Zico carrega a tocha em Kashima e afirma que a oportunidade foi negada no Rio - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Zico carrega a tocha em Kashima e afirma que a oportunidade foi negada no Rio

Compartilhe

 


O ídolo do Flamengo e do futebol japonês, Zico, carregou neste domingo (4), a tocha dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ex-técnico da seleção japonesa e dirigente do Kashima Antlers, time da cidade de Kashima, o meio campista pode finalmente carregar um dos maiores símbolos do evento, o que não ocorreu em 2016 no Brasil. O jogador chegou a disputar o pré-olimpico para Munique-1972, quando fez o gol da classificação, porém foi cortado da equipe antes dos Jogos.


Arthur Antunes Coimbra é muito respeitado no Japão, foi lá que pendurou as chuteiras após jogar pelo Kashima Antlers entre 1991 e 1994. A admiração por Zico fez a JFA (Associação Japonesa de Futebol) chama-lo para treinar a seleção japonesa entre 2002 e 2006. Sua maior conquista foi a Copa da Ásia em 2004. Na Copa do Mundo FIFA de 2006 realizada na Alemanha, o Japão perdeu de 4 a 1 para o Brasil na última rodada da fase de grupos.


Em seu Instagram, Zico lamentou o fato de não poder ter feito isso no seu próprio país. O ex-jogador é tratado como uma divindade pela maior torcida do país. Torcedores do Flamengo brincam que o Natal é no dia de seu aniversário.



"Depois do meu país e da minha cidade terem me negado essa oportunidade de carregar a Tocha Olímpica, hoje realizei meu sonho de participar de uma Olimpíada. Agradeço o Kashima Antlers, a cidade de Kashima e ao Japão por terem me dado essa oportunidade".


Outros ex-jogadores do Kashima como Koji Nakata, Suzuki Takayuki e Narahashi, também carregaram a tocha.


Nesta segunda (5), o portal de notícias Kyodo News, disse que a organização dos Jogos pensa em manter a ordem de não liberar as vias públicas de Tóquio para a segunda semana do revezamento da tocha na cidade. A decisão leva em conta o aumento do número de casos de Covid-19 na capital. 


O revezamento termina no dia 23, quando a tocha entrará no estádio olímpico e acenderá a pira olímpica. A cerimônia de abertura começará as 8h no horário de Brasília. O evento terá transmissão de Globo, Sportv e Bandsports. O Surto Olímpico fará a cobertura completa do que melhor acontecer em Tóquio, com o repórter Mateus Nagime trazendo informações in loco


Surte+: Tocha olímpica não passará pelas ruas de Tóquio na primeira semana do revezamento


Foto em destaque: Reprodução/ Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário