Israelense Linoy Ashram quebra hegemonia do leste europeu e leva o ouro na ginástica rítmica em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Israelense Linoy Ashram quebra hegemonia do leste europeu e leva o ouro na ginástica rítmica em Tóquio

Compartilhe

A ginasta israelense Linoy Ashram fez história neste sábado (07) ao quebrar a hegemonia do Leste Europeu no individual geral na ginástica rítmica em Jogos Olímpicos.  Ela venceu a prova em Tóquio marcando 107.800 pontos nos quatro aparelhos contra 107.650 da russa Dina Averina. Alina Harnasko, de Belarus, ficou com o bronze marcando 102.700.


A israelense, que já vinha de ótimos resultados em campeonatos mundiais, conquistou o primeiro ouro feminino do país . Este é o terceiro ouro de Israel em Jogos Olímpicos, o primeiro foi em Atenas-2004 e o segundo foi com Artem Dolgopyat na ginástica artística, também em Tóquio.


Desde Seul-1988, apenas russas e ucranianas venciam a prova. No caso da Rússia, elas não perdiam a prova desde Sydney-2000.


Linoy mostrou a que veio logo na primeira rotação, quando fez a melhor apresentação no arco, marcando 27.550 pontos. A israelense fez performance ao som da música "Really slow motion and giant apes" e teve uma apresentação limpa, cravando a série. 


As gêmeas russas Dina Averina (27.200) e Arina Averina (26.850) terminaram a rotação em segundo e terceiro respetivamente.


Na segunda rotação, Dina e Linoy tiveram apresentações impecáveis e empataram no aparelho, a bola, com ambas recebendo 28.300. A israelense se apresentou ao som de "Big in Japan" e a russa ao som da "Sinfonia nº 6" de Pyotr Tchaikovsky. No geral, a vantagem era de Ashram por 0.350.

Linoy Ashram na segunda rotação (Foto: Lionel Bonaventure/AFP)

Com um mix de músicas da Beyonce, entre elas "Run the World" e "Crazy in Love", Linoy fez a maior nota das maças, marcando 28.650. Com um funk, Dina Averina marcou 28.150 e viu a israelense abrir quase um ponto de vantagem, a um aparelho do fim, as fitas.


A última rotação começou emocionante na disputa pelo pódio. Arina, que estava na terceira colocação durante a segunda e a terceira rotações, foi prejudicada por um nó na sua fita e fez apenas 19.500 no último aparelho. A bielorussa Alina Harnasko aproveitou a oportunidade e com uma boa apresentação, fez 21.100, passando para a terceira colocação e ficando com o bronze.


Linoy se apresentou na fita com um versão techno de "Hava Naguila" tradicional canção do povo judeu. A israelense tinha tudo para garantir tranquilamente o ouro, porém, ela esqueceu a fita em um momento da coreografia , gerando incerteza no seu resultado. Mesmo com o erro, sua nota foi alta, marcando 23.300.


Dina foi a última a se apresentar e fez uma rotina ao som de uma música tradicional espanhola do violinista Pablo de Sarasate. Sua apresentação foi a melhor entre as fitas, sendo pontuada em 24.000, nota insuficiente para ultrapassar Linoy no geral. A delegação russa entrou com recurso mas a nota foi mantida.


A israelense comemorou muito o resultado com sua técnica e com a sua compatriota Nicol Zelikman, sétima colocada na competição. Ela também foi parabenizada por suas adversárias e chorou muito. Se suas lágrimas eram de alegria, Dina chorava de tristeza, mas seguiu os valores do olimpismo e cumprimentou a adversária.




Foto em destaque: Lindsey Wasson/ Reuters


Nenhum comentário:

Postar um comentário