Pré-Olímpico Masculino de Polo Aquático é confirmado para fevereiro de 2021 - Surto Olimpico

Anúncio

Anúncio
Se inscreva em nosso canal!

Pré-Olímpico Masculino de Polo Aquático é confirmado para fevereiro de 2021

Compartilhe

A Federação Internacional de Natação (Fina) anunciou as novas datas do Pré-Olímpico Mundial para os Jogos de Tóquio: 14 a 21 de fevereiro de 2021. Com sede em Roterdã, nos Países Baixos, a competição estava originalmente marcada para março deste ano, mas teve que ser adiada por conta da pandemia do coronavírus, a mesma que foi responsável por também adiar a Olimpíada para o próximo ano.

Doze equipes participarão do torneio qualificatório, que dará três vagas a Tóquio, incluindo o Brasil. A seleção ganhou o direito de ir ao Pré-Olímpico após conquistar a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima e está na briga para conseguir um lugar na próxima Olimpíada, na tentativa de repetir a campanha histórica da Rio-2016, com um nono lugar.

Os 12 países estão divididos em dois grupos de seis. Avançam os quatro melhores de cada e, a partir daí, é iniciado um mata-mata simples, partindo das quartas de final. Os finalistas mais o terceiro colocado garantem a vaga olímpica.

O Brasil está no grupo A, ao lado de Geórgia, Turquia, Canadá, Montenegro e Grécia. Em entrevista ao Surto Olímpico no início de abril, Rudá Franco, um dos principais nomes da equipe brasileira, destacou que as maiores chances seriam vencer Canadá, Geórgia e Turquia e fugir da Croácia num duelo de quartas de final. Segundo ele, nessas circunstâncias, a equipe deve fazer o "jogo da vida" numa semifinal para carimbar o passaporte para o Japão.

Disputa feminina
Já o Pré-Olímpico Feminino, com sede em Trieste, na Itália, está programado para 17 a 24 de janeiro de 2021. A competição também estava agendada para este ano, mas teve que ser adiada para o próximo ano por conta da pandemia. Serão distribuídas duas vagas entre as 10 equipes participantes.

O Brasil teria direito a uma vaga na competição qualificatória, uma vez que foi bronze no Pan de Lima. A CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos", no entanto, optou por abrir mão da disputa da competição, dada a crise financeira vivida pela entidade e as baixas chances de uma classificação olímpica.

Com o adiamento de Tóquio-2020 para o próximo ano, a confederação está revendo as possibilidades e pode enviar uma equipe para a disputa do evento, de acordo com o globoesporte.com.

Foto:  Alexandre Castello Branco/COB

Nenhum comentário:

Postar um comentário