Turco Mete Gazoz conquista o ouro no tiro com arco masculino em Tóquio

Tiro com arco Turquia Olimpíadas

O turco Mete Gazoz conquistou a medalha de ouro na disputa individual masculina do tiro com arco nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ele venceu quatro combates neste sábado (31), incluindo o italiano Mauro Nespoli na final, e faturou a primeira medalha olímpica de seu país na modalidade. O japonês Furukawa Takaharu ficou com o bronze.


Ranqueado como o número 10, Gazoz já havia vencido dois combates até chegar nas oitavas de final e venceu mais quatro neste sábado. Nas quartas de final, o turco derrubou o gigante Brady Ellison, dos Estados Unidos, que é o recordista mundial e era o favorito a ficar com o ouro. Na semi, Gazoz derrotou Furukawa por 7-3 e superou Nespoli na final por 6-4.


Gazoz tem 22 anos e é quarto colocado do ranking mundial. Ele se destacou este ano com a conquista do título do Pré-Olímpico Europeu, em que ganhou a vaga para Tóquio-2020. O ouro de Gazoz é a primeira medalha olímpica da Turquia no tiro com arco. É, também, o primeiro pódio dourado do país em Tóquio, depois dos bronzes de Hakan Recber e de Hatice Kubra Ilgun no taekwondo.


Nespoli, o vice-campeão, faturou sua terceira medalha olímpica. Ele já havia sido prata por equipes em Pequim-2008 e ouro em Londres-2012. Furukawa também subiu ao pódio pela terceira vez, depois da prata individual em Londres-2012 e do bronze por equipes masculinas em Tóquio. O japonês derrotou o taiwanês Tang Chih-Chun na disputa do terceiro lugar individual.


Esta foi a primeira vez desde Pequim-2008 que a Coreia do Sul não conquistou nenhuma medalha no individual masculino do tiro com arco. O país foi campeão por equipes e teve três dos quatro melhores atletas da fase de ranqueamento, mas todos foram eliminados de forma precoce. O que mais avançou foi Kim Woojin, que caiu nas quartas para Chih-Chun. 


Único brasileiro na disputa masculina, Marcus Vinicius D'Almeida foi eliminado nas oitavas de final por Mauro Nespoli. Marcus conquistou o melhor resultado brasileiro da história da modalidade, igualando o feito de Ane Marcelle dos Santos, que foi nona colocada na Rio-2016. Em Tóquio, Ane parou na fase de 16 avos e foi derrotada pela campeã, a sul-coreana An San


Foto de capa: Clodagh Kilcoyne/REUTERS

Código adsense convertido aqui

Postar um comentário

APOIE O SURTO OLÍMPICO EM PARIS 2024 Sabia que você pode ajudar a enviar duas correspondentes do Surto Olímpico para cobrir os Jogos Olímpicos de Paris 2024? Faça um pix para surtoolimpico@gmail.com e nos ajude a levar as jornalistas Natália Oliveira e Laura Leme para cobrir os jogos in loco! Composto por cinco editores e sete colaboradores, o Surto Olímpico trabalha desde 2011 para ser uma referência ao público dos esportes olímpicos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apoie nosso trabalho! Contribua para a cobertura jornalística esportiva independente!
To Top