Brasil vence por 33 a 19 o Paraguai e passa para segunda fase com 100% de aproveitamento


O Brasil fechou com chave de ouro nesta segunda (6), a primeira fase do Mundial de handebol feminino, após vencer o Paraguai por 33 a 19, sem tomar conhecimento do adversário. O resultado garante a classificação da seleção em primeiro no grupo G, com 100% de aproveitamento. Na próxima fase, elas enfretarão a Argentina, a Áustria e a anfitriã Espanha. 


Elas voltam a quadra na quarta, pelo primeiro jogo da segunda fase. Jessica foi a maior goleadora com seis gols, seguida de Mariane e Giulia, que fizeram 5 cada. O Paraguai irá para a President's Cup, torneio que define as posições de 25º a 32º. 


Japão e Croácia se classificaram em segundo e terceiro, respectivamente. O confronto entre elas terminou em 28 a 26 para as japonesas.


Desde o primeiro minuto, era notável o domínio brasileiro. O placar após dez minutos de jogo era 6 a 1 para o Brasil. A defesa da seleção não era muito exigida e elas abriram ainda mais vantagem, abrindo mais de dez gols de diferença, fechando o primeiro tempo em 20 a 7.


O placar só não foi maior, devido a uma sequência de defesas da goleira paraguaia nos minutos finais do primeiro tempo. O Brasil terminou a primeira etapa com 69% de aproveitamento nas finalizações, contra 35% do Paraguai.


A seleção voltou mal pro segundo tempo, fazendo só dois gols em dez minutos, mas isso não foi o suficiente para o Paraguai encostar. Depois, elas melhoraram e voltaram a disparar no placar, fazendo 26 a 14. 


Mesmo sem conseguir emendar uma sequencia de gols como no primeiro período, as brasileiras mantiveram o jogo na mão e fecharam o jogo com tranquilidade. 


No grupo E, a República Tcheca garantiu a classificação ao vencer Eslováquia por 23 a 22. Junto, se classificaram Alemanha e Hungria, que se enfrentaram com vitória alemã por 25 a 24. No grupo F, Dinamarca e Coréia do Sul ganharam a companhia do Congo entre os classificados. O time africano se garantiu após vencer a Tunísia por 33 a 24.


Foto: Reprodução/ Twitter/ IHF

0 Comentários