Brasil é desclassificado no 4x100m masculino do Mundial de Revezamentos; África do Sul fica com o ouro - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Brasil é desclassificado no 4x100m masculino do Mundial de Revezamentos; África do Sul fica com o ouro

Compartilhe

*Com Wesley Felix

O raio caiu duas vezes no mesmo lugar. Repetindo o que ocorreu um dia antes com a equipe feminina, o revezamento 4x100m masculino do Brasil foi desclassificado neste domingo (2), também por pisar na raia adversária, na final do Mundial de Revezamentos. A equipe havia chegado na segunda colocação, com 38s72, um centésimo atrás da África do Sul, mas acabou sem a medalha.


O erro aconteceu na segunda passagem. Derick Silva recebeu o bastão de Felipe Bardi e pisou na linha da raia adversária. A falha só foi identificada ao final da prova. A equipe brasileira chegou a tirar fotos e a comemorar o vice-campeonato - ainda que de forma tímida, já que era atual campeã e favorita ao bicampeonato -, e recebeu a notícia da desclassificação apenas nos vestiários.


Antes da eliminação, o Brasil protagonizou uma disputa emocionante com a África do Sul, com o "título" sendo decidido no photo finish. Rodrigo do Nascimento abriu o revezamento e entregou para Bardi na liderança. O atleta do Sesi não manteve o ritmo e teve apenas o quarto melhor tempo de sua perna. Derick, por sua vez, recuperou e deixou Paulo André com uma boa margem na liderança.


Paulo não fez uma última perna ruim, correndo os 90 metros finais para 9s21, mas foi surpreendido pelo sul-africano Akani Simbine, que conseguiu tirar uma diferença de 12 centésimos para ser campeão, com 38s71. Além de Simbine, fizeram parte da equipe africana Thando Dlodo, Tlotliso Gift Leotlela e Clarence Munyai. 


Curiosamente, das oito equipes que iniciaram a prova, apenas quatro finalizaram. Além do Brasil, Gana, que havia terminado em terceiro, também foi desclassificada por realizar a passagem de bastão em área não permitida. Já Alemanha e Países Baixos apenas não cruzaram a linha de chegada. Assim, a Itália ficou com a prata (39s21) e o Japão foi bronze (39s42). A Dinamarca foi quarta, com 39s56.


Um pouco mais cedo, no mesmo dia, a equipe 4x400m mista do Brasil, formada por Anderson Henriques, Tifani Marinho, Geisa Coutinho e Alison dos Santos, conquistou a medalha de prata, em prova também decidida no photo finish.


Foto: Reprodução/@wasilesia2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário