Polo aquático húngaro perde dois tricampeões olímpicos em 24 horas - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Polo aquático húngaro perde dois tricampeões olímpicos em 24 horas

Compartilhe

Uma semana triste para a Hungria e para o esporte mundial. Morreram entre quarta-feira (17) e esta quinta-feira (18) dois dos maiores nomes do polo aquático de todos os tempos: Gyorgy Karpati, 84 anos, e Tibor Benedek, 48, ambos tricampeões olímpicos em diferentes gerações. As mortes foram divulgadas pelo Comitê Olímpico Húngaro (HOC), sem as causas oficiais de óbito reveladas.

Karpati conquistou os títulos de 1952, 1956 e 1964. Em Helsinque-1952, ele tinha apenas 17 anos de idade e tornou-se o atleta mais novo da história a ser campeão olímpico. Quatro anos mais tarde, fez parte do histórico jogo contra a União Soviética, conhecido como "Banho de sangue de Melbourne", em um contexto de revolução anti-soviética que acontecia na Hungria. Dentro das piscinas, os húngaros venceram por 4 a 0.

Além dos títulos olímpicos, "o Pelé do polo aquático", como nomeou o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, foi bronze em Roma-1960 e recheou seu currículo com inúmeras outras conquistas, incluindo um tricampeonato europeu. Após 162 partidas disputadas e 17 anos de história, ele se aposentou da seleção em 1969. Ele fez parte da comissão técnica que comandou a Hungria no ouro de Montreal-1976.

"Karpati era um verdadeiro jogador versátil. Embora o pólo aquático seja considerado um esporte de gigantes, ele foi um dos poucos jogadores que conseguiu fazer círculos mais altos, apesar de ser relativamente curto, mas sua extraordinária velocidade de natação, técnica brilhante e inteligência extraordinária fizeram dele um ajuste perfeito para a seleção húngara nos anos 50", elogiou a Federação Internacional de Natação (Fina), em comunicado de pesar. 

Sua versatilidade muito se deve pela prática de outros esportes ao longo de sua juventude. Além do polo aquático, Karpati competiu no futebol, nos saltos ornamentais e na natação. Em todas as modalidades, foi campeão de algum torneio, com destaque para a natação, onde conquistou um tetracampeonato nacional e duas medalhas na Universíade de 1961.

Já Tibor Benedek foi um dos maiores ídolos da história recente da Hungria. Ele disputou cinco Olimpíadas, entre 1992 e 2008, sagrando-se campeão nas últimas três em que participou. Ele também conquistou o Mundial de 2003. A Fina anunciou que sua morte foi causada por "terrível doença", mas não entrou em detalhes. 

Benedek como treinador da Hungria (Aniko Kovacs/EPA)
Após sua aposentadoria, Benedek comandou a seleção húngara principal entre 2013 e 2016 e chegou à final de todas as cinco competições que disputou no primeiro ano de sua nova carreira, incluindo o Mundial de Barcelona, o sagrou-se campeão. Na Rio-2016, sua última competição como treinador da equipe, terminou em quinto lugar.

"Tibor Benedek realmente era um MESTRE, tudo em letras maiúsculas. Ele era um mestre do pólo aquático, um ícone histórico de um esporte cujas tradições remontam quase cem anos. Um homem distante, ele se tornou um jogador queimando mil graus, fazendo o possível para vencer, inspirando seus companheiros, sua equipe, uma equipe e capitão federal", disse a HOC, em nota.

Surte + : Brasil disputará Pré-Olímpico de Polo Aquático Masculino em fevereiro de 2021
Surte + : CBDA também quer levar a seleção feminina ao Pré-Olímpico no ano que vem; entenda

Fotos: Divulgação/HOC



Nenhum comentário:

Postar um comentário