Guia da Superliga Feminina de Vôlei 2020/21 - Osasco/São Cristóvão Saúde - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia da Superliga Feminina de Vôlei 2020/21 - Osasco/São Cristóvão Saúde

Compartilhe

De Osasco vem uma das equipes mais vencedoras do voleibol brasileiro, ficando atrás apenas do time do Rio de Janeiro em quantidade de títulos da Superliga. O clube paulista possui cinco títulos da competição, com o último tendo sido conquistado na temporada 2011/12. Na mesma época, a equipe foi campeã sul-americana e mundial, títulos que fecharam uma temporada incrível de Osasco, que contava com nomes do calibre de Sheilla, Jaqueline, Fernanda Garay, Thaisa e Camila Brait.

Apesar da tradição e da torcida apaixonada, a equipe vive um certo jejum de títulos nacionais, tendo vencido apenas a Copa Brasil de 2018 desde então. Nesse período, o time viu o rival Sesc/Flamengo se manter no topo e a ascensão de Praia Clube e Minas no cenário nacional. Esses fatores, aliados a uma diminuição nos investimentos, fizeram com que Osasco diminuísse seu domínio no vôlei brasileiro.

Em busca de retornar ao caminho vencedor, Osasco garantiu as renovações da central Bia, da levantadora Roberta, da ponteira Jaqueline e da líbero Camila Brait, quatro referências da equipe. Além disso, o time foi ao mercado e garantiu o retorno da “pitbull” Tandara, contratada após passagem pelo Sesc-RJ, que vem para ser a jogadora mais decisiva do elenco - e do Brasil. No meio, Mara foi em busca de novos ares no Sesi Bauru, abrindo vaga para a contratação da promissora Mayany. Chegaram ainda as ponteiras Sonaly, Tainara e Gabi Cândido; a central Camila Paracatu; e a levantadora Naiane.

O começo da temporada foi positivo. Osasco conquistou o Campeonato Paulista, com vitória suada no golden set para cima do Sesi Bauru na decisão. O título estadual não vinha desde 2017. Na sequência, em mais um confronto contra Sesi Bauru, nova vitória: 3 sets a 2 em partida de mais de 3h pelas quartas-de-final do Troféu Super Vôlei. Na semi, porém, o time acabou caindo para o Praia Clube, que veio a ser campeão do torneio.

O início motivador deixa a torcida esperançosa para uma boa temporada de Osasco. A equipe está na briga e conta com uma jogadora que desequilibra qualquer partida: Tandara.

Elenco:




Treinador: Luizomar de Moura

Natural de Caruaru, em Pernambuco, Luizomar está acostumado a comandar grandes projetos. Em 2001, ele conquistou seu primeiro título nacional, ao levar o Flamengo de Virna e Leila ao título da Superliga. Os bons resultados abriram portas para outros grandes times, como Campos, OI/Macaé e a seleção brasileira de base. Em 2006, ele chegou a Osasco e por lá se encontra até hoje, tendo como ápice da carreira as múltiplas conquistas de 2012 (Paulista, Superliga, Sul-Americano e Mundial). Aos 54 anos, Luizomar é um símbolo de Osasco e busca levar o time novamente ao topo do pódio.

(Foto: João Pires/FotoJump)

Volte para a página central do Guia aqui

Foto de capa: Divulgação/Osasco

Nenhum comentário:

Postar um comentário