Pré-Olímpico da África e Oceania de Wrestling começa com quatro países levando todas as vagas na Luta Greco-Romana - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Pré-Olímpico da África e Oceania de Wrestling começa com quatro países levando todas as vagas na Luta Greco-Romana

Compartilhe
wrestling africa oceania qualification tournament torneio luta greco-romana Fergat vence Fajari



Teve início nesta sexta-feira (02) o Pré-Olímpico da África e Oceania de wrestling em Hammamet, na Tunísia. A competição distribuirá 36 vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio para os finalistas das 18 categorias. O dia de hoje foi dedicado às seis categorias da luta greco-romana com as 12 primeiras vagas sendo distribuídas por quatro países: Argélia, Egito, Marrocos e o país-sede, Tunísia.

Argélia e Tunísia foram os que mais garantiram representantes nas Olimpíadas que acontecerão em julho e agosto, com quatro vagas cada. O Egito ficou logo atrás, levando mais três representantes, além de uma vaga que já havia conquistado no Mundial de 2019, chegando também a quatro atletas na luta greco-romana. Completando o lote, Marrocos ficou com uma única vaga.

A competição continua no sábado com as seis categorias da luta livre feminina e chega a seu término no domingo com os 12 atletas classificados na luta livre masculina. A Nigéria, que não teve representantes nas disputas de luta greco-romana é o único país africano que já possui vagas olímpicas na luta livre, com duas no feminino.

Surte +: Gosta de nosso trabalho? Participe da campanha em prol do jornalismo esportivo independente e Ajude o Surto Olímpico a carimbar sua vaga e estar em Tóquio!

O primeiro a conquistar a vaga no campeonato foi o argelino Abdelkarim Fergat, atual tri-campeão africano da modalidade nos 60kg, em uma batalha apertada sobre o marroquino Fouad Fajari, vencendo por 4 a 3. Fergat foi medalhista de bronze na Copa do Mundo de Belgrado em dezembro do ano passado.

Em seguida, na mesma categoria, o egípcio Haithem Mahmoud precisou de menos de dois minutos para vencer por 9 a 0 o tunisiano Mehdi Jouini e conseguir segunda vaga disponível.

Na final, que não influencia na disputa olímpica, Mahmoud venceu Ferjat, enquanto Fajari derrotou Jouini e levou o bronze.

Apesar de não contar com público, os tunisianos no local fizeram muito barulho e incentivaram Lamjed Maafi, de 20 anos, em sua vitória sobre o argelino Abdelkrim Ouakali, atual campeão africano e medalhista de ouro nos Jogos Africanos de 2019, por 5 a 1, na primeira semifinal dos 77kg. Maafi garantiu a primeira vaga para a Tunísia no wrestling nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Na segunda semifinal, o marroquino Zied Ait Ouagram chegou a estar perdendo por 3 a 1 mas conseguiu virar sobre o egípcio Wael Hamdy Abdelrahman para triunfar por 7 a 5. Ele é dez vezes campeão africano. Foi a única vaga conquistada por seu país no dia, e talvez por isso a celebração foi intensa:

Maafi terminou com o ouro após um placar de 3-3 diante de Ouagram, enquanto Abdelrahman levou o bronze.

Pelos 87kg, a Argélia foi o primeiro país a levar duas vagas com a vitória de Bachir Sid Azara, ouro em Rabat 2019 e três vezes campeão continental, sobre o tunisiano Mohammed Missaoui por 7 a 1.

Logo em seguida o sul-africano Lessing começou bem marcando 2 a 0 mas a superioridade de Mohamed Missaoui se tornou mais evidente durante o confronto e o egípcio venceu com o placar de 12 a 2 e abandono do rival durante um estrangulamento.

Não valendo nada, Sid Azara decidiu não disputar a final, dando o título para Metwally. A disputa de bronze, por outro lado foi muito emocionante e Lessing abriu 10 a 5 ao fim do primeiro tempo, mas novamente sofreu virada e perdeu por 1 a 10 para Missaoui.

Além de Lessing, outros dois sul-africanos caíram nas fases preliminares e o país tem na luta livre masculina do domingo sua última chance de conseguir vaga no wrestling.



Outras três categorias foram disputadas em formato de todos contra todos. Nos 97kg, o primeiro a garantir a vaga foi o argelino Aden Boudjemline, que terminou a competição invicto sem sofrer um só ponto. Campeão dos Jogos Africanos de 2015, em Brazzaville, ele vai para sua segunda Olimpíada. A segunda vaga foi para o tunisiano Haykel Achouri, de 36 anos, que participou de Pequim 2008 e Londres 2012. O bronze ficou com o egípcio Mohamed Ali Gabr.

Ainda nesta categoria, o sírio Amir Al-Awad, que já foi 18 vezes campeão nacional antes de fugir para o Egito, onde hoje ensina luta em um centro de refugiados em Alexandria, terminou em quarto, com uma vitória sobre Tyler Talalemotu Ili, da Samoa Americana. Ele competiu pela Federação Internacional de Wrestling e levaria a eventual vaga para a Equipe Olímpica de Refugiados.



Nos 130kg,  o egípcio Abdellatif Mohamed que estava no top5 mundial em 2020, fez valer seu favoritismo pré-torneio e levou uma das vagas junto com o tunisiano Amine Guennichi. Ambos venceram todas suas lutas e empataram por 1 a 1, com vitória do egípcio por ter marcado o último ponto ainda no primeiro minuto de combate. O bronze foi para Hichem Kouchit, da Argélia.

 
Finalmente, nos 67kg, o tunisiano Souleymen Nasr foi soberano e venceu todas suas lutas, sem ceder um ponto, sendo o campeão. O argelino Abdelmalek Merabet ficou em segundo e também levou uma das vagas olímpicas. O sul-africano Gert Cornelius Johannes Coetzee levou o bronze. Essa era a única categoria da Luta Greco-Romana, na qual um lutador levou uma vaga pelo mundial, através do egípcio Mohamed Ibrahim El-Sayed.


Foto: Reprodução / United World Wrestling (UWW)

Nenhum comentário:

Postar um comentário