Conrad Scheibner, Fernando Pimenta e Maria Mailliard são campeões mundiais de canoagem, e Ucrânia lidera quadro de medalhas - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Conrad Scheibner, Fernando Pimenta e Maria Mailliard são campeões mundiais de canoagem, e Ucrânia lidera quadro de medalhas

Compartilhe
Maria Mailliard feliz com uniforme do Chile

Ao final do terceiro dia de competições no Mundial de Canoagem Velocidade, disputado na Dinamarca, a Ucrânia aparece na liderança do quadro de medalhas, com seis ouros, uma prata e dois bronzes, nove medalhas no total. A Grã-Bretanha e Irlanda do Norte domina as competições de paracanoagem, levando cinco ouros e cinco pratas apenas nestas categorias, além de uma prata na canoagem convencional. O torneio encerrará no domingo (19).

Uma das vitórias da Ucrânia veio no C2 500m feminino, com Liudmyla Luzan e Anastasiia Chetverikova. Alena Nazdrova e Nadzeya Makarchanka, de Belarus, conquistaram a prata e Yarisleidis Duboys e Katherin Segura levaram o bronze para Cuba.

Outros triunfo do país do leste europeu foram em provas de quatro. No C4 masculino 500m, Vitaliy Vergeles, Andrii Rybachok, Yurii Vandiuk e Taras Mishcuk chegaram apenas um décimo de segundo a frente do quarteto polonês. A Rússia completou o pódio. No K4 masculino 500m, Oleg Kukharyk, Dmytro Danylenko, Igor Trunov e Ivan Semykin levaram o ouro, com a Eslováquia ficando com a prata, pouco a frente dos vizinhos da República Tcheca.

Com dobradinha britânica, Charlotte Henshaw venceu o KL2 200m feminino, com ampla vantagem sobre a compatriota Emma Wiggs. A húngara Katalin Varga completou o pódio

Maria Mailliard (foto acima) conquistou um ouro histórico para o Chile, ao sagrar-se campeã mundial no C1 500m masculino, chegando a frente da ucraniana Liudmyla Luzan, que terminou com a prata, pouco a frente de Alena Nazdrova, de Belarus. 




Sem Isaquias Queiroz, Conrad Scheibner (foto abaixo) levou o título mundial, numa prova eletrizante de C1 masculino 1,000m. Martin Fuksa, da República Tcheca e Balazs Adolf, da Hungria, ficaram com prata e bronze respectivamente. 

(Foto: picture alliance/ Eibner-Presse)



Outra ausência importante do mundial foi a da super estrela Lisa Carrington, da Nova Zelândia. Quem aproveitou foi a dinamarquesa Emma Jorgensen, dona de três medalhas olímpicas, para sagrar-se campeã mundial no K1 feminino 200m, seu primeiro título desde 2014. Anna Lucz, da Hungria, levou a medalha de prata, e a russa Natalia Podolskaia conquistou o bronze.

Sem Nova Zelândia no K2 feminino 500m, Danuta Kozak que conquistou o bronze em Tóquio, foi campeã mundial, desta vez ao lado de Tamara Csipes. Volha Khudzenka e Maryna Litvinchuk conquistaram a prata para Belarus e Hermien Peters e Lize Broekx, representando a Bélgica, levaram o bronze.

Os suecos Dennis Kernen e Martin Nathell levaram o ouro no K2 1.000m masculino, a frente dos dinamarqueses Simon Jensen e Morten Graversen. Em uma disputa emocionante com a dupla de Belarus, Balint Noe e Tamas Kulifai ficaram com o bronze. 

Três canoistas no pódio
Dono de duas medalhas olímpicas, Pimenta levou seu segundo título mundial (Foto: DR)


Fernando Pimenta conquistou o título mundial no K1 masculino 1000m, recuperando o título que havia sido seu em 2018. A conquista veio com vitória apertada sobre o atual bicampeão mundial e medalhista de ouro olímpico Ballint Kopasz, da Hungria, que ficou com a prata. Aleh Yurenia, de Belarus, completou o pódio. 

No K2 feminino 200m, Kristina Kovnir e Anastasia Dolgova levaram ouro para a Federação de Canoagem Russa. Blanka Kiss e Anna Lucz, da Hungria, ficaram com a prata e a dupla polonesa formada por Dominika Putto e Katarzyna Kolodziejczyk levou o bronze.

Os cubanos Serguey Torres e Fernando Jorge, campeões olímpicos no C1 1000m, a frente das duplas da China, Alemanha e Brasil, não tiveram o mesmo sucesso no mundial e terminaram com o bronze. O russo Vladislav Chebotar, que disputou os Jogos Olímpicos, mas ficou fora da final em Tóquio, sagrou-se campeão mundial ao lado de Kirill Shamshurin. Wiktor Glanuwo e Tomasz Barniak, apenas sétimos nos Jogos Olímpicos, levaram a prata.

Completando as finais deste sábado (18), Alida Gazso conquistou o ouro para a Hungria no K1 feminino 1.000m. Lizzie Broughton, da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, levou a prata, a frente da dinamarquesa Pernille Knudsen.

Você pode conferir os pódios das provas com brasileiros nesta matéria.

Foto: Mateus Nagime (Mundial de Canoagem Velocidade em Szeged 2019)

Nenhum comentário:

Postar um comentário