Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Tênis de Mesa - Surto Olímpico

Pesquisar:

Arquivo do blog

Últimas Notícias

Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Tênis de Mesa

Compartilhe

Status: Incompleto (76,75%, com 132 vagas de 172 definidas)

Eventos/Vagas: 5 eventos (2 masculinos, 2 femininos e 1 misto) com 172 atletas (86 homens e 86 mulheres, sendo 64 em cada um dos torneios individuais)
  • Individual (masculino e feminino);
  • Equipes (masculino e feminino);
  • Duplas mistas

Sistema qualificatório


O tênis de mesa terá cinco eventos no programa olímpico de Tóquio-2020, sendo que o torneio de duplas mistas fará sua estreia. As provas por equipes já têm seus 16 países em cada naipe definidos. Cada continente teve direito a uma vaga (inclui América do Sul e do Norte, totalizando seis), um Pré-Olímpico Mundial deu outras nove vagas e o país-sede ficou com a última disponível. 

Todos os 16 países garantidos nas provas por equipes podem enviar dois atletas para a disputa individual. Assim, 32 mesatenistas em cada naipe já foram definidos previamente. Os outros inscritos dos torneios de simples foram/serão definidos da seguinte forma: 22 virão dos eventos continentais (4 da África*, 5 da Ásia*, 1 da Ásia Ocidental*, 6 da Europa**, 4 da América Latina***, 1 da América do Norte* e 1 da Oceania*), entre 5 do Pré-Olímpico Individual Final* e no mínimo um do ranking da ITTF.

* Já realizados
** A Europa já garantiu um representante no masculino e dois no feminino via Jogos Europeus. Ainda haverá o Pré-Olímpico continental, que atribuirá 5 vagas no masculino e 4 no feminino.
***A América Latina já classificou uma mesatenista via Jogos Pan-Americanos de 2019, diminuindo o número de cotas do Pré-Olímpico continental feminino para 3.

Quanto às duplas mistas, apenas 16 parcerias poderão participar do torneio, e oito delas já foram definidas: quatro via World Tour Finals de 2019, uma da África, uma da América do Norte, uma da Europa e uma da Ásia. Das oito restantes, uma virá do torneio continental latino-americano, uma do ranking mundial para atletas da Oceania, cinco do Circuito Mundial e a última do Ranking Mundial de Duplas Mistas, como forma de realocar a vaga destinada ao país-sede, uma vez que o Japão já se qualificou pelo Finals.

Próximos torneios:
Pré-olímpico da América Latina (13-17 de abril de 2021, em Rosário, na Argentina): 7 vagas individuais (4 no masculino e 3 no feminino) e 1 vaga nas duplas mistas;
Pré-olímpico da Europa (21-25 de abril de 2021, em Odivelas, Portugal): 9 vagas individuais (5 no masculino e 4 no feminino);
Evento do Circuito Mundial a ser confirmado: 1 vagas nas duplas mistas
Ranking Mundial: até 30 de junho de 2021.

Brasil

As equipes masculina e feminina do Brasil conquistaram a vaga após vencerem o Pré-Olímpico Latino-Americano em outubro  de 2019, em Lima, no Peru. Com isso, a delegação brasileira já tem o limite máximo de atletas classificados, que é seis (três em cada naipe). Apesar do limite já conquistado, os brasileiros ainda disputam uma vaga no torneio de mistas, e para isso uma dupla precisará vencer o Pré-Olímpico Latino-Americano Individual, que acontecerá em Rosário, na Argentina, no próximo mês. Bruna Takahashi e Vitor Ishiy deverão ser os inscritos.

Hugo Calderano, atual número 6 do ranking mundial, é o grande destaque do tênis de mesa brasileiro (Foto: Jonne Roriz/COB)

Países classificados:
Equipes masculino: Japão (país-sede); Alemanha (Europa); Egito (África); China (Ásia); Estados Unidos (América do Norte); Brasil (América Latina); Austrália (Oceania); Croácia, França, Hong Kong, Portugal, Sérvia, Eslovênia, Coreia do Sul, Suécia e Taiwan (Pré-Olímpico Mundial).

Individual masculino: Países classificados para a disputa por equipes (2 atletas por país); Jonathan Groth (Dinamarca); Ali Al-Khadrawi (Arábia Saudita), Ibrahima Diaw (Senegal), Adem Hmam (Tunísia), Olajide Omotayo (Nigéria), Larbi Bouriah (Argélia) e Jeremy Hazin (Canadá), Lubomír Jančařík (República Tcheca), Bence Majoros (Hungria), Wang Yang (Eslováquia), Kirill Skachkov (Rússia), Nina Alamian (Irã), Enkhbatyn Lkhagvasüren (Mongólia), Sathiyan Gnanasekaran (Índia), Clarence Chew (Singapura), Sharath Kamal Achanta (Índia); restam no máximo 16 vagas.

Equipes feminino: Japão (país-sede); Alemanha (Europa); Egito (África); China (Ásia); Estados Unidos (América do Norte); Brasil (América Latina); Austrália (Oceania); Áustria, Hong Kong, Hungria, Coreia do Norte, Polônia, Romênia, Singapura, Coreia do Sul e Taiwan (Pré-Olímpico Mundial).

Individual feminino: Países classificados para a disputa por equipes (2 atletas por país); Fu Yu (Portugal), Ni Xialian (Luxemburgo), Adriana Díaz (Porto Rico), Hend Zaza (Síria), Offiong Edem (Nigéria), Fadwa Garci (Tunísia), Olufunke Oshonaike (Nigéria), Sarah Hanffou (Camarões) e Zhang Mo (Canadá), Britt Eerland (Países Baixos), Linda Bergstrom (Suécia), Polina Mikhailova (Rússia), Yang Xiaoxin (Mônaco), Suthasini Sawettabut (Tailândia); Anastassiya Lavrova (Cazaquistão), Batmönkhiin Bolor-Erdene (Mongólia), Sutirtha Mukherjee (Índia), Orawan Paranang (Tailândia) e Manika Batra (Índia); restam no máximo 16 vagas.

Duplas mistas: China, Japão, Hong Kong e Taiwan (Finals de 2019); Egito (África); Canadá (América do Norte); Alemanha (Europa); Índia (Ásia); restam 08 vagas.

+ Volte para a Central do Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados

Nenhum comentário:

Postar um comentário