Balanço de 2019 do Comitê Olímpico e Paralímpico dos EUA mostra fragilidade financeira - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Balanço de 2019 do Comitê Olímpico e Paralímpico dos EUA mostra fragilidade financeira

Compartilhe

Em uma ação de transparência o Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) abriu seus registros financeiros na última segunda-feira (3), que mostraram que a entidade está operando com um déficit de US$ 54 milhões referente ao ano de 2019. O balanço ainda não relata a perda que deverá sofrer neste ano, proveniente da crise monetária causada pela pandemia de coronavírus. 

De acordo com informações do jornal estadunidense Los Angeles Times, déficits em anos não olímpicos, não são incomuns. Porém, como o pagamento pela Olimpíada será atrasado devido o adiamento do evento, a situação tornou-se algo sem precedentes. 

Além disso, houveram perdas da premiação de outras competições que não puderam ser realizadas. A USOPC até tentou cortar seus gastos, reduzindo a folha salarial com a demissão de 50 funcionários e reduções salariais de 20% pelos próximos quatro anos para 30 trabalhadores. 

No ano passado o Comitê gastou cerca de US$ 248 milhões, sendo que um terço (US$ 83 mi) desse valor foram encaminhados para atletas e suas federações. Dentro dessa quantia, US$ 15 milhões foram separados para o pagamento de auxílio aos atletas, como despesas e custos de vida enquanto se dedicam ao esporte. 

Cerca de US$ 30 mi foram direcionados para programas de incentivo e ensinamento de práticas esportivas para jovens. Foi registrado também que a USOPC dobrou o investimento na U.S. Center for SafeSport, doando US$ 7,5 mi ao grupo de vigilância. 

Enquanto isso, salários e outras remunerações custaram aos cofres do Comitê US$ 53 mi, sendo isso um quinto dos gastos. 

Foto: Doug Fitzgerald/The Gazette

Nenhum comentário:

Postar um comentário