Em busca do bi, Thiago Braz se garante na final do salto com vara em Tóquio - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Em busca do bi, Thiago Braz se garante na final do salto com vara em Tóquio

Compartilhe


Thiago Braz começou bem sua trajetória em busca do segundo ouro olímpico. O brasileiro passou pelas eliminatórias do salto com vara e se garantiu na final nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tendo saltado 5,75m. A terceira sessão de atletismo, disputada nesta sexta-feira (30), também contou com a classificação de Izabela da Silva para a final do lançamento de disco


Thiago fez cinco saltos e obteve êxito em três deles. Ele iniciou sua trajetória em 5,50m e passou após errar a primeira tentativa. Em 5,65m, ultrapassou o sarrafo com tranquilidade. Já em 5,75m, falhou na primeira chance e voltou a passar na segunda tentativa. Ao todo, 14 atletas se classificaram para a final, sendo que 11 deles também marcaram 5,75m. Outros três pararam em 5,65m.


Outro brasileiro na prova, Augusto Dutra também saltou para 5,65m, mas acabou na 16ª colocação pelos critérios de desempate, não indo à final. Ele teve um ótimo início de competição, passando por 5,30m e 5,50m de primeira, mas só conseguiu bater a marca de 5,65m na última tentativa. Os atletas a sua frente conseguiram passar de primeira por essa altura.


Entre os classificados à final do salto com vara, destaque para o sueco Armand Duplantis, o francês Renaud Lavillenie e o polonês Piotr Lisek. Companheiro de treinos de Thiago Braz, o filipino Ernest John Obiena também avançou. Vale lembrar que o bicampeão mundial da prova, Sam Kendricks, se ausentou pois testou positivo para Covid-19. A final acontece na terça-feira (03), às 07h20 de Brasília.


Quem também teve uma noite (no Brasil, manhã no Japão) iluminada foi Izabela da Silva (foto). Em sua primeira participação olímpica, a brasileira de 25 anos se qualificou para a final do lançamento de disco feminino. Ela registrou 61,52m e se ficou com a 12ª e último melhor marca da eliminatória. A final está marcada para segunda-feira, às 08h, no horário brasileiro.



Izabela foi campeã mundial juvenil em 2014, mas passou a conviver com lesões após a conquista. Após a prova desta sexta, ela disse que os Jogos Olímpicos foram seu ânimo para seguir competindo internacionalmente. No entanto, revelou que não pensava em ir para a final e queria apenas fazer o seu melhor.


"Eu me senti tranquila e consegui fazer o que queria. Ir para a final é muito impactante, é o maior presente que eu poderia receber, porque dia 2 é o meu aniversário, data da final. Estou muito feliz. Vim para os Jogos Olímpicos pensando só em fazer a minha marca, sem nem pensar em final", disse Izabela.


Outras duas brasileiras também competiram no lançamento de disco, mas pararam nas eliminatórias. Fernanda Borges registrou apenas uma tentativa válida e ficou com 57,90m, terminando na 24ª colocação geral. Ela foi pega no doping em junho, mas conseguiu um recurso na Corte Arbitral do Espote (CAS) e foi liberada para participar dos Jogos Olímpicos de última hora. Já Andressa de Morais marcou 58,90m e ficou em 21º.



Brasileiros vão mal na pista

Entre as provas de pista nesta sessão, os brasileiros não tiveram um bom desempenho. Chayenne Pereira terminou em último lugar em sua bateria eliminatória dos 400m com barreiras, marcando 57.55, mais de um segundo e meio atrás da penúltima colocada. A brasileira tem 21 anos e participou de sua primeira Olimpíada. Ela tinha 55.15 como melhor marca na temporada.


Thiago André ficou na última posição da terceira série eliminatória dos 800m rasos, marcando 1:47.75, quase três segundos acima do seu melhor da temporada. O vencedor da série foi o vice-campeão olímpico de 2012, Nijel Amos, de Botsuana, que marcou 1:45.04. O brasileiro ficou com o 39º tempo das eliminatórias, entre 47 atletas que disputaram.


"Foi uma série bem forte, além do que eu esperava. Acho que foi a série mais forte (1:45.04). Fizemos a avaliação do penúltimo Mundial e dos Jogos Olímpicos, que havia sido bem tranquilo. Mas dessa vez estava todo mundo com sangue nos olhos para correr, inclusive eu, mas hoje o mérito foi deles", comentou Thiago após a corrida. Ele é recordista sul-americano da prova.


Por fim, Ketiley Batista ficou na sétima colocação na quarta série dos 100m com barreiras. Ela marcou 13.40 e ficou distante das semifinais, terminando na 35ª colocação entre 39 atletas. A última classificada, a bahamense Pedrya Seymour, competiu justamente em sua série e teve 13.04. A brasileira tem 22 anos, foi campeã sul-americana este ano e faz sua primeira aparição olímpica.


Surte +: Relembre como foi o primeiro dia do atletismo em Tóquio-2020 


Fotos: Wander Roberto/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário