Guia Pequim 2022 - Snowboard


FICHA TÉCNICA

Local de disputa: Genting Snow Park e Big Air Shougang
Período: 05/02 a 15/02
Delegações participantes: 31
Total de atletas: 238
Brasil: sem representantes 

Criado em 1960 nos Estados Unidos, o Snowboard é o único esporte de neve dos Jogos de Inverno, a ser praticado com pranchas ao invés de esquis. Ele se desenvolveu e em 1983, aconteceu o seu primeiro Mundial. 

Primeiro pódio olímpico do snowboard, para a disputa do slalom gigante paralelo em 1998, vencido pela francesa Karine Ruby - Foto: Barton Silverman/NYT
A modalidade estreou em Jogos Olímpicos em Nagano-1998. Atualmente são disputadas cinco categorias diferentes, em 11 provas. São disputados, o slopestyle, big air, halfpipe, slalom gigante paralelo e cross (individual e equipe mista).

COMO É A DISPUTA?


Snowboard Cross: O Cross se trata de uma descida de um percurso de 1,2 km com obstáculos como saltos, curvas e banks. Ele é disputado em duas etapas: A qualificatória, quando os atletas descem sozinhos e são ranqueados pelo melhor tempo. 

A segunda etapa são baterias de quatro a seis atletas, que disputam uma corrida, classificando os primeiros colocados para a fase seguinte.  

Slalom Gigante Paralelo: Nesta modalidade, dois atletas largam ao mesmo tempo e percorrem o mesmo percurso, que estão paralelos um ao outro. Ela é disputada em 2 rodadas e o perdedor da primeira etapa larga com a desvantagem da chegada na segunda bateria.

Halfpipe: Essa modalidade é disputada em uma pista de neve no formato de U, onde os atletas fazem manobras nas extremidades e são julgados pela sua dificuldade. Seu modo de competição é semelhante ao do skate vertical. 

Slopestyle: Se o Halfpipe remete ao vert, o Slopestyle se assemelha ao street, mas há algumas diferenças. No skate, as voltas duram 45 segundos e pode fazer o percurso do jeito que bem entender. Aqui, o atleta deve começar na linha de partida e irá terminar sua volta na chegada, 800m a frente. 


Big Air: O Big Air é um espetáculo plástico, nele, os atletas dão um salto de uma mega rampa e podem fazer apenas uma manobra. Cada competidor tem direito a dois saltos.




O BRASIL NO SNOWBOARD


Augustinho Teixeira em prova da Copa do Mundo de Snowboard - Foto: Divulgação/CBDN
O snowboard brasileiro apareceu oficialmente em competições no ano de 1995. Na mesma época que foi inaugurada a primeira pista de neve artificial para a prática do esporte no Brasil, em São Roque, no interior de São Paulo. 

Apesar da falta de neve, o  Brasil é o melhor país da América Latina da história da modalidade. O melhor resultado brasileiro em Olimpíadas de Inverno veio justamente no snowboard, com Isabel Clark ficando em nono lugar no snowboard cross em Turim-2006. Isabel também disputou os Jogos de Vancouver-2010, Sochi-2014 e PyeongChang-2018.

Isabel Clark comemora o bom resultado em Turim-2006 - Foto: Divulgação/CBDN
Atualmente, os principais representantes do Brasil na modalidade são Augustinho Teixeira, que lutou pela vaga olímpica no halfpipe, e Noah Bethonico, que foi um dos destaques do país nos Jogos Olímpicos de Inverno da Juventude Lausanne-2020, ficando em 11º lugar no snowboard cross.

Noah Bethonico (à direita na foto) compete em Lausanne-2020 - Foto: IOC Media


DESTAQUES

Os Estados Unidos são a maior potência olímpica da modalidade com 35 medalhas, sendo 14 de ouro. Suíça (13 medalhas), França (12 medalhas) e Canadá (11 medalhas) também costumam sempre subir no pódio no snowboard em Jogos Olímpicos.

