Após um ano de paralisação, Circuito Mundial de Vôlei de Praia retorna com sete duplas brasileiras no Catar - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Após um ano de paralisação, Circuito Mundial de Vôlei de Praia retorna com sete duplas brasileiras no Catar

Compartilhe
Ágatha e Duda comemorando partida no Circuito Mundial de Vôlei de Praia

Está chegando a hora do fã de vôlei de praia matar a saudade do tradicional Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Após um ano sem competições de alto nível, o Katara Beach Volleybal Cup, em Doha, no Catar, irá abrigar mais de 100 duplas de 08 a 12 de março. O Brasil será representado por sete duplas em ambos os naipes, com destaque para a disputa feminina - a primeira em solo catari na história.


A corrida em busca pela vaga em Tóquio 2020 reinicia em uma nova etapa, que vai até 13 de junho, quando está programada para ser encerrada. Curiosamente o Catar marcará o reinicio, o mesmo local onde foi disputada a última grande etapa em 2020, apenas com a disputa masculina. Para a competição deste ano, 101 duplas estão inscritas (56 masculinas e 45 femininas).


As principais duplas do mundo estarão na disputa, como as campeãs mundiais Sarah Pavan e Melissa Humana-Paredes, do Canadá, e Viacheslav Krasilnikov e Oleg Stoyanovskiy, campeões mundiais no masculino.


Das principais ausências estão a dupla australiana da disputa feminina Clancy/Artacho del Solar, número 5 do mundo, e a dupla número 3 no ranking olímpico masculino, Fijalek e Bryl, da Polônia. 


Mas a ausência que mais será sentida certamente será de Anders Mol, melhor atacante e bloqueador do Circuito Mundial de 2019 e líder da classificação olímpica ao lado de Sorum. O norueguês tem pequena lesão no joelho e não viajou.


Brasil com sete duplas na disputa


O Brasil terá sete duplas, com cinco delas entrando direto na fase de grupos. São elas: Bárbara Seixas/Carol Solberg, Ana Patrícia/Rebecca e Ágatha/Duda, no feminino; Alison/Álvaro Filho, Evandro/Guto, no masculino. 



Enquanto isso, Tainá/Victoria e Fabio/Saymon disputarão o qualifyng nesta segunda-feira (08), buscando vaga na fase principal. Na rodada 1, Taina e Victória enfrentarão a dupla Ieva Vasiliauskaite e Daniele Kvedaraite , da Lituânia, na madrugada desta segunda-feira, às 4h (horário de Brasília). Já Fabio e Saymon duelam às 6:30h (de Brasília) contra os alemães Robin Sowa e Lukas Pfretzschner.


Eleito cinco vezes seguida o melhor sacador do Circuito Mundial, Evandro jogará ao lado de Guto, já que Bruno Schmidt se recupera em casa da Covid-19, que chegou a levá-lo à internação. Outro desfalque sentido é dos líderes do Circuito Brasileiro, a parceria de André e George. Ambos testaram positivo para o coronavírus e estão em isolamento.


No feminino, Talita e Maria Elisa também foram infectadas e não viajaram para Doha. Elas disputariam o qualificatório nacional contra Barbara e Carol.


Arena no Complexo Esportivo Al Gharrafa - Foto: Divulgação/FIVB


Premiação gorda e nova fórmula de disputa


A etapa quatro estrelas do Circuito Mundial terá uma premiação total de US$ 150 mil (R$ 854 mil) e dará 800 pontos aos campeões. A fórmula de disputa da competição será diferente do habitual. 


O torneio principal terá 32 duplas em ambos os naipes, com um sistema de disputa que classifica três das quatro duplas de cada grupo para a próxima fase. A equipe que ficar em primeiro lugar avança direto para as oitavas-de-final, enquanto o segundo e terceiro colocados precisarão disputar a fase do round 24, para poderem buscar vaga nas oitavas. Um total de 24 duplas estão inscritas diretamente na fase principal. Oito equipes virão da fase de classificação (qualifyng), que inicia nesta segunda-feira (08).


Na semana passada, Doha abriu o Circuito Mundial com uma etapa 1 estrela, onde não tinha as principais duplas do mundo. Cherif Samba e Ahmed Tijan, número 13 do mundo, ficaram com o ouro para o Catar.


Foto em destaque: Joerg Mitter/Red Bull Content Pool

Nenhum comentário:

Postar um comentário