Últimas Notícias

Eduardo de Deus celebra índice olímpico e primeiro título dos 110 m com barreiras no Troféu Brasil de Atletismo

Eduardo de Deus celebra índice olímpico e primeiro título dos 110 m com barreiras no Troféu Brasil de Atletismo
Foto: Wagner Carmo/CBAt 



Eduardo Rodrigues de Deus (Praia Clube-Exército-Futel-MG) teve dois grandes motivos para comemorar. Na manhã desta sexta-feira (28/6), celebrou o índice olímpico dos 110 metros com barreiras. À tarde, fez festa pelo seu primeiro ouro do Troféu Brasil Interclubes Loterias Caixa de Atletismo. A competição será realizada até domingo (30/6) no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

O barreirista de 28 anos disputou a semifinal na etapa da manhã, e venceu sua série classificatória com a marca de 13.27 (-0.7), igualando seu recorde pessoal, que era de 27 de abril de 2022. Na parte da tarde, ganhou seu primeiro título brasileiro com o resultado de 13.39 (+1.5). Thiago Resende dos Santos (AETA-SP) ficou com a prata, com 13.42, e Gabriel Constantino (Pinheiros-SP) foi bronze, com 13.51.

"Eu estou muito feliz. Estava sempre batendo na trave, correndo perto de 13.30. Mas eu vim preparado para correr uma semifinal bem forte e, graças a Deus, saiu o índice. Agora é dar continuidade nos treinos e me preparar para Paris. Eu também estava batendo na trave no Troféu Brasil – tenho muitas medalhas de segundo lugar, mas hoje deu tudo certo e acabei me tornando campeão".

Darlan, Izabela e Matheus vencem e confirmam índice para Paris

Darlan Romani (Praia Clube-Exército-Futebol-MG), no arremesso do peso; Matheus Lima (Pinheiros-SP), nos 400 metros rasos; e Izabela da Silva (IEMA-SP), no lançamento do disco, também foram campeões do Troféu Brasil e confirmaram seus índices olímpicos para os Jogos de Paris.

Darlan Romani confirmou a classificação para a terceira Olimpíada da carreira com a sua 12ª vitória no Troféu Brasil. Assim como ocorreu em 2023, venceu com índice olímpico. Em sua última tentativa, o arremessador de 33 anos fez 21,52 m (a marca exigida pela World Athletics é de 21,50 m). Esse foi o melhor resultado de Darlan na temporada, que deixa o Troféu Brasil direto para a Espanha, onde fará o treinamento final para os Jogos Olímpicos.

O pódio do arremesso do peso foi completado por Wellington Silva Morais, o Maranhão (Pinheiros-SP), prata com 20,97 m, e William Denilson Venâncio Dourado (Praia Clube-Exército-Futel-MG), bronze com 19,77 m.

Izabela da Silva sagrou-se campeã brasileira pela segunda vez, com 65,25 m, sua melhor marca pessoal e também novo recorde do Troféu Brasil – a marca anterior, de 64,75 m, era de Andressa de Morais desde 2018. "Achei a marca maravilhosa, o que é ótimo, ainda mais porque já estamos bem próximos das Olimpíadas. Eu quero me manter positiva e a prova de qualificação vai ser no dia do meu aniversário (2 de agosto) e eu quero me dar um presente."

A lançadora do IEMA, de 28 anos, havia conquistado o índice em abril, na etapa de Shangai da Diamond League, com 64,66 m (a marca de qualificação para os Jogos é de 64,50 m). Ou seja, fez o índice olímpico duas vezes na temporada. "Acredito que as marcas que estou fazendo mostram que o caminho da preparação está correto." Andressa de Morais (Pinheiros-SP) ficou com a prata (58,54 m), seguida por Fernanda Borges (Sogipa-RS), com 55,70 m.

Nos 400 metros, Matheus ultrapassou a linha de chegada e, assim que olhou o placar, aproximou o polegar e o indicador, sinalizando que tinha "faltado pouco". Para quê? "Antes da prova, meu técnico (Sanderlei Parrela) me perguntou: o que você quer fazer hoje? Você quer correr para ganhar ou você quer correr para fazer tempo? E eu falei que queria correr para pegar o recorde dele, por isso que quando eu cheguei eu fiz assim", contou Matheus, repetindo o gesto.

Uma das revelações do atletismo brasileiro, o velocista ganhou a prova com 44.87, um tempo realmente muito próximo do recorde do Troféu Brasil (44.82), que é de Sanderlei desde 1999. Essa foi a primeira vitória de Matheus, de apenas 20 anos, que também tem índice olímpico para os 400 m com barreiras e ajudou o Brasil a conquistar a vaga no revezamento 4x400 m no Mundial de Bahamas, em maio. O pódio dos 400 m rasos foi completado por Douglas Hernandes Mendes da Silva (IABC/FMEBC-SC), com 45.32, e Lucas da Silva Carvalho (Pinheiros-SP), também qualificado para a Olimpíada, com 45.57.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar