Karina Trois cai nas quartas do Pré-Olímpico e Belén Pérez Maurice salva esgrima argentina por terceira Olimpíada seguida - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Karina Trois cai nas quartas do Pré-Olímpico e Belén Pérez Maurice salva esgrima argentina por terceira Olimpíada seguida

Compartilhe

Neste domingo (2) terminou o Pré-Olímpico das Américas de Esgrima disputado em San Jose, na Costa Rica, em que foram decididas as últimas das 212 vagas destinadas ao esporte nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Atletas do Argentina, México e Peru conquistaram as primeiras vagas para seu esporte em Tóquio 2020, com destaque para a sabrista Maria Belén Pérez Maurice, classificada para sua terceira Olimpíada e sempre como única esgrimista do país. 


O Brasil foi representado apenas por Karina Trois (158ª), no sabre feminino já que o país já possui representantes tanto na espada feminina (Nathalie Moellhausen, atual campeã mundial) e no florete masculino (Guilherme Toldo), classificados pelo ranking. No sábado, Athos Schwantes, Bia Bulcão e Bruno Pekelman também tiveram boas campanhas mas não conquistaram as vagas.


Surte+ Gosta de nosso trabalho? Colabore com nosso crowdfunding e Ajude o Surto Olímpico a fazer uma cobertura olímpica direto de Tóquio! 


Trois, de apenas 22 anos teve um bom desempenho e quase chegou a ganhar da argentina Maria Belen Perez Maurice (38ª) na sua poule, caindo por placar de 5 a 4 (foto acima). Nas quartas de final, fez um jogo acirrado diante da venezuelana Alejandra Johnay Benitez Romero (46ª), única invicta das poules, mas caiu por apertados 15 a 12, terminando a competição em oitavo lugar. 


A paulista venceu três confrontos e perdeu outros três na fase de poules: ela derrotou a jamaicana Alexia C. Newell, Maria Angel Porras Sandi e Julieta Toledo e perdeu para a nicaraguense Fatima Largaespada e para a dominicana Heyddys Valentin, ambos por 5 a 2. Na fase de oitavas, Trois se vingou de Largaespada, vencendo por 15 a 9, antes de cair para Benitez nas quartas. 


Como ficaram as últimas vagas

Ainda no sabre femininoPérez Maurice e Benitez Romero se encontraram na final. A argentina lutava para evitar um vexame histórico para a esgrima de seu país, que sempre contou com um atleta do esporte em todas delegações olímpicas, desde Paris 1924. Ela mesmo havia sido a única representante argentina tanto em Londres 2012 quanto na Rio 2016, e não deu margem para o azar depois de ver dois compatriotas caindo na final vencendo por 15 a 6. As medalhas de bronze ficaram com a dominicana Heyddys Valentin e a mexicana Julieta Toledo. 


Na primeira disputa do dia, na espada feminina, a peruana Maria Luisa Doig Calderon entrou direto nas quartas-de-final por ser cabeça 3. Ela venceu a costa-riquenha Karina Dyner (137ª) por 15-8. Na semifinal ela derrotou a principal esgrimista do Paraguai, Montserrat Viveros (62ª) por 15-6. Na final ela superou a principal favorita, a canadense Leonora Mackinnon (34ª), por 15 a 12. Na comemoração, a empolgação foi tão grande que ela jogou a máscara que saiu quicando pela sala. A cubana Yamilka Rodriguez Quesada (112ª) levou o outro bronze.


Já o México conquistou sua vaga com um jovem de 20 anos. Diego Cervantes ficou em quinto nos Jogos Olímpicos da Juventude e foi 10º no mundial juvenil de esgrima  e agora terá a chance de representar o país nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 no florete masculino.


Número 137 do mundo, ele foi o único dos floretistas a ter passado invicto pela poule, Nas quartas, ele venceu o peruano Federico Canchez Sifuentes (171º) por 15-3 e em seguida passou pelo colombiano Daniel Sconzo (95º) por 15-11. Na grande final, ele surpreendeu o argentino Augusto Antonio Servello (73º) por 15 a 13. O venezuelano Victor Leon (61º), principal cabeça do torneio ficou com o outro bronze.


Foto: Reprodução do confronto entre Trois e Pérez Maurice / Youtube

Nenhum comentário:

Postar um comentário