Família de Pierre de Coubertin diz que qualquer alteração no pentatlo deve "incorporar o espírito do esporte"

A família do Barão Pierre de Coubertin, ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) e criador do pentatlo moderno, soltou uma nota afirmando que qualquer alteração no esporte deve “incorporar o espírito do pentatlo”.

O comunicado foi divulgado pouco antes da consulta programada pela União Internacional do Pentatlo Moderno (UIPM) para escolha da modalidade que irá substituir a equitação no programa de provas.

O esporte tem estado sob os holofotes após incidentes durante as Olimpíadas de Tóquio 2022, quando treinadora Kim Raisner foi excluída dos Jogos, após flagrante da treinadora socando o cavalo Saint-Boy durante a competição.

Em declaração, a família diz: “Em um de seus escritos, Coubertin disse que se tivesse que refazer 100 anos depois, provavelmente o faria de maneira muito diferente”.

“Coubertin entendeu que a adaptação era parte de se manter relevante com o espírito da época”.

“Todos concordamos que, desde sua introdução em 1912 nos Jogos Olímpicos de Estocolmo, o pentatlo moderno se adaptou de maneira brilhante aos tempos modernos. Por exemplo, mudanças criativas como substituição da pistola pelo laser”.

“Acreditamos que o que mais importa é o espírito e a intenção por trás do esporte único que é o pentatlo. Coubertin viu neste momento uma verdadeira consagração do atleta completo que ele chamou de um caráter educacional de primeira linha”.

“Se hoje a disciplina de equitação foi escolhida para sair, acreditamos que Coubertin apreciaria uma mudança em direção a uma disciplina que incorpore o espirito do pentatlo e modernize o esporte”.

A decisão da UIPM de excluir a equitação do programa de provas, tem enfrentado grande resistência de parte dos atletas.

O congresso da UIPM está previsto para acontecer de forma virtual nos dias 27 e 28 de novembro.

Foto: Jed Jacobsohn/ New York Times

Postar um comentário

To Top