World Athletics muda regra e salto em distância poderá ter forma de disputa alterada em Jogos Olímpicos e torneios mundiais - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

World Athletics muda regra e salto em distância poderá ter forma de disputa alterada em Jogos Olímpicos e torneios mundiais

Compartilhe

 


Uma mudança na regra de disputa do salto em distância está causando polêmica dentro do atletismo. Isso porque a World Athletics publicou na última segunda-feira (29), em seu livro de regulamentos de competição, que a modalidade em questão poderá ter seu formato alterado em competições como os Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais, abrindo assim uma brecha para o sistema 'três finalistas', também cocnhecido como 'final three'. 


O formato consiste em deixar a definição das medalhas para o último salto. Isso significa que apenas os três melhores atletas nos cinco primeiros saltos receberiam uma sexta tentativa, com o vencedor sendo proclamado apenas no último salto, mesmo que a marca alcançada não ultrapasse distâncias alcançadas anteriormente. 


A mudança na regra causou revolta entre os atletas. Campeã olímpica no salto com vara durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, a grega Katerina Stefanidi publicou em sua conta no Twitter que este fato dá mais poderes ao Comitê Olímpico Internacional (COI), já que o novo regulamento não impede qualquer mudança no sistema de disputa do salto em distãncia. 


“Isso é assustador. É incrível a extensão com que o COI está controlando nosso esporte ”, disparou Stefenidi. 



Já o medalhista de bronze no salto em distãncia durante o Mundial de Atletismo de 2017, Ruswahl Samaai, da África do Sul, disse que a mudança não faz sentido. 


"O 'Final three' não traz emoção ao nosso esporte. Pare com isso. Não há necessidade de mudar um formato que já funciona há décadas", ressaltou Samaai, que disputou uma prova de salto em distância neste mesmo formato, durante a etapa de Estolcomo da Diamond League. Ele foi o vencedor do evento, saltando 8,09 na sexta oportunidade, embora o sueco Thobias Montler tenha alcançado 8,13 na segunda e terceira tentativa. 


A Associação de Atletismo, fundada em julho deste ano e que conta com Christian Taylor, bicampeão olímpico de salto triplo, como presidente, declarou em nota, sua oposição em relação à mudança da regra. 


"É claro que os atletas com quem falamos não veem o 'Final three' como uma inovação positiva. Em vez disso, é um formato que desrespeita os saltos, prejudicando o espetáculo. Dos atletas com quem falamos, aproximadamente 87% não gostaram do conceito", disse a nota.


Foto: John Bingham

Nenhum comentário:

Postar um comentário