Poloneses superam favoritos russos e são campeões no penúltimo dia do Mundial sub-20 de Esgrima - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Poloneses superam favoritos russos e são campeões no penúltimo dia do Mundial sub-20 de Esgrima

Compartilhe
Antoni Socha Artem Sarkisyan Esgrima Fencing Russia Polônia Polska Poland

No que parecia ser um novo domínio russo no Campeonato Mundial Juvenil e Cadete de Esgrima, após vitórias avassaladoras nas semifinais da espada cadete, transformou-se numa história de superação polonesa. Alicja Klaskik e Antoni Socha, que sofreram a caminho da final, elevaram o nível na hora certa para levar o título superando os rivais russos neste sábado (10), mostrando a força da nova geração da esgrima polonesa no torneio disputado em Cairo.


Foi a terceira medalha polonesa na competição, que já havia levado o bronze no sabre juvenil com Szymon Hryciuk, ainda no primeiro dia. A Polônia sobe para o quarto lugar no quadro de medalhas, atrás da Coreia do Sul, com 2 ouros, 3 pratas e 4 bronzes. Rússia garantiu a vitória geral da competição, com 5 ouros, 5 pratas e 3 bronzes, não podendo mais ser alcançada pelos EUA com 3 ouros, 4 pratas e 6 bronzes, com apenas duas provas faltando.


A grande surpresa das fases iniciais ficou para a queda do egípcio Mohammed Yasseen, vice-campeão mundial juvenil e um dos favoritos ao ouro no cadete em casa. Ele parece ter sentido o desgaste da véspera e precisou de atendimento físico para vencer nas oitavas, antes de ser derrotado pelo russo Artem Sarkisyan por 15 a 12 nas quartas. A expectativa do Egito é que ele se recupere para a disputa do torneio por equipes neste domingo (11).



Alicja Klaskik repetiu a boa poule da véspera, vencendo os seis confrontos, e terminou como segunda melhor. Na sexta-feira (9), a polonesa de 17 anos havia sido a melhor na fase de grupos do torneio juvenil e caiu nas quartas-de final, mostrando grande potencial.


No mata-mata, ela estreou direto na segunda fase, ela venceu a sul-coreana Han Yoonjung por 15-9, a grega Andriana Theodoropoulou por 15-6 e a sul-coreana Kang Jihyun, algoz da brasileira Clara Amaral na primeira rodada, por 15-10.


Na semifinal, susto para a polonesa quando a norte-americana Ketki Ketkar abriu 5 a 3. Alicja Klasik se manteve focada e virou o jogo para 10 a 9 ao último intervalo. Com 13 a 13, um toque duplo levou ao 14 a 14 e um toque simultâneo levou a uma decisão de vídeo que deu a vitória para Klasik por 15 a 14.


Surte+ Victoria Vizeu é eliminada por ucraniana pelo segundo dia consecutivo no Mundial Cadete e Juvenil de Esgrima 


Na segunda semifinal, a russa Ekaterina Kolbeneva começou voando, abrindo 5-0 e 11-2, para então administrar a vitória por 15-4. A estoniana Susanne Lannes  caiu em lágrimas ao final da partida, em um dos momentos mais emocionantes do Mundial, que chega a seu fim amanhã. Apesar da tristeza, Lannes conseguiu o primeiro e até agora único pódio do país Báltico no evento.


Na final feminina, Kolbeneva abriu 5-2 ainda no primeiro tempo, e dado à performance durante todo o dia parecia que dominaria a final. Porém, a russa permitiu a virada de Klasik na marca de  7 a 6, que ampliou a vantagem e derrotou a rival russa por 15 a 12 e pulou muito ainda na pista. 


O polonês Antoni Socha começou bem o torneio com cinco vitórias e uma derrota por 5 a 4 para o cazaque Bogdan Lukin. Classificado direto para a segunda fase, Socha venceu o sul-coreano Kim Donghyeok por 15-11, o costa-ricense Daniel Ojeda Buitrago por 15-13 e o belaurso Mihail Puchkovskiy por 15-13 pelas oitavas.  Nas quartas-de-final, um difícil duelo contra o búlgaro Rahim Rashaida decidido no último segundo. Com 14-13 de vantagem, ele partiu para o toque duplo e garantiu a medalha com uma vitória por 15-14. 


Disputando a primeira semifinal masculina, Socha teve a vantagem durante todo o confronto diante do sul-coreano Kim Dowan e chegou a abrir 12 a 6 e 13 a 9, mas permitiu aproximação de Kim que acelerou o jogo de pernas e empatou em 13-13. Num ataque quase simultâneo, Socha encontrou uma brecha e abriu 14-13 antes de fechar o confronto em 15-13 com uma bela flecha.


Na segunda semifinal, em mais um confronto decisivo entre os dois principais países do Mundial, o russo Artem Sarkisyan derrotou tranquilamente o norte-americano Skyler Liverant por 15 a 7. Kim e Liverant levaram as medalhas de bronze.


Valendo o ouro na espada cadete masculino, Antoni Socha abriu 10 a 5 diante de Sarkisyan para permitir a aproximação do rival. Assim como na semifinal, Socha permitiu que o confronto chegasse a 13 a 13, quando alcançou o ‘match touch’ no 14-13 e venceu por 15-13 para levar o segundo ouro da Polônia. 


Antoni Socha Polônia Poland polska fencing epee espada esgrima


O último dia do Mundial Juvenil e Cadete de Esgrima no Cairo começa com o torneio de espada por equipes a partir das 3h30 da manhã, horário de Brasília, deste domingo (11). O time feminino do Brasil, composto por Clara Amaral, Carolina Checheliski, Giorgia Giordano e Victoria Vizeu, enfrenta o Uzbequistão e em caso de vitória desafia o forte time polonês, 4º cabeça e liderado pela campeã do dia Alicja Klasik.


O time masculino, com Leandro Seini, Lucas Busnardo, Mauricio Pellegrino e Tarcisio Mendes, entra em ação na mesma hora contra a Finlândia. Em caso de vitória, o time desafia a forte seleção russa, cabeça 2. Um confronto curioso de oitavas pode ser Estados Unidos e Líbia, se o time de Abubaker Reda Algadi, Mohamed El Gadi, Abdulmalek El Ghadi e Mohamed Eljballi derrotar Hong Kong na estreia. 


Surte+ Equipes de florete alcançam melhor campanha do Brasil no Mundial Juvenil de Esgrima 

Uma vitória é muito importante para as equipes, pois a partir das oitavas, o Brasil joga mais três partidas pelo torneio de consolação, ganhando ritmo de jogo contra as potências mundiais e pontos importantes para subir no ranking


Comentando a performance de Victoria Vizeu neste sábado (10), que ficou no top10 da poule, mas caiu para a ucraniana Olexandra Lazarenko pelo segundo dia consecutivo, o técnico da seleção brasileira Marco Cardoso avaliou positivamente o resultado. “Isso pode acontecer. Campeonato Mundial não tem adversário fraco. A Victoria dominou em alguns momentos e perdeu no detalhe. O dia foi positivo, não pelo resultado, mas pelo aprendizado e crescimento futuro para essa moçada”.


Surte+ Gosta de nosso trabalho? Colabore com nosso crowdfunding e Ajude o Surto Olímpico a fazer uma cobertura olímpica direto de Tóquio! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário