Já na Bolivia, Rayan Dutra festeja ouro na ginástica trampolim em Cali e vaga em Santiago



Boa parte da vida de Rayan Dutra, o primeiro campeão individual de Ginástica de Trampolim dos Jogos Pan-Americanos Júnior, transcorre nas alturas. Além de saltar muito alto, o mineiro de Belo Horizonte também voa bastante. Dois dias depois de conquistar o ouro em Cáli, Rayan já embarcou, na segunda-feira (6), para Cochabamba, na Bolívia, onde participará do Campeonato Sul-Americano.

O fim de semana de Rayan foi triunfal. No sábado, ele conquistou a medalha de prata no sincronizado, na companhia de Vinicius Celestino, atleta de Contagem. Poucas horas depois, subiu ao degrau mais alto do pódio. Com uma caprichada série na final individual, somou 56.020 pontos, ficando à frente do norte-americano Elijah Vogel (55.580) e do mexicano Adrian Martinez (55.110).

“Não tinha como ter sido mais expressiva a nossa participação nos Jogos Pan-Americanos Júnior, principalmente porque estava valendo vaga para os Jogos Pan-Americanos de Santiago-2023, o meu grande objetivo”, diz o atleta do Minas Tênis Clube, que fora o quinto colocado no Pan de 2019, em Lima. “Sem dúvida, essa medalha de ouro de Cáli é um dos resultados mais expressivos da minha carreira. Foi uma excelente forma de começar o novo ciclo olímpico”.

Além das medalhas de Rayan e de Celestino, o Brasil conseguiu outros bons resultados em Cáli.A dupla Luara Kethelin Rezende/Maria Luiza França Lopes Oliveira ficou com a quarta colocação. No individual, Luara terminou na quinta colocação. No individual masculino, Vinicius foi o sétimo.

Foto: Divulgação/COB

0 Comentários