Jorge Zarif confirma suspensão de um ano e desabafa nas redes sociais - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Jorge Zarif confirma suspensão de um ano e desabafa nas redes sociais

Compartilhe

Suspenso por doping, o velejador Jorge Zarif se pronunciou pela primeira vez sobre o assunto nesta quarta-feira (17). Em publicação em seu Instagram, o brasileiro confirmou que sua punição será de um ano, sendo encerrada em 14 de agosto, e que, apesar de achar rigorosa, não irá recorrer da decisão em última instância na Corte Arbitral do Esporte (CAS).

"Apesar de considerar a pena muito dura, decidi, junto ao meu advogado Bichara Neto, não recorrer à corte arbitral do esporte (última instância) e acabar de uma vez com o processo", escreveu o atleta, que ainda desabafou sobre os difíceis momentos vividos por conta da suspensão:

"Sem dúvida nenhuma, tem sido os 12 piores meses que passei na vida. Tempos de muita incerteza e angústia, esperando respostas que não vinham", disse ele. "Tive muitas noites mal dormidas, os cabelos brancos começaram a aparecer. A possibilidade de perder os jogos e manchar uma carreira até então ilibada, martelou muito minha cabeça desde setembro, data da primeira notificação".








Hoje ficou definida a minha punição do caso de doping, acaba dia 14 de agosto. Apesar de considerar a pena muito dura, decidi, junto ao meu advogado Bichara Neto, não recorrer à corte arbitral do esporte (última instância) e acabar de uma vez com o processo. Sem dúvida nenhuma, tem sido os 12 piores meses que passei na vida. Tempos de muita incerteza e angústia, esperando respostas que não vinham. No fim das contas, com o adiamento dos jogos, o prejuízo foi muito mais psicológico e financeiro do que esportivo. Estou tendo tempo para cuidar de lesões e várias outras áreas que estariam descobertas com a olimpíada em 2020. Tive muitas noites mal dormidas, os cabelos brancos começaram a aparecer. A possibilidade de perder os jogos e manchar uma carreira até então ilibada, martelou muito minha cabeça desde setembro, data da primeira notificação. Se tem alguma coisa boa em passar por um momento como este é descobrir quem são seus verdadeiros amigos e quem são as pessoas que só 'parecem' gostar de vc. Sem clichê ou demagogia alguma, o caminho e todos estes anos dedicados ao esporte só fazem sentido por estas pessoas, as verdadeiras amizades que cultivei e as experiências que vivi com elas. Nenhum título ou premiação tem o mesmo valor ou significado e justificam tão bem o esforço e sacrifício que a profissão requer. Uma lição que levo é que não importa o quão correto vc foi durante a vida, na visão de todos, apenas um erro(intencional ou não) te transforma de bom para ruim. Seja como atleta, pai, marido ou cidadão. Agradeço demais para quem torceu que as coisas acabassem bem. E pra quem torceu contra, preparem pra ficar em silêncio mais uma vez. Em breve estarei de volta.
A post shared by Jorge Zarif (@jorgezarif) on


Zarif testou positivo para o tamoxifeno, no evento-teste da Olimpíada de Tóquio, realizado em agosto passado. Inicialmente, sua punição duraria seis meses, mas após um pedido de revisão da Autoridade Brasileira de Controle de Doping (ABCD), a pena foi dobrada no início de junho, totalizando um ano de suspensão. O velejador explicou que fez o uso da substância por 20 dias, sob recomendação médica para tratar da ginecomastia bilateral, doença que ocasiona o crescimento das mamas.

Quarto colocado na Rio-2016, Zarif já estava classificado para fazer sua terceira aparição olímpica em Tóquio quando a punição chegou. A suspensão inicial ainda o permitia competir na capital japonesa, mas ele teria pouco tempo para se recuperar da inércia após a pausa e poderia chegar fora de forma. Com a mudança da Olimpíada para o próximo ano, ele pôde respirar aliviado.

"No fim das contas, com o adiamento dos jogos, o prejuízo foi muito mais psicológico e financeiro do que esportivo.Estou tendo tempo para cuidar de lesões e várias outras áreas que estariam descobertas com a olimpíada em 2020", avaliou o atleta, que chegou a liderar o ranking mundial da classe Finn em 2018.

Apesar de já estar apto pra competir a partir de agosto, ainda não se sabe quando o campeão mundial de 2013 exercerá esse direito, uma vez que todo o calendário internacional está paralisado por conta da pandemia do coronavírus. Não se tem uma data precisa de quanto os eventos serão retomados.

Surte + : Com sede em Salvador, Mundial Juvenil de Vela é cancelado

Foto: Divulgação/World Sailling

Nenhum comentário:

Postar um comentário