Guiné-Bissau garante primeiros atletas em Tóquio 2020 e Tunísia lidera vagas ao fim do pré-olímpico de wrestling - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pesquisar:

Últimas Notícias

Guiné-Bissau garante primeiros atletas em Tóquio 2020 e Tunísia lidera vagas ao fim do pré-olímpico de wrestling

Compartilhe
Guine-Bissau wrestling tokyo 2020


O Pré-Olímpico da África e Oceania de wrestling teve fim neste domingo (04) em Hammamet, Tunísia, com a distribuição de mais 12 vagas olímpicas. O destaque ficou para a conquista de duas cotas por Guiné-Bissau, as primeiras do país nos Jogos Olímpicos de Tóquio. A Tunísia levou mais duas vagas e foi o país que mais colecionou classificações durante a competição, com dez ao todo.


Argélia e Egito terminaram a competição com oito atletas classificados - o Egito conquistou sete e já possuía uma na luta greco-romana pelo Mundial de 2019. Micronésia e Madagascar foram outros países que ficaram próximos de levar uma vaga no dia de hoje, enquanto Austrália e África do Sul terminaram o dia sem qualquer vaga no esporte. Guam foi o único país da Oceania a levar uma das 36 vagas distribuídas no torneio.


Surte+ Guam e Guiné conquistam primeiras vagas para Tóquio 2020 no Pré-Olímpico de wrestling


Na primeira luta da fase final do 57kg, Junjun Asebias esteve muito próximo de conquistar a vaga inédita para a Micronésia em Tóquio 2020, ao marcar 8 a 1 na semifinal. Porém, o argelino Abdelhak Kherbache, atual bicampeão continental e medalhista de ouro nos Jogos Africanos de Rabat 2019, diminuiu para 8 a 5 faltando apenas seis segundos finais para o intervalo. Na volta, encaixou uma série de golpes potentes em apenas 17 segundos e virou para 15 a 8, placar que se manteve até o fim, marcando sua passagem para Tóquio e destruindo o sonho do representante da Oceania. 



Na disputa pela segunda vaga da categoria, finalmente veio vaga inédita para um país: Diamantino Iuna Fafé venceu por 10 a 0 o marroquino Chakir Ansari, colocou oficialmente o Guiné-Bissau nos Jogos de Tóquio 2020 e comemorou muito. 


Na categoria de 74kgAugusto Midana, seis vezes campeão africano e porta-bandeira de Guiné-Bissau em Pequim 2008 e Rio 2016, conquistaria instantes mais tarde a vaga para sua quarta Olimpíada ao derrotar o argelino Ishak Boukhors por 4 a 1. A segunda vaga foi para o egípcio Amr Reda Ramadan Hussen, ao derrotar Elias Laufo Vaoifi, que buscava ser o terceiro wrestler olímpico da história da Samoa Americana.


Augusto Midana e Diamantino Iuna Fafé Guiné-Bissau


Nos 65kg, Aimé Mbolalalaina Joel Rakotoniaina buscava ser o primeiro classificado de Madagascar para os Jogos Olímpicos, mas caiu para o senegalês Adama Diatta, oito vezes campeão africano, que garantiu a única cota para o país no esporte. A segunda vaga foi para o tunisiano Haithem Dakhlaoui, que superou o egípcio Fathi Tarek Ismail


Nos 86kg, Ekerekeme Agiomor levou a única vaga masculina para a Nigéria, que já tem quatro lutadoras com vagas, ao não dar chances ao australiano Jayden Alexander Lawrence. O argelino Fateh Benferdjallah levou a segunda vaga com vitória diante de Khaled El-Moatamadawi, do Egito. 



Nos 97kg, novo domínio da Tunísia e Argélia: o lutador da casa Mohamed Saadaoui venceu o egípcio Hosam Merghany e o argelino Mohammed Fardj derrotou o nigeriano Soso Tamarau


E completando as 36 vagas olímpicas oferecidas no evento, Diaaeldin Kamal, do Egito, e Djahid Berrahal, da Argélia, foram os classificados na 125kg, com vitórias sobre Johannes Kriel, da África do Sul, e Abdelmoneim Adouli, da Tunísia.


Surte +: Gosta de nosso trabalho? Participe da campanha em prol do jornalismo esportivo independente e Ajude o Surto Olímpico a carimbar sua vaga e estar em Tóquio!

Foto: United World Wrestling / Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário