Linoy Ashram, ouro na ginástica rítmica em Tóquio-2020, anuncia aposentadoria


Primeira atleta de fora do leste europeu a conquistar a medalha de ouro na ginástica rítmica em Jogos Olímpicos, a israelense Linoy Ashram anunciou nesta segunda (4) em Tel Aviv, a aposentadoria dos tablados. 


Agora, Linoy passará a fazer parte da comissão técnica da seleção israelense da modalidade. Emocionada e com muitas lágrimas nos olhos, a atleta disse ter chegado ao fim de sua jornada. 


Com apenas 22 anos de idade, a israelense tem mais de 100 títulos na carreira, sendo um Campeonato Europeu e a maior de todas, a medalha de ouro nos Jogos de Tóquio-2020. Ela entrou na história não apenas por ser a primeira atleta de fora do leste europeu a vencer em Olimpíadas, mas também por ser a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro para Israel. (Veja como foi).


Nos Jogos, ela derrotou as irmãs russas Dina e Arina Averina, que chegavam como postulantes ao título e não aceitaram a derrota, chegando a contestar o resultado após os Jogos. 


O país chegou a Tóquio com apenas uma medalha de ouro apenas, conquistada na vela em Atenas-2004 por Gal Fridman. No Japão, o ginasta Artem Dolgopyat já havia conquistado o título na prova do solo da ginástica artística.


Durante o anúncio, Linoy contou o que passou na sua cabeça em sua primeira sessão de treinos em Tóquio.

Emocionada, Linoy anuncia ao mundo, a sua decisão de se aposentar. (Foto: Roy Alima/ Flash90)

"Um monte de pensamentos se passaram na minha cabeça. Disse a mim mesma que havia chegado ao momento que tanto esperei. Finalmente cheguei ao momento mais importante da minha carreira, pelo qual trabalhei durante 15 anos.”  


A presidente do Comitê Olímpico Israelense, Yael Arad, disse que sempre esteve ao lado de Linoy e falou que ela era uma atleta exemplar e uma pessoa incrível. 


Foto: Lionel Bonaventure/AFP

Postar um comentário

To Top