Federação americana de natação lidera corrente pelo adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio

Federação americana de natação lidera corrente pelo adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021

Compartilhe
Foto: Reprodução

O movimento nos bastidores para o adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio está cada vez maior. Após atletas manifestarem sua insatisfação com o COI pelas redes sociais, foi a vez da poderosa federação norte-americana de natação solicitar a transferência em um ano do maior evento esportivo do planeta.

Na noite da sexta-feira, 20, a USA Swimming publicou uma nota oficial pressionando o Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) a levar ao COI um pedido de adiamento dos Jogos para 2021. A federação justifica que a pandemia do coronavírus causou muitos estragos ao redor do planeta, e que grande parte dos atletas tiveram sua preparação prejudicada.

"Todos experimentaram perturbações inimagináveis, a alguns meses do início dos Jogos Olímpicos. O que está em questão é a autenticidade das condições equitativas para todos. Nossos atletas estão sob tremenda pressão, estresse e ansiedade. Sua saúde mental e bem-estar devem ser as maiores prioridades", disse Tim Hinchey, CEO da federação.

Com a grande repercussão gerada entre outras entidades nacionais e até mundiais, a USOPC respondeu a carta da USA Swimming ainda nesta sexta. O comitê rejeitou o pedido e afirmou que não é a melhor hora de cobrar uma posição do COI em relação ao adiamento dos Jogos.

"O USOPC está em constante comunicação com o COI e o IPC (Comitê Paralímpico Internacional) e também expressou que seu foco está na saúde e no bem-estar de atletas e comunidades em todo o mundo, e que continuará a confiar nos conselhos de Organização Mundial da Saúde. Eles acreditam que é prematuro tomar uma decisão final sobre a data dos Jogos e acreditamos que devemos dar a eles a oportunidade de reunirem mais dados e conselhos de especialistas, antes de insistir na tomada de uma decisão", escreveu a entidade em um comunicado.

Foto: Laurent Gilleron/Keystone

Por inúmeras vezes, o COI afirmou que os Jogos Olímpicos estão mantidos conforme o planejado, sendo iniciados em 24 de julho de 2020. Nesta semana, após diversas reuniões via teleconferência com federações internacionais, comitês nacionais e atletas, o presidente Thomas Bach reforçou seu posicionamento de manutenção, com o discurso de que "ainda faltam quatro meses" para a abertura do evento.


Federações francesa e canadense apoiam a americana

As federações francesa e canadense de natação aliaram-se às ideias da USA Swimming e também pediram o adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021. A irmã do Canadá foi a primeira a declarar o apoio, emitindo um comunicado ainda na sexta-feira. 

Dizer aos atletas para se prepararem para os Jogos Olímpicos durante uma pandemia global levanta sérios problemas. Temos em alta consideração as opiniões de nossos irmãos e irmãs no USA Swimming e compartilhamos muitas das mesmas preocupações em relação à saúde e segurança. Isso inclui a segurança e o bem-estar de nossos atletas - tanto físicos quanto mentais - e a segurança da comunidade em geral".

Já a federação europeia emitiu nota neste sábado, após uma videoconferência entre os membros do comitê executivo realizada na manhã deste sábado, 21. "O contexto atual não permite que os Jogos Olímpicos de 2020 sejam organizados adequadamente", afirmou a entidade.


Movimento pelo adiamento cresce


Foto: Alexandre Loureiro/COB

O posicionamento da USA Swimming causou um grande problema para o COI. Além das federações francesa e canadense, diversos atletas manifestaram seu apoio ao movimento contra a realização dos Jogos Olímpicos em julho de 2020. Até mesmo uma "hashtag" foi criada nas redes sociais, intitulada de "Tokyo2021". Os ex-treinadores das lendas Michael Phelps e Usain Bolt também pediram o adiamento.

Grandes nomes do esporte mundial, como o do americano Ashton Eaton, bicampeão olímpico do decatlo, publicaram na hashtag, expondo suas críticas ao COI e ao Japão. "Qualquer outra coisa é socialmente irresponsável. Como o COI e o Comitê Olímpico do Japão, em sã consciência, realizam um dos maiores e mais importantes encontros do mundo e correm o risco de facilitar a aceleração do contágio global e ter o pior evento da história?", questionou.

Ao longo da semana, os Comitês Olímpicos de Noruega e Espanha já haviam solicitado ao COI o adiamento da Olimpíada de Tóquio para o final do ano ou para 2021. Neste sábado, após um grupo de atletas brasileiros iniciarem uma forte corrente apoiando a questão, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) também se mostrou a favor da transferência dos Jogos para o próximo ano.

Na sexta, o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, já havia pedido o adiamento dos Jogos para 2021.

Nenhum comentário:

Postar um comentário