Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Triatlo - Surto Olímpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Guia dos Sistemas Qualificatórios Olímpicos Atualizados - Triatlo

Compartilhe

Atualizado em 29 de março de 2021

Status: Em andamento, à espera de torneios com validade para o ranking. Nenhuma vaga já foi distribuída;

Eventos/Vagas: 3 eventos com 110 atletas
  • Revezamento misto (no mínimo 10 países, 4 atletas por país, 2 de cada gênero);
  • Individual masculino (55 atletas, incluindo os 20 do revezamento misto);
  • Individual feminino (55 atletas, incluindo as 20 do revezamento misto).

Sistema qualificatório


A corrida olímpica do Triatlo começou no dia 11 de maio de 2018, data que marcou o início da janela de classificação via ranking olímpico. A data limite, inicialmente, era o dia 31 de março de 2020 para o revezamento misto e 11 de maio de 2020 para a disputa individual, mas a pandemia de Covid-19 suspendeu essas datas.

Em fevereiro de 2021, a ITU anunciou que a corrida olímpica será retomada a partir do dia 01º de maio de 2021. O único torneio anterior a essa data que valerá pontos para o ranking é o Campeonato Asiático, marcado para o período entre 23 e 25 de abril. O período de qualificação seguirá aberto até 21 de junho.

Para o revezamento misto, os sete melhores países do Ranking Olímpico de Revezamento garantirão uma equipe, composta por dois homens e duas mulheres. As demais três vagas serão distribuídas no Pré-Olímpico Mundial, que será disputado em Valencia, na Espanha, em data ainda a ser confirmada. 

Já nas disputas individuais, os atletas que se classificaram pela corrida do revezamento misto têm vaga garantida (20 no masculino e 20 no feminino). Outras 26 vagas de cada gênero serão distribuídas via Ranking Olímpico Individual, respeitando o limite de 3 atletas por naipe por país. Na sequência, um país ainda não classificado de cada continente ganhará uma vaga via ranking olímpico como cota continental. O Japão tem direito a duas vagas no masculino e duas no feminino por ser o país-sede, enquanto a Tripartite atribuirá as últimas duas vagas de cada gênero.

Vale ressaltar que, caso um país consiga classificar uma equipe com dois homens e duas mulheres pelo critério individual, poderá participar do Revezamento Misto em Tóquio independente de ter se classificado ou não para a prova via Ranking de Revezamentos ou Pré-Olímpico Mundial.

Eventos válidos para o Ranking Olímpico:

23-25 de abril: Campeonato Asiático de Triatlo (Hatsukaichi, Japão)
15 de maio: Championship Series de Yokohama, Japão
21 de maio: Evento de Qualificação Olímpica Mundial de Revezamento Misto (Lisboa, Portugal)
22-23 de maio: Copa do Mundo de Lisboa, Portugal
29-30 de maio: Copa do Mundo de Arzachena, Itália
5-6 de junho: Championship Series de Leeds, Reino Unido
11-13 de junho: Campeonato Africano de Triatlo (Sharm El Sheikh , Egito)
12-13 de junho: Copa do Mundo de Huatulco, México

Também serão disputados outros campeonatos continentais, como o Pan-Americano, e torneios de revezamento misto, com datas ainda a serem confirmadas.

Brasil


Caso a corrida olímpica se encerrasse hoje, o Brasil classificaria três triatletas via Ranking Olímpico Individual: Manoel Messias (42º no ranking masculino), Vittoria Lopes e Luisa Baptista (32ª e 35ª no ranking feminino, respectivamente). Já para participar do revezamento misto, o Brasil teria que terminar entre os três melhores do Pré-Olímpico Mundial - uma vez que ocupa apenas a 19ª posição no Ranking de Revezamento, fora da zona de classificação direta - ou qualificar mais um triatleta pelo ranking individual masculino. O segundo melhor brasileiro neste momento é Kauê Willy, 101º colocado, e a posição do último atleta que se qualificaria é a 58ª.

Luisa Baptista e Vittoria Lopes formaram uma dobradinha brasileira no pódio do triatlo feminino no Pan de Lima em 2019 (Foto: Wander Roberto/COB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário