Gabriel Medina e Ítalo Ferreira se classificam para as quartas de final do surfe em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Gabriel Medina e Ítalo Ferreira se classificam para as quartas de final do surfe em Tóquio

Compartilhe

 



Os brasileiros Gabriel Medina e Ítalo Ferreira venceram nesta segunda (26) as suas baterias pela terceira fase do surfe nos Jogos de Tóquio-2020.  As duas baterias foram realizadas com o mar muito agitado na praia de Tsurigasaki. Os dois voltam a cair no mar na noite desta segunda pelas quartas de final. No feminino, Tati Weston-Webb foi eliminada e Silvana Lima se classificou 


Classificado, Medina enfrentará agora o francês Michel Bourez e Ítalo disputará as quartas contra o japonês Ohhara Hiroto. Nas outras baterias, o anfitrião Igarashi Kanoa venceu o indonésio Rio Walda e vai enfrentar o norte-americano Kolohe Andino que eliminou o compatriota John John Florence.


Gabriel Medina venceu o australiano Julian Wilson por 14.33 a 13.00. O brasileiro fez um aéreo perfeito logo em sua primeira onda, marcando 7.50. Também em sua primeira onda Julian fez 6.17. Com 12 minutos de bateria, o australiano virou a série com um aéreo incompleto pontuado em 5.67. Na metade da disputa, o brasileiro pegou uma boa onda, fez uma rasgada forte que espalhou muita água e atacou o lip com a rabeta da prancha ganhando 6.83 dos juízes, voltando pra liderança.


O brasileiro então, resolveu usar a sua prioridade e "guardou caixão" para evitar que o adversário pegasse boas ondas, o que não impediu que o australiano conseguisse encaixar um aéreo faltando 30 segundos pro fim, gerando uma clima de tensão ao fim da bateria. Julian precisava de um 8.16 para vencer, mas os juízes deram apenas 6.83. 


Esta foi a última bateria de Julian antes de fazer uma pausa na carreira para ficar mais próximo da família.


Ítalo Ferreira derrotou o neozelandês Billy Stairmand por 12.84 a 9.04. O potiguar fez muitas tentativas de aéreos para vencer. Ele conseguiu uma nota no aéreo e outra em uma onda de manobra. Na sua segunda maior nota, 7.17, ele voou fazendo a rotação completa e na sua melhor nota, 7.37, ele atacou a onda com fortes rasgadas, que levantaram muita água.


Por causa do chaveamento, os brasileiros só se enfrentam em disputa de medalhas, seja disputa pelo bronze ou final. Eles voltam pra água nesta segunda para as quartas de final.


Foto em destaque: Lisi Niesner/Reuters





Nenhum comentário:

Postar um comentário