Jamie Anderson (Estados Unidos)

Anderson (ao centro) no pódio do slopestyle em Pyeongchang-2018 - Foto: Lee Jin-Man/AP
Única atleta medalhista no slopestyle e no big air, onde conseguiu ouro e prata, respectivamente, em 2018. Anderson tenta o tricampeonato no slopestyle, competição na qual ela tem 100% de aproveitamento, ganhando nas duas edições que participou.

Michela Moioli (Itália)

Moioli na final do snowboard cross em Pyeongchang-2018 - Foto: Loic Venance/AFP
A italiana que saiu de uma lesão na final do snowboard cross em Sóchi-2014 para o ouro em PyeongChang-2018 vem colecionando pódios na Copa do Mundo deste ciclo. No último mundial, foi prata no individual e na prova em equipes que será novidade em Pequim.

Ester Ledecká (República Tcheca)

Ledecká na disputa do slalom gigante paralelo em Pyeongchang-2018 - Foto: Martin Bureau/AP
A tcheca foi campeã em duas disciplinas diferentes, esqui alpino e snowboard slalom gigante paralelo, em PyeongChang. Ledecká vem acumulando pódios em algumas etapas de Copa do Mundo desde 2019 e vem com boas chances de conseguir o bicampeonato olímpico.

Chloe Kim (Estados Unidos)

Chloe Kim nas eliminatórias do halfpipe em Pyeongchang-2018 - Foto: Kin Cheung/AP
Atual campeã do halfpipe, a jovem norte-americana chega a Pequim carregando também o título dos X Games 2021 e dos últimos dois Campeonatos Mundiais.


Shaun White (Estados Unidos)

White na final do halfpipe de Vancouver-2010 - Foto: Gerry Broome/AP
Campeão olímpico no halfpipe em 2006, 2010 e 2018, o norte-americano desponta como favorito para um tetracampeonato. Em PyeongChang, ele alcançou a maior nota da história das Olimpíadas na prova: 97.25. Seus principais oponentes são: o medalhista de prata em 2014 e 2018, Ayumu Hirano (JPN), o tricampeão mundial e bronze em PyeongChang, Scotty James (AUS) e o o também japonês Totsuka Yuto, campeão mundial em 2021.

Sébastien Toutant (Canadá)

Toutant comemora o ouro em Pyeongchang-2018 - Foto: Mathias Schrader/AP
Lutando pelo bicampeonato no Big Air, o canadense também deve brigar pelo ouro no slopestyle, onde é o atual líder da classificação geral da Copa do Mundo.

Benjamin Karl (Áustria)

Karl competindo em Sochi-2014 - Foto: Jae Hong/AP
Atual campeão mundial do slalom gigante paralelo, o austríaco tenta o seu primeiro título olímpico. Ele já conseguiu dois pódios, uma prata em Vancouver-2010 e um bronze em Sochi-2014. Karl tem como principal adversário o sul-coreano Lee Sang-Ho, líder da Copa do Mundo nesta temporada. 

CALENDÁRIO


04/02 às 23h45 - slopestyle feminino - qualificação
05/02 às 22h30 - slopestyle feminino - final
06/02 às 01h30 - slopestyle masculino - qualificação
07/02 às 01h00 - slopestyle masculino - final

07/02 às 23h40 - slalom gigante paralelo feminino - qualificação
08/02 às 00h07 - slalom gigante paralelo masculino - qualificação
08/02 às 03h30 - slalom gigante paralelo - mata-mata masculino e feminino

08/02 às 22h30 - halfpipe feminino - qualificação
09/02 às 00h00 - cross feminino - ranqueamento
09/02 às 01h30 - halfpipe masculino - qualificação
09/02 às 03h30 - cross feminino - mata-mata
09/02 às 22h30 - halfpipe feminino - final
10/02 às 00h15 - cross masculino - ranqueamento
10/02 às 03h00 - cross masculino - mata-mata
10/02 às 22h30 - halfpipe masculino - final
11/02 às 23h00 - cross - equipe mista - mata-mata

13/02 às 22h30 - big air feminino - qualificação
14/02 às 02h30 - big air masculino - qualificação
14/02 às 22h30 - big air feminino - final
14/02 às 02h00 - big air masculino - final

*Todas as competições estão no horário de Brasília

Postar um comentário

To Top