Guia da Superliga Feminina de Vôlei 2020/21 - Fluminense - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia da Superliga Feminina de Vôlei 2020/21 - Fluminense

Compartilhe

Engana-se quem acha que o tricolor das Laranjeiras não tem história no voleibol. O Fluminense foi o primeiro time campeão brasileiro de voleibol, ainda em 1976. Cinco anos depois, a equipe carioca conquistou o bicampeonato. Além dos títulos, o clube revelou nomes como Bruno Rezende (Bruninho), Mônica Rodrigues (prata em Atlanta 1996) e as irmãs Monique e Michelle Pavão.

Após um período de ausência na Superliga, O Fluminense retornou na temporada 2016/17 e tem um 6º lugar em 2017/18 como melhor posição no campeonato. Para este ano, a equipe vivia uma incógnita até algumas semanas. O Surto Olímpico destacou em agosto a dificuldade do tricolor, que tinha tudo para vir com um elenco praticamente composto por atletas juvenis. Thaisinha, Mari Cassemiro e Paula Borgo, destaques da equipe na temporada 2019/20,  deixaram o clube. Da temporada 19/20, ficaram apenas a líbero Andressa, a levantadora Giovana e a central Natasha.

Porém, nos momentos finais, o Flu acertou parcerias com as empresas com a Tim e RenTV, possibilitando a contratação de nomes como Dayse, Fernanda Tomé, Arianne, Bruna Moraes e Fran. Já na reta final de preparação para a Superliga, o tricolor anunciou a central argentina Lazcano. Na sequência, trouxe de volta às quadras a ponteira/oposta campeã olímpica Mari, que passou por um período de experiência no vôlei de praia em 2019. Apesar dos reforços, as categorias de base serão bastante utilizadas pelo treinador Hylmer Dias, que contará com jogadoras reveladas pelo clube, como as ponteiras Mayara e Júlia Moura.

Reformulada, a equipe não conseguiu se apresentar tão bem neste início de temporada. O Fluminense, ainda sem contar com Fernanda Tomé, Mari e Dayse, acabou derrotado pelo rival Sesc/Flamengo no Campeonato Carioca e Troféu Super Vôlei. Na estreia da Superliga, novo tropeço: derrota por 3 a 0 para o jovem São Paulo/Barueri.

A entrada tardia no mercado e as contratações de última hora podem comprometer o ajuste e o rendimento da equipe dentro do campeonato, mas o Fluminense tem camisa e uma tradição que não está apenas ligada aos gramados de futebol.

Elenco:




Técnico: Hylmer Dias

Com 43 anos e muita experiência, Hylmer certamente terá um de seus maiores desde o Flu retornou à Superliga feminina. O conhecimento de suas atletas da base - Hylmer foi bronze com a Seleção Brasileira sub-18 no Mundial da categoria em 2019 - pode ser positivo e deve ajudar na gestão do elenco em sua quinta temporada consecutiva com o Tricolor na elite da Superliga.

(Foto: Divulgação/FFC)

Volte para a página central do Guia aqui

Foto de capa: Gilvan de Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário