Italo Ferreira é campeão da Euro Cup of Surfing em Portugal - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Italo Ferreira é campeão da Euro Cup of Surfing em Portugal

Compartilhe

O potiguar Italo Ferreira conquistou mais um título nessa quinta-feira, o de campeão da Euro Cup of Surfing, mesmo com Frederico Morais encerrando a sua invencibilidade que ia completar um ano neste mês de outubro. O português pegou as melhores ondas que entraram na decisão do MEO Portugal Cup of Surfing em Ribeira D´Ilhas, para festejar a vitória em casa em Ericeira. No entanto, o campeão mundial ficou em primeiro lugar no ranking das duas etapas do WSL Countdown na Europa e colecionou mais um troféu. 

Na categoria feminina, a francesa Johanne Defay derrotou a espanhola Nadia Erostarbe e levou esse título invicta.

“Parabéns Kikas por vencer o campeonato em casa, fico feliz por você e estou amarradão por ter feito mais uma final”, disse Italo Ferreira, no pódio em Portugal. “Foram duas semanas corridas pra mim e estou bem cansado. Agora é hora de ir pra casa e me preparar para Pipe (no Havaí, onde está previsto o início do CT 2021 em dezembro). Depois, eu volto pra Portugal de novo (segunda etapa em Peniche em 2021). Eu vou defender o título dessas duas etapas e já quero ganhar pra começar com o pé direito, então obrigado a todos aqui em Portugal. Foi um evento incrível, estou numa pegada bem forte e espero continuar assim, evoluindo sempre”.

Italo tinha vencido a primeira etapa da Euro Cup of Surfing, junto com Johanne semana passada na França, deixando o mesmo Frederico em nono lugar na segunda fase em Anglet. A final da etapa portuguesa foi um confronto dos melhores surfistas das duas divisões da World Surf League em 2019. Italo se sagrou campeão mundial no Championship Tour e Kikas, como o português é conhecido, foi o número 1 no ranking de acesso do WSL Qualifying Series.

A batalha final do MEO Portugal Cup of Surfing foi iniciada as 18h15 em Ericeira, 14h15 no Brasil. As quartas de final e semifinais das duas categorias foram disputadas pela manhã, até as 14h00, quando a maré já estava no auge da cheia e com poucas ondas boas em Ribeira D´Ilhas. A primeira chamada para as finais foi marcada para as 17h00, mas a feminina só começou as 17h30 na secante da maré. A decisão foi acertada e o mar estava bem melhor para decidir os títulos.

Frederico Morais aproveitou bem o seu maior conhecimento de Ribeira D´Ilhas e começou bem com nota 6,50, contra 4,00 do Italo Ferreira. O português então ficou com a prioridade de escolha da próxima onda e o brasileiro foi pegando as que ele deixava passar. Duas foram fracas e fecharam rápido, mas a terceira ele conseguiu uma manobra forte no outside e mandar mais quatro no inside, para assumir a ponta com nota 5,00. O português foi paciente e só pegou sua segunda onda aos 16 minutos, dos 35 de duração da bateria. 

Escolheu bem de novo para fazer três grandes arcos e mais três manobras que valeram nota 6,77. Italo também entrou numa dessa série e conseguiu mostrar a variedade e radicalidade do seu surfe, para ganhar 7,33. Só que Kikas deu o troco rápido, aproveitando ao máximo todo espaço que uma boa onda ofereceu, manobrando forte do início ao fim para arrancar nota 8,83 dos juízes e abrir 8,28 pontos de vantagem nos 10 minutos finais. Depois, não entraram mais ondas boas e a vitória de Frederico Morais foi confirmada por 15,60 a 12,33 pontos.

“É ótimo vencer em casa, com nosso povo português orgulhoso e por poder botar o surfe português no mais alto nível”, disse Frederico Morais, logo que saiu do mar. “Voltar a competir e ganhar aqui nesse lugar que é muito especial para mim, onde eu sempre treino e sou superberm recebido pelos locais, é um orgulho. Foi incrível enfrentar o Italo (Ferreira), o Kanoa (Igarashi) e é disso que a gente sente falta, de competir, então obrigado a todos, organizadores e patrocinadores, que fizeram esse evento”. 

Frederico passou dois anos na elite e perdeu sua vaga em 2018, mas foi convidado para competir em sete etapas do CT no ano passado. Ele e Italo se enfrentaram duas vezes em 2019, sempre na terceira fase. Kikas ganhou a primeira no Oi Rio Pro em Saquarema, quando Italo tentava recuperar a liderança do ranking no Brasil. Mas, o potiguar deu o troco na mesma moeda, deixando o português em 17.o lugar na etapa da casa dele, no caminho rumo ao bicampeonato consecutivo no MEO Rip Curl Pro em Peniche.

Foi nesse evento que Italo Ferreira iniciou uma invencibilidade que só foi quebrada agora em Portugal. O potiguar depois ganhou a final brasileira com Gabriel Medina que decidiu o título mundial de 2019 no Billabong Pipe Masters no Havaí e as duas provas do WSL Countdown que tinha disputado esse ano. A primeira foi o evento noturno Onda do Bem promovido pela WSL Latin America em Ubatuba (SP) e a outra o French Rendez-Vous of Surfing, que abriu a Euro Cup of Surfing semana passada na França.

Foto: Damien Poullenot/WSL

Nenhum comentário:

Postar um comentário