John Coates "satisfeito" com a preparação de Tóquio 2020 em relação ao coronavírus - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

John Coates "satisfeito" com a preparação de Tóquio 2020 em relação ao coronavírus

Compartilhe

O presidente da Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, afirmou que os atletas e espectadores estarão seguros para participar dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 e elogiou a preparação dos organizadores no combate ao surto de coronavírus que já atingiu boa parte da Ásia oriental.

As preocupações com o impacto do coronavírus, que se originou na cidade chinesa de Wuhan e recebeu o nome oficial de COVID-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em Tóquio 2020, cresceram nas últimas semanas. Atualmente, mais de 75 mil casos foram diagnosticado, com mais de duas mil mortes, sendo a grande maioria na China.

Os pacientes foram confirmados em 29 países e territórios e a OMS declarou uma emergência global. No Japão, houve 84 casos e uma morte, mas as autoridades, incluindo Coates, participaram de uma revisão do projeto de Tóquio e tranquilizaram sobre uma possível ameaça aos Jogos. "Está no topo de nossa lista de prioridades", informou Coates ao Australian Associated Press.

"No lado do COI, trabalhamos com a Organização Mundial da Saúde desde que foi identificada pela primeira vez. Eles deixaram bem claro para nós que não há como adiar, cancelar o evento, desde que todos os requisitos da autoridade japonesa sobre as pessoas que participem dos Jogos sejam seguidos" disse o presidente da comissão. "Estamos muito satisfeitos que todos os freios e contrapesos estejam lá quando os atletas e os espectadores entrarem no país".

Diversos eventos esportivos, incluindo alguns Pré-Olímpicos para Tóquio 2020, o Grande Prêmio de Fórmula 1 em Xangai e o Campeonato Mundial de Atletismo em Nanjing, foram cancelados, adiados ou transferidos para fora da China por causa do surto. Entretanto, Coates afirma que os organizadores já agiram para combater o coronavírus e lembrou dos Jogos Rio 2016 que passou por uma situação similar com o zika vírus.

Foto: Kim Kyung-Hoon/Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário