembro de 2020 e encerrado um pouco mais cedo, em 31 de maio de 2021

Já as vagas de revezamentos são obtidas através de competições. O Mundial de Doha de 2019 distribuiu vagas para os oito primeiros colocados de cada uma das provas. O Mundial de Revezamentos de 2021, a ser realizado entre 1º e 2 de maio, classificará os finalistas (oito) que ainda não possuírem a cota olímpica. A quantidade de vagas inutilizadas será realocada para o "ranking de melhores tempos" daquela prova, em que as equipes com os melhores tempos registrados até 29 de junho de 2021 conseguirão se qualificar.

Brasil

Bronze no Mundial de 2017, Caio Bonfim é um dos brasileiros que já fez o índice olímpico (Alexandre Loureiro/COB)
Dezessete atletas brasileiros já obtiveram o índice olímpico. Os revezamentos 4x100m masculino e 4x400m misto já estão classificados, após terem chegado à final do Mundial de Doha, no ano passado. O 4x100 foi campeão mundial de revezamentos, também no ano passado, e pode beliscar uma medalha em Tóquio. Outros principais postulantes a subir ao pódio em Tóquio são: Darlan Romani, no arremesso de peso; Thiago Braz, no salto com vara; e Caio Bonfim e Érica Sena, atletas da marcha atlética.

  • Classificados:
Paulo André - 100m rasos
Aldemir Junior - 200m rasos
Gabriel Constantino - 110m com barreiras
Eduardo de Deus - 110m com barreiras
Alison dos Santos - 400m com barreiras
Márcio Teles - 400m com barreiras
Vitória Rosa - 200m rasos
Almir Cunha - salto triplo
Alexsandro Melo - salto triplo
Thiago Braz - salto com vara
Augusto Dutra - salto com vara
Darlan Romani - arremesso de peso
Andressa de Morais - lançamento de disco*
Daniel Chaves - maratona**
Paulo Roberto - maratona**
Caio Bonfim - marcha atlética
Érica Sena - marcha atlética

* Está suspensa por doping e aguarda julgamento.
** Há um limite de 80 atletas na maratona, mas essa cota já foi estourada, uma vez que mais de 90 atletas já fizeram o índice olímpico. As vagas serão determinadas pelo ranking. Paulo Roberto estaria classificado por estar em 77º, enquanto Daniel Chaves não estaria, por ser o 83º.

Nenhum comentário:

Postar um comentário