Últimas Notícias

Brasil domina Jogos Sul-americanos de 2022 e lidera quadro de medalhas com folga


Foto: Gaspar Nobrega/COB


O Brasil dominou a edição 2022 dos Jogos Sul-americanos, realizados em Assunção, liderando o quadro de medalhas com folgas ao conquistar 133 medalhas de ouro, 54 a mais que a Colômbia, e 319 no total. A sensação de dever cumprido também se deu pela conquista de 114 vagas diretas para os Jogos Pan-americanos Santiago 2023 em 16 modalidades, outro objetivo da Missão, além da retomada da hegemonia continental.

A natação brasileira deu show nas piscinas do Paraguai e foi a modalidade que mais medalhas conquistou, com 34 de ouro, 16 de prata e oito de bronze, totalizando 58. Também foi de lá que saíram as duas maiores medalhistas dos Jogos Sul-americanos. Giovanna Diamante deixou Assunção com incríveis dez medalhas conquistadas (oito de ouro e duas de prata), seguida de perto por Stephanie Balduccini, que ganhou sete ouros e um bronze. Giovanna foi eleita em votação da PanAm Sports como a melhor atleta feminina da competição.

O “pódio” dos esportes do Time Brasil em Assunção foi completado pelo atletismo, com 14 medalhas de ouro, 13 de prata e 15 de bronze, e pela ginástica artística, que terminou com dez de ouro, quatro de prata e uma de bronze. E coube a Caio Souza, que faturou 1/3 das medalhas da GA, sendo 4 de ouro, ser eleito o melhor atleta de Assunção 2022 entre os homens.

Em Assunção 2022, o judô que contribuiu com 13 medalhas ao todo, ficou marcado pela história da Dona Shirley, uma vovó de 86 anos que viajou 1.088km de carro para ver a neta, Gabriela Gonzaga, ser campeã dos Jogos Sul-americanos.

Os embates entre Brasil e Argentina nos esportes coletivos também foram bastante marcantes, principalmente no handebol e no polo aquático, e empolgaram torcedores e, claro, os atletas que vibraram demais a cada vitória.

0 Comentários

.

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024

Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com ou contribua com a nossa vaquinha pelo link : https://www.kickante.com.br/crowdfunding/ajude-o-surto-olimpico-a-ir-para-os-jogos-de-paris e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os Jogos in loco!

Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!

Digite e pressione Enter para pesquisar

Fechar