Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Ginástica Rítmica - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Ginástica Rítmica

Compartilhe

Status: Incompleto, com 70% das vagas preenchidas (28 de 40). As Copas do Mundo e os eventos continentais só acontecerão em 2021.

Eventos/Vagas: 2 eventos com 96 atletas (todas mulheres)
  • Conjuntos: 14 equipes com 5 atletas em cada (total de 70 atletas)
  • Individual geral: 26 atletas

Sistema qualificatório

No individual, 18 das 26 vagas disponíveis já foram preenchidas. Dessas, 17 vieram do Campeonato Mundial de 2019, realizado em setembro, em Baku, no Azerbaijão, enquanto a outra foi conquistada no Campeonato Africano de 2020. Das restantes, três cotas virão das Copa do Mundo (quatro etapas serão disputadas em 2021) e outras quatro dos campeonatos continentais. 

Eventos restantes:
- Copas do Mundo
  • Sofia, Bulgária (9 a 11 de abril de 2021); 
  • Tashkent, Uzbequistão (16 a 18 de abril de 2021); 
  • Baku, Azerbaijão (7 a 9 de maio de 2021);
  • Pesaro, Itália (28 a 30 de maio de 2021). 
Desses quatro torneios, os três melhores desempenhos individuais serão somados e as três atletas com as maiores pontuações garantirão vaga em Tóquio, sempre respeitando o limite de duas ginastas por país.

- Campeonatos continentais (sem datas definidas, mas acontecerão em 2021):
  • Pan-Americano
  • Asiático
  • Europeu
  • Oceânico
Em cada um dos campeonatos, a atleta de melhor desempenho garantirá uma vaga em Tóquio, desde que seu país não tenha assegurado classificação na prova via Mundial ou Copas do Mundo.

Quanto aos conjuntos, dez equipes já estão classificadas, restando apenas quatro a serem definidas. As equipes já garantidas vieram do Mundial de 2018 (3), do Mundial de 2019 (6) e do Campeonato Africano (1). As restantes virão dos torneios continentais a serem realizados no ano que vem, seguindo a mesma linha de raciocínio das disputas individuais. 

Brasil

Bronze no Pan de Lima, o conjunto brasileiro vem forte em busca de uma vaga a Tóquio (Wander Roberto/COB)
O conjunto brasileiro só tem o Campeonato Pan-Americano como chance de classificação. A equipe tem boas chances, já que terminou o Mundial de 2019 na 13ª colocação, atrás de Estados Unidos (10º) e México (11º). Caso a Ucrânia, que está classificada através da realocação de vagas (o Japão conseguiu a vaga sem necessitar da cota de país-sede), consiga a vaga europeia, os Estados Unidos herdam a vaga realocada do país-sede. Assim, para o Brasil conseguir classificação, precisaria "apenas" terminar a frente do México no Campeonato Pan-Americano. 

No individual, Barbara Domingos e Natália Gaudio buscam alguma das três vagas disponíveis nas quatro etapas da Copa do Mundo restantes ou uma no Campeonato Pan-Americano. Barbara terminou em 31º no individual geral do último Mundial, a cinco colocações da final, e foi quarta colocada no Pan de 2019. Gaudio, por sua vez, foi bronze no Pan, ficando atrás somente das americanas, que não participarão do torneio pré-olímpico.


Países classificados

Conjuntos: Azerbaijão, Belarus, Bulgária, China, Egito, Israel, Itália, Japão, Rússia e Ucrânia (restam quatro)

Individuais: Azerbaijão, Belarus (2x), Bulgária (2x), Eslovênia*, Estados Unidos (2x), Egito, Israel (2x), Itália (2x), Japão, Rússia (2x) e Ucrânia (2x)

+ Volte para a Central do Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados

Nenhum comentário:

Postar um comentário