Últimas Notícias

Guilherme Toldo conquista medalha de bronze na abertura do Pan-Americano de Esgrima

Guilherme Toldo conquista medalha de bronze na abertura do Pan-Americano de Esgrima
Foto: Divulgação/CBE



O Brasil iniciou na terça-feira (25), em Lima, capital peruana, sua participação no Campeonato Pan-Americano de Esgrima. E com conquista de medalha: Guilherme Toldo, esgrimista classificado para os Jogos Olímpicos de Paris, faturou o bronze no florete masculino.

Na disputa da espada feminino, o destaque do Brasil foi Victoria Vizeu. Mostrando técnica e personalidade diante de adversárias mais experientes, chegou ao quadro de 8 da competição, terminando sua participação no Pan em sexto lugar.

Bronze para o olímpico Guilherme Toldo


Capitaneado por Guilherme Toldo, recordista brasileiro de medalhas em Jogos Pan-Americanos e classificado para os Jogos Olímpicos de Paris, o florete masculino brasileiro teve também competindo em Lima Pedro Marostega, Paulo Morais e Ricardo Pacheco.

Após as pules, todos avançaram à chave principal. No quadro de 32, Morais foi superado pelo mexicano Tommaso Archilei (15 a 7). Marostega pelo salvadorenho Mihail Salmeron (15 a 8). Pacheco pelo chileno Gustavo Alarcon (15 a 2). Na classificação final do florete masculino, Pedro Marostega ficou em 17º, Paulo Morais em 23º e Ricardo Pacheco em 28º lugar.

Toldo, por sua vez, avançou ao quadro de 16 vencendo o colombiano Miguel Grajales por 15 a 5. Nesta fase, superou o argentino Santiago Lucchetti por 15 a 4, garantindo um lugar no quadro de 8, no qual enfrentaria Miles Chamley-Watson, dos Estados Unidos.

Contra o experiente norte-americano, campeão mundial e medalhista olímpico, Toldo travou um duelo emocionante, decidido somente no último toque. Com uma virada incrível, o brasileiro venceu por 15 a 14, garantindo uma medalha na competição.

Na semifinal, mais um floretista dos Estados Unidos cruzou o caminho de Toldo: Gerek Meinhardt. Único atleta que não era norte-americano nesta fase da competição, o brasileiro acabou superado por 15 toques contra 7, terminando com o bronze.

Victoria Vizeu fica em sexto


O Brasil teve um desfalque importante e inesperado entre suas atletas da espada feminino. Nathalie Moellhausen, campeã mundial em 2019 e classificada aos Jogos Olímpicos de Paris como a melhor das Américas pelo ranking mundial, não pode competir por questões médicas.

Sem Nathalie, a torcida brasileira foi para Victoria Vizeu, Marcela Silva, Tabea Alves e Maria Paro. E todas conseguiram superar a fase de pules, garantindo vagas na chave principal da competição.

Após ficarem de bye no quadro de 64, as brasileiras iniciaram no de 32. Marcela Silva superou Susana Fornaris (Ilhas Virgens), por 15 a 13. Victoria Vizeu bateu Graciela Ramirez (El Salvador), por 15 a 4. Já Tabea Alves caiu para a paraguaia Montserrat Viveros, por 15 a 2, enquanto Maria Paro foi superada pela argentina Tamara Chwojnik, por 15 a 10.

No quadro de 16, Marcela Silva foi derrotada pela canadense Malinka Montanaro, por 15 a 8. Victoria Vizeu, por sua vez, após uma disputa dramática encerrada por tempo, derrotou a colombiana Maria Quevedo por 10 a 9, chegando ao quadro de 8 da competição.

O duelo com Monteserrat Viveros (que havia eliminado Tabea Alves) valia vaga na semifinal. Mas Victoria não conseguiu superar a paraguaia, sendo derrotada pelo placar de 10 a 15 e encerrando sua participação com um honroso sexto lugar no Pan.

Na classificação final da espada feminino, além do sexto lugar de Victoria Vizeu, teve Marcela Silva na 16º posição; Maria Paro na 18ª; e Tabea Alves na 28ª.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